quinta-feira, 3 de julho de 2014

Imaginamos Errado?

Diante de inúmeros problemas políticos no país, manifestações sociais contrários à Copa e das imensas dificuldades para conclusão da maioria dos equipamentos infraestruturais nas cidades sedes dos jogos, o que mais se ouviu dizer foi o famoso clichê: “imagine na Copa!”. Virou até piada do dia-a-dia. Obras por terminar, insegurança nas ruas, manifestações populares, povo despreparado para receber os turistas/torcedores, ruas inundadas com águas das chuvas de junho, entre outras coisas, foram motivos de preocupação para meio mundo. Incluo-me no grupo dos preocupados. A Nação se dividiu entre os que eram a favor e aqueles contrários à Copa do Mundo no país. Resultou num imenso clima de incerteza. A mídia estrangeira não poupou, de criticas negativas, o Brasil e, sobretudo o Governo brasileiro, que não saiu da “frigideira”. A FIFA, nem se fala. A mais suave das criticas resumia a situação como tendo sido o Brasil uma infeliz escolha. Confesso que concordei muitas vezes.
O tempo passou rápido, muitas obras, de fato, estão inacabadas, outras ficaram no papel e dele dificilmente sairão, o povão, claro, não aprendeu a falar inglês ou espanhol, São Pedro mandou muita chuva em Natal e no Recife, com consequências até mesmo catastróficas na primeira cidade, o acesso à Arena Pernambuco foi, para muitos, uma aventura, mas, a Copa está rolando.  
Contudo, para surpresa de muitos, aqui, no resto do país e no Mundo, os aeroportos funcionam normalmente, não se registra atrasos fora do normal, os hotéis são suficientes e sobram disponibilidades, os transportes públicos funcionam, os torcedores estrangeiros estão se esbaldando, os nativos entraram na onda, deixaram os protestos de lado e caíram em campo torcendo e aplaudindo e, enfim, a Copa do Mundo/2014 está sendo bem avaliada e tida como sendo a maior de todos os tempos. Vamos e venhamos, uma coisa inesperada para nós brasileiros, que contávamos com um fiasco. Um importante jornal francês, que castigou em criticas anteriormente, admitiu, esta semana, que o Brasil está realizando, “ao seu modo”, uma extraordinária Copa e considera que isto é um “verdadeiro milagre”. Fiquei meio encabulado, embora entendendo a surpresa dos franceses, e procurando interpretar este “ao seu modo” que pode ser uma critica velada, assim como, considerar um “milagre” é outro motivo que exige melhor interpretação.
O fato de a coisa caminhar com certa tranquilidade e sucesso reconhecido pelos torcedores  que chegam de fora e pelos que de longe observam o evento, sugere uma serie de considerações que apontem para alguma lógica: a grande parte dos torcedores de fora – a maioria esmagadora é composta de homens jovens – pouco estão se incomodando com falhas de infraestrutura e logística, vieram dispostos a cair na “gandaia”, curtir adoidado cada momento e aproveitar de qualquer jeito. Soube de torcedor alemão que, depois de uma verdadeira aventura para chegar a tempo na Arena Pernambuco (fica bem distante de tudo), relatou de forma hilária tudo que experimentou: “vou ter muito o que contar quando chegar ao meu país”, explicou às gargalhadas. Outro fato que caiu nas redes sociais e se multiplicou ilimitadamente foi de integrantes da torcida norte-americano se esbaldando a caminho da Arena Pernambuco debaixo do maior temporal que caiu na cidade antes da partida entre Estados Unidos e Alemanha. Quem esteve por lá diz que foi impagável ver o espetáculo antes, durante e depois da partida.

 
Curioso é que o que mais se noticia na imprensa estrangeira é a descontração do clima que reina no Brasil, num verdadeiro congraçamento de raças e nações, provando que futebol não combina com política e, mais do que isto, une os povos. Povos tão carentes de, alegria, paz e união. A propósito, quase não acreditei, esses dias, vendo um torcedor estrangeiro afirmar, diante das câmeras de TV, que a Copa do Mundo devia ser sempre no Brasil. Era um cidadão europeu, de certa idade, e habituado a se fazer presente em vários outros Mundiais de Futebol.
Pois é, de repente as manifestações dos contra a Copa se apequenaram, encolheram e foram sufocadas pela alegria e entusiasmo da massa de torcedores que se espalhou pelo país. O brasileiro, antes temeroso, se contagiou, vestiu verde e amarelo, foi aos estádios, cantou a todo pulmão o Hino Nacional e mostrou ao mundo uma Nação – eu repito, Nação – alegre, bonita e vibrante chamada Brasil. Esta Copa vai deixar saudade, ainda que o Brasil não chegue ao embate final no Maracanã, próximo dia 13. Tomara que chegue! Antes de terminar, deixo uma pergunta: será que imaginamos errado?
NOTA: As fotos que ilustram a postagem foram obtidas no Google Imagens.

11 comentários:

Danyelle Monteiro disse...

Professor Girley Brazileiro, faço minhas suas palavras... também fiquei preocupada com nossos problemas, mas também vesti verde e amarelo e observei de perto a alegria dos turistas, está sendo realmente uma festa.
Danyelle Monteiro

Susana Gonzalez disse...

Su país es increíble y alguna vez les dije que la fiesta la hacia el pueblo y que una vez, que comenzará todo mundo la disfrutaría para alegría del mundo entero. Además como se esperaba iba ser inolvidable al grado que será difícil igualarla. Sólo piensa en la próxima en Qatar. Besos
Susana González

Adierson Azevedo disse...

Amigo Girley,
Como você sabe muito bem, "contra fatos não há argumento", certo?
Realmente, a pancadaria que se esperava ocorrer durante a Copa, não aconteceu. Mas, a meu ver, aí tem dois motivos: Primeiro, as emissoras que transmitem a Copa deixaram de noticiar as manifestações que aconteceram e, em segundo lugar, não anotaram aquelas ocorridas poucos dias antes do começo da Copa com dezenas de ônibus incendiados no Rio e em SP, principalmente. Teve aquela em SP em que os Black Blocks invadiram uma agência de carros importados e deixaram um "preju" de uns R$ 2 milhões.
Também se esqueceram de que uma lei semelhante à antiga LSN (Lei de Segurança Nacional) foi emitida às pressas tornando as manifestações contra a copa e crimes muito mais graves.
Em outras palavras, uma combinação dessas deu a impressão de que está tudo bem quando não está. Isso só vai ser visto amanhã caso a Seleção seja eliminada pela Colômbia; ou caso passe, perca a semifinal para a Alemanha ou França, o que é bastante possível.
Como brasileiro, eu sempre torço pelo nosso time mas, conscientemente, não levo a mínima fé num grupo que depente da eficiência de apenas 2: o goleiro e Neymar. O resto do time é mediocre. Faço também exceção para a dupla de zaga, em especial, o Davi Luiz.
Até hoje não entendi porque, me 23 convocados, não houve espaço para um único cara experiente como Ronaldinho Gaúcho, Kaká, ou Zé Roberto. Esse último já aos 38 anos de idade ainda joga um bolão pelo Grêmio e teria gás para, mesmo no banco de reservas, dar o equilíbrio emocional que esse time não tem.
Por fim, se a Seleção passar por esses obstáculos, tem a Argentina ou mais provavelmente, a Holanda pra encarar na Final.
Você já imaginou se em pleno Novo Maracanã acontece uma "nova" derrota na final (de novo)?? Já imaginou se perde pra Argentina reeditando o "maracazo" de 50??
Posso estar enganado mas se o Hexa não sobrevive até outubro pra beneficiar Dilma, uma derrota seja quando for deverá render uma visita de "cortesia" a ela e ao pai da ideia (Lula Molusco) onde quer que mostrem a cara!!!! Imagino que sobre também para os governadores cujas capitais foram cidades-sede!!!
Portanto, minha opinião é a de que as manifestações estão apenas dormentes por enquanto. E mesmo assim, se quiser ver como a coisa pode acordar a qualquer momento, basta Dilma ou Lula aparecerem por algum estádio onde houver jogo!!! kkkkkkkkkkkkkkk
Saudações Nigerianas!!!
Adierson





Regina Dubeux disse...

Cinco pontos, antes de responder a sua pergunta final:
1º) Não foi a Fifa que ofereceu essa copa ao Brasil, ao contrário, foi um grupo de políticos que pediu a copa. E, nesse pedido, 12 governadores, inclusive o ex de Pernambuco, atual presidenciável, trasladaram-se para Zurich, a fim de lamber as botas desse indivíduo chamado Ricardo Teixeira, cujo currículo dispensa apresentações. Claro que empreiteiras e empresários ligados a eventos dessa magnitude fizeram a festa.
2º) A calmaria que os órgãos de imprensa, principalmente as tvs abertas (destaque para a tv Globo) é aparente e amordaçada, inclusive, pela nova versão da antiga LSN, como bem lembrou o sr. Adierson, também leitor deste blog.
3º) As manifestações estão contidas, também, por outra razão: O "sucesso" dessa copa (passageira) não representa sucessos em áreas (permanentes), tais como: Melhoria dos hospitais públicos e ensino público; contenção da criminalidade (sobretudo a violência contra as mulheres), nem, muito menos, constata-se vontade política e firme decisão de combater a corrupção, sobretudo a dos políticos. Entre outros horrores.
4º) A relação Brasil/Futebol vai muito além de explicações sociológicas até hoje intentadas para explicar esse fenômeno - é como certos fanatismos religiosos: Não dá para se fazer prognósticos. Mas depois dos jogos, a vida continua.
5º) Pode-se dizer que nenhum Presidente da República entendia tão bem essa relação - e a curtia - como o ex presidente Lula, um dos que lutaram junto à FIFA para que a Copa das Copas e, curiosamente, um dos que mais levantaram a bandeira de que o futebol foi usado pelos governos militares como uma espécie de engana-Brasil. E agora? De repente ficou bonito unir o Brasil através do futebol, ao invés de unir por melhorias em pontos chave enfrentados pelo país? Ou seja: Mais vale um país de fanáticos por futebol, que podem ser manipulados numa festa como a Copa, do que um país de pessoas conscientes das verdadeiras mazelas que as fazem refém de esmolas do governo - esmolas essas anteriormente detonadas pelos petistas como sendo com finalidades manobras populistas? Lula está, agora, pensando assim? Que estranho!
Enfim, respondendo a sua pergunta: Pelo menos no que toca a mim: NÃO. Não imaginei nada errado. As manifestações acontecem, poucas, sim, mas acontecem. E são reprimidas. E, ganhando ou não essa copa, prevejo que elas voltarão.

Nelcy Cifuentes Rico disse...

Mi querido Girley, siento mucho por los inconvenientes que están pasando en tu país, veo que este mundial de fútbol ha evidenciado más su problemática, pero veamos también lo positivo, mira Colombia ha sido un pueblo fuertemente golpeado por la guerrilla, el narcotrafico etc, por lo que somos reconocidos negativamente a nivel mundial, pero también tenemos el reconocimiento de ser el país con la gente más alegre, como es posible?... esto es porque nos aferramos a las cosas buenas, en este caso puntualmente estamos eufóricos por los logros que ha tenido nuestro equipo en el mundial, estos muchachos representan lo que somos en realidad, gente luchadora, trabajadora, humilde, sencilla, alegre! pero sobre todo gente buena!! Con cada triunfo gritamos, bailamos, nos abrazamos, nos unimos en familia y nos sentimos muy orgullosos, pero muy orgullosos de ser colombianos.Suerte al pueblo brasilero y Dios le solme de muchas bendiciones!Un abrazo colombiano y que en el partido de hoy Brasil vs Colombia que gane el mejor!
Tu amiga Nelcy

Girley Brazileiro disse...

Prezados leitores Adierson Azevedo e Regina Dubeux,
Obrigado por visitar o Blog e alimentar um debate tão apaixonante e necessário. Vejam vcs. as opiniões das leitoras do Mexico (Susana González) e e da Colombia(Nelcy Rico).
Sim, acredito que passada a Copa, mesmo que com a vitória do Brasil, nossas mazelas serão focadas pelos spot-lights da sociedade e, ao contrário da época da ditadura, não serão abafadas, porque os tempos mudaram. Ao memso tempo, vamos ter uma campanha politica que promete expor sem pena esses descalabros empanados pela névoa da Copa. Estou trocendo por isto! E no Blog quero ter oportuidade de comentar.
Obrigado amigos. Voltem sempre.
GB

Regina Dubeux disse...

Prezado Girley: Retorno aqui. Veja o comentário seu:
"Soube de torcedor alemão que, depois de uma verdadeira aventura para chegar a tempo na Arena Pernambuco (fica bem distante de tudo), relatou de forma hilária tudo que experimentou: “vou ter muito o que contar quando chegar ao meu país”, explicou às gargalhadas."
Esse é tipo de coisa que não me deixa feliz. Houve até um alemão que manifestou o desejo de que toda copa deveria ser aqui, no Brasil. Claro, se focarmos o que está por trás de tanto entusiasmo. (Não tão camuflado assim). Não sei se o link que vou postar aqui vai aparecer. Ele mostra uns alemães praticamente pelados e se "divertindo" a valer aqui, em terras brasileiras. Claro que eles terão muito o que contar quando retornarem a seu país, e espalharão, entre eles, a falta de dignidade dos brasileiros, aquilo que, por aqui, chama-se de "jeitinho", "desconcentração", "irreverência" - tudo como coisas boazinhas. Para mim, tais manifestações mal escondem o deboche. Vá, você, me desculpando, se discordo de seu entusiasmo. Duvido que esse germânicos desrespeitariam um país sério, porque o nosso, decididamente, não é. Não me orgulho nada de ser brasileira. Principalmente agora, depois que estou lendo "1808", de Laurentino Gomes. E olha que ainda não li o restante da trilogia: "1822" e "1889", que dizem mostrar o Brasil mais esculhambado ainda. Não mereço. Não merecemos. E percebo como há "gringos" desinformados sobre como as coisas funcionam por aqui. Bem, esses não têm obrigação de saber nossa história. Por isso, estão perdoados.
http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/copa-do-mundo/2014/07/04/franca-x-alemanha---quartas-de-final-4jul2014.htm?fotoNav=1

Vera Lucia Lucena disse...

Afff como tenho sofrido durante os jogos dessa Copa, em especial naqueles nos quais joga a nossa Seleção, evidentemente; sofro pelo jogo e sofro pensando no que possa acontecer caso o Brasil seja eliminado, pelo fato de não termos uma boa equipe. A nossa Seleção é bem inferior as da Alemanha, Holanda, Argentina e de repente a própria Colômbia. No que diz respeito aos problemas de recepção aos nossos visitantes, pelo que li e vi pela TV e internet, parece que tudo tem sido muito bem, graças a DEUS. Espero que no dia 13 a sua postagens tenha esse título: "O HEXA É NOSSO". Ah ah ah Girley como vou vibrar se isso vier a acontecer, não tenho certeza, mas dentro de mim há uma grande esperança que um milagre possa acontecer, rsrsrs Vamos torcer?Vera Lúcia Lucena

Rogerio Mota Albuquerque disse...

Excelente a sua matéria no seu Blog meu amigo Girley Brazileiro. Pena que não consegui deixar o meu comentário de muitos elogios e, lhe dizer que, é para o Brasil todo ler. Fiz uma matéria no Blog do Magno Martins, você leu? Acesse colocando o meu nome no "buscar".
Rogério Mota Albuquerque

Wilma Clélia Reis disse...

Pois é Girley, acho que IMAGINAMOS ERRADO. Confesso que estava muito temerosa pensando que muita coisa de ruim fosse acontecer, mas graças a DEUS,está tudo dentro da normalidade.Ainda confesso que estou muito orgulhosa da receptividade com a qual nós brasileiros estamos recebendo os turistas do mundo inteiro. Para que tudo termine bem, só falta para nós o título de HEXA!
Wilma Clélia Reis

Alvaro Moreira disse...

Prezado Girley, como você pelo menos 30% dos brasileiros embarcaram, conscientemente, em uma cruzada POLÍTICA contra o Governo, coisa até compreensível se não fossem utilizados argumentos sem a mínima credibilidade e até mentirosos. No caso da COPA, o grito estérico de Não vai haver copa FOI LEVADO A TODOS OS CANTOS, DO Brasil e pelo Mundo, prejudicando, internamente, os legados econômicos previstos e abrindo um espaço para que países que passam por apertos econômicos e "brocharam" tornando a vida de sua população uma verdadeira merda a detratarem o Brasil. Ai surge uma festa em um país, que embora lute contra preconceitos de toda as espécies, apresenta como uma oportunidade única de tornar a vida mais alegre e humana. A razão de nosso, e de 40% da pop, irrestrito apoio ao governo pela sua tenacidade de acreditar que possamos fazer , sem milagres, grandes eventos COM MUITO SUCESSO envolvendo todas as suas regiões, que agora são elogiados e invejados. Em 2016 teremos a Olimpieda um mega evento que envolve a nata dos melhores reocordistas e é acompanhado por um público mais seleto. Vamos ter novamente uma grande festa , que recebe a chancela da Copa. O BRASIL COM SEU POVO PODE MUITO MAIS DO QUE ISTO.
Abs.
Álvaro Moreira