sábado, 31 de maio de 2014

Triste Legado da Copa

Pensando bem, há uma grande diferença entre realizar um Campeonato Mundial de Futebol, com os atuais moldes que a FIFA exige, num país desenvolvido do que num outro em desenvolvimento. Mesmo sendo um dos BRICS (Grupo dos emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) como no caso da última edição e nessa que está prestes a acontecer, aqui no Brasil.
Num país desenvolvido existe toda uma estrutura socioeconômica amadurecida, consolidada e funcionando a contento da população local. O evento se reveste sempre de muita ordem, não exige superinvestimentos e termina ocorrendo de modo tranquilo. Não há chances de corrupção, porque está tudo pronto. Já nos países subdesenvolvidos, ou em desenvolvimento, a coisa se complica. O que vem ocorrendo no Brasil atualmente, de algum modo, ocorreu na África do Sul, também. Lembro-me de haver visto, à época, pela TV, noticias sobre obras inacabadas a poucos dias do certame, os protestos dos trabalhadores nas construções de estádios, com greves inclusive, e uma série de lamentações dos sul-africanos pobres pelo tratamento que recebiam na preparação dos entornos das cidades sedes do Mundial de 2010.
Como já afirmei aqui no Blog, não sou contra a Copa no Brasil. Sobretudo, agora, sabendo que bem ou mal ela vai acontecer nesses próximos dias. Contudo, não sou nenhum alienado, nem me faço de cego ao perceber que há muita gente sofrendo graves consequências pela realização no Brasil.   
Esta semana, conversando com um jovem que me presta serviços de manutenção na área de informática, inteirei-me de situações dolorosas de pessoas que vivem nos arredores da Cidade da Copa, aqui em Pernambuco. “E então Cristiano, está animado para a Copa?” Perguntei. Ele mora bem próximo da Arena Pernambuco. “Que nada Doutor...” E completou: “eu gosto é muito de futebol e fiquei só na vontade de assistir algum dos jogos. Mas essa Copa é somente para os ricos. Ninguém pode comprar esses ingressos. Oxi... Além disso, por onde eu moro o povo tá na maior tristeza. Já teve até gente que morreu!”
Eu já havia ouvido falar sobre as desapropriações que foram feitas na região da tal Cidade da Copa, em Pernambuco, quando a secretária, atendente da minha esposa, no Consultório Médico, sofreu amargamente quando recebeu ordem de despejo e uma indenização irrisória pela casa que tinha, nos arredores da Arena. A casa foi demolida, dando lugar a uma avenida/rodovia de acesso ao estádio. A moça ficou sem condições de arranjar nova moradia semelhante a que tinha e hoje vive numa casa com construção inacabada. Cerca de 400 famílias foram desalojadas. De nada serviram os protestos e clamores. (Vide foto)
No meio da conversa Cristiano me perguntou se eu não havia assistido ao Programa Profissão Repórter da Rede Globo de TV, do dia 20.05.2014. Diante da minha negativa, abriu o site no Youtube e me fez assistir. De fato, é doloroso ver aquelas cenas de revolta e penúria do povo da cidade de Camaragibe. Além de residências, muitos perderam seus pontos comerciais e de trabalho. Ruas inteiras de comércio desapareceram de um dia para outro. Todos foram parar  na famosa “Rua da Amargura”. Idosos que lutaram no passado por um pedaço de terra, para erguer uma moradia e lá viver o resto da vida, viram-se de repente sem casa e sem ter pra onde ir, dadas as indenizações aviltadas. Resultado: a morte por desgosto e desespero.  Vide o referido programa clicando em: http://www.youtube.com/watch?v=doizwPLPHKY .
O país inteiro vibrou, em 2007, com a possibilidade de realizar um Campeonato Mundial de Futebol, dentro de casa. Mas, a grande maioria da população não tinha noção de que, o que se imaginava, era pura quimera. Verdadeira ironia para a Nação que calça chuteiras o ano inteiro. Hoje, quando tudo caminha para a concretização, paira sobre o povo brasileiro uma nuvem de incerteza e frustração por não poder participar da festa da forma idealizada sete anos passados e diante da possibilidade de assistir, sim, uma onda de protestos. Milhares de Cristiano’s – jovens e velhos – não param de lamentar e maldizer a iniciativa. “Preferia que a Copa fosse noutro país. Assistia pela televisão e corria para o abraço.” Disse meu assistente técnico. Tive dó do rapaz.
Resultado é que me encontro dividido: quero ver a Copa acontecer, desejando paz e muita ordem no país e o Brasil Hexacampeão. Mas, me solidarizo com as vitimas da insanidade governamental que não soube administrar com justeza a preparação do ambiente. E veja que este é um Governo Popular. Não fosse popular talvez a coisa não ocorresse do modo que vem ocorrendo. Mesmo porque os "defensores do povo" e "salvadores da Pátria", na oposição, não permitiriam. Vá entender. Triste legado vai deixar esta Copa para boa parcela de brasileiros.
Mas, vamos em frente! O Brasil vai sobreviver porque este é um país forte, rico de esperanças e tem seu povo varonil.

NOTA: Foto obtida no Google Imagens.

9 comentários:

Leonardo Sampaio disse...

É muita incompetencia administrativa, falta de educação cívica e cidadã, e governos cada vez mais corruptos tolerados pela busca frenética de ser amigo dos poderosos - esta a mensagem ensinada pelas escolas e passada pelo exemplo das "elites".
Sem vermos, por falta de educação e excesso de comunicaçåo imbecializante, que os financiadores das campanhas eleitorais fazem dinheiro com os impostos que pagamos - sendo os dirigentes públicos, eleitos com nossos votos, meros feitores ou capitães do mato (sim : aqueles assessores especiais, contratados sem concurso, gratificados para descumprir as leis, encarregados de criar dificuldades, desviar recursos públicos, perseguir e torturar os escravos fugidos que não aguentavam mais tantos dízimos, taxas escorchantes, roubos, impunidades e enganação.

Adierson Azevedo disse...

Amigo Girley,
Que bom que você postou esse comentário sobre o legado da Copa. Como havia dito no meu comentário anterior sobre a Copa, fui contra em 2007 e continuo contra hoje. Apenas, a realidade de hoje corrobora inexoravelmente com minhas previsões pessimistas de 2007.
Em termos econômicos, o crescimento de então não me iludia pois o país havia parado de reformar-se e isso estava lentamente desestruturando os fundamentos da economia deixados pela gestão FHC, e mantidos parcialmente pela primeira gestão Lula. Quando digo parcialmente é porque só as privatizações pararam no primeiro mandato.
À partir da reeleição, os esquerdopatas (patas mesmo....*:D sorrisão) do PT (Lula incluído) passaram a ampliar sua cartilha de desconstrução do Plano Real, ficando apenas o Henrique Meirelles no BC tentando proteger a moeda enquanto pôde.
Com a chegada de Dilma ao poder, primeiro ato dela foi desfazer-se de Henrique Meirelles; acabando, dessa forma, com o último remanescente de uma política econômica de mercado e de moeda conversível e flutuante.
Ora, com tudo isso ocorrendo, os cenários desenhados para a Copa no Brasil perderam completamente o sentido. A realidade de hoje mostra exatamente isso e você a retratou muito bem. Um país desenvolvido tem como realizar um evento esportivo da magnitude da Copa do Mundo de Futebol com poucos (ou nenhum) investimentos. Já um país como o Brasil e a África do Sul, jamais deveriam ter entrado nesse circuito.
Mas não foi sem aviso!!! O ex-presidente da Colômbia Belisário Bettancourt, ainda candidato, já pregava a devolução à FIFA da sede da Copa de 86 que acabou sendo transferida para o México. Perguntado sobre um eventual interesse, o general Figueiredo rejeitou a candidatura brasileira a sede substituta pelos mesmo motivos do ex-presidente colombiano. O Brasil do início dos anos 80 não tinha e, guardadas as devidas proporções, o de hoje também não tem, condições de sediar essa Copa e tampouco as Olimpíadas (que deveriam ser devolvidas o quanto antes).
Porém, as toxinas liberadas pelas propagandas atuais, podem efetivamente intoxicar uma parte da torcida brasileira que tem dinheiro para comprar ingressos a R$ 400,00 - R$ 800,00. Já a grande maioria do povo, vai ver pela TV pois não foi convidada para nada, a não ser, pagar a conta de mais esse desvario, desse devaneio que, ganhe ou perca (acho que perde), só se perceberá o engodo quando as contas de agosto baterem às nossas portas. Saudações Baianas,
Adierson Azevedo

Susana González (México) disse...

Susana Gonzalez Leí tu blog y como siempre muy interesante, nos da un panorama más allá de la propia fiesta, pienso que siempre que hay desplazados por obras públicas, es muy triste pues además de lo que te puedan remunerar es algo tuyo que te quitan. Ayer oía esa noticia para una comunidad indígena donde los van a desplazar porque explorar para ver si de ahí extraen petróleo y por supuesto el pueblo completo se niega, dicen que es primero como una renta mientras ven si es propicio explorar, sino se los devuelven de aquí a quien sabe cuantos años
Susana González (México)

Susana González (2) disse...

Imagínate, que suerte para ese pobre pueblo su tierra de siempre, te recomiendo que leas un poco de como fue la preparación de la olimpiada en Inglaterra, un país de primer mundo, donde las obras se terminaron al cinco para la hora y donde el público inglés tenía no asistió a sus eventos por lo elevado de sus costos. Besos
Susana González (México0

Ina melo disse...

Que o nosso Brasil verde-amarelo seja o vencedor! O depois a Deus pertence.
Ina Melo

Ina melo disse...

Que o nosso Brasil verde-amarelo seja o vencedor! O depois a Deus pertence.
Ina Melo

Ana Celi Ramos disse...

Primo Girley, muito pertinente o que você postou. O nosso Brasil de encantos mil , ainda carecia de mais planejamento!! Bjs
Ana Celi Ramos

Regina Dubeux disse...

Prezado Girley! Parabéns por mais este seu lúcido texto. Aproveito seu blog para divulgar algo que me deixou abismada e, creio, deve necessariamente ser do conhecimento de todas as pessoas que possuem a cidadania brasileira. Trata-se do famigerado Decreto 8.243, assinado em clima de quase clausura, pela Presidente Dilma, agora, em 23/5/2014. Espanta-me que a mídia não esteja veiculando essa ignomínia com mais destaque. O Decreto 8.243 cria um novo conceito de Cidadania Civil e pode ser que você e outros que aqui escrevem não sejam considerados cidadãos civis. Por esse Decreto, o novo conceito de cidadania civil é:"CIDADÃOS, COLETIVOS, MOVIMENTOS SOCIAIS INSTITUCIONALIZADOS OU NÃO, SUAS REDES E SUAS ORGANIZAÇÕES". Ou o Bolivarismo/Chavismo/Bolchevismo precisam aprender com o pt brasileiro ou se deu o contrário. Eu não sou um movimento institucionalizado, não sou um ser coletivo, não pretendo me inscrever em organizações alguma, mas sou cidadã civil, pelo menos até a vigência desse Decreto. Com esse decreto, quem não estiver vinculado a um ou outro movimento - e, claro, será considerado movimento de defesa social os que estiverem concordes com ideário esquerdista - vai ficar fora da sociedade "civil", não tendo direito a fazer protestos de espécia alguma, sob pena de ser considerado fora da lei. Uma verdadeira obra de imposição ao pensamento livre e consciência individual. Uma verdadeira tapa na cara de quem quer instrumentos efetivamente modeladores de uma verdadeira sociedade civil, tais como Educação de qualidade, Saúde de qualidade, Mobilidade urbana etc., enfim, essas coisinhas que os países do chamado primeiro mundo já possuem e que constituem, aí sim, uma verdadeira SOCIEDADE CIVIL. Eu acho esse Decreto simplesmente INFAME.
Sim, o Brasil não possui as "coisinhas" de que falei acima e, por isso, entendo que não tem condições honestas de fazer essa Copa. Farão. Os prejuízos já estão contabilizados. Os benefícios, diante dos prejuízos, não valerão a pena. Pelo menos para a maioria do povo/cidadão brasileiro.
Sobre o Decreto 8.243/2014, caso interesse, posso postar um link ou, então, todos daqui podem procurar na web.

Girley Brazileiro disse...

Prezada Regina,
Antes de mais nada, manifesto minha satisfação pelo seu retorno ao debate do Blog d GB. fazia tempo que você não marcava presença.
Quanto ao Decreto 8.243/14 devo dizer que já havia tomado conhecimento e manifestado meu descontentamento nas redes sociais. Estamos realmente num momento crucial da nossa vida republicana, se é que ela ainda exista...
Resta somente a esperança de que em Outubro o troco seja dado. Tomara que isso aconteça.
Meu abraço e seja sempre Bem Vinda!
GB