segunda-feira, 13 de abril de 2015

Combater a corrupção deve ser o foco

O povo foi outra vez às ruas. Em menor afluência é verdade. Mas, não deixou passar. É a democracia sendo exercitada. Ocorreram, como previsto, manifestações menores. O brasileiro é bem acomodado para essas coisas e gosta mesmo é de novidade sem muito compromisso. Muitos vão por pura gandaia, outros sequer sabem, por certo, o que defender. Há de tudo: protestos e demandas certas, misturadas com as coisas sem sentido.  Pedir o impeachment da presidente e a intervenção militar, por exemplos, é pura sandice. Coisa de quem não sabe focar no certo. Em sendo cometida uma dessas duas opções, ter-se-á um tremendo retrocesso na ordem política e no domínio  econômico do País. O preço a pagar pode ser muito mais alto do que já se paga. É preferível pensar que o povo pedindo mais do que o adequado, ganhe o que lhe seja devido. E que sirva de experiência. Esta, aliás, pode ser uma forma de educar politicamente o povo comum. E com isto, não se defende este governo que está aí. Ao invés disso, manifesta-se o descontentamento com tudo quanto tem provocado todo esse transtorno sócio-poliltico-econômico que vem ocorrendo.
Mas, na tentativa de tirar lições dos clamores das ruas, o que seria bem oportuno é que houvesse uma reflexão nacional sobre o tema da corrupção, já que muitos são os cartazes e as demandas pedindo o fim dessa praga que assola o país. Neste caso o povo tem razão porque, afinal de contas, o Brasil está consagrado mundialmente como sendo “o paraíso dos corruptos”. E não se trata, apenas, desses corruptos agora presos pela Lava a Jato ou pelo Mensalão. Aqui se dá guarida a ladrões e escroques internacionais, entre os quais o mafioso italiano Tomasso Buscetta, o inglês Ronald Biggs e o também italiano, ativista e criminoso, Cesare Batistti, que se refugiaram no Brasil, numa boa e em segurança, fugindo da lei dos seus respectivos países. Ora gente, assim já é demais. A corrupção e a (des)governança, que são “amigas íntimas” neste cenário, grassam de modo descarado no continente brasileiro.
Bom, verdade se diga: tudo isso começa no seio das famílias brasileiras. É uma coisa de berço. Tudo de forma tranquila e  como se nada fosse errado. O brasileiro comum é corrupto, até por esporte: gosta de furar uma fila no banco ou noutro lugar qualquer, suborna um guarda de trânsito para se livrar de uma justa multa aplicada, forja recibos falsos para burlar a Receita Federal na hora do ajuste de contas com o leão, estaciona numa vaga destinada a especiais, rasura documentos pessoais para enganar os tolos, entre outras peripécias.  A meninada cresce nesse clima de blefar e se tornam adultos corruptos de carteirinha.
Essa é a “meninada” que  tempos depois ocupa cargos públicos, muitos dos quais se elegem parlamentares ou executivos de governos, viram magistrados e, com a maior tranquilidade, passam a mão no dinheiro público, mentem descaradamente para os eleitores, “comem bola” para livrar delinquentes da cadeia ou se apropriam de bens apreendidos, produzindo, por fim, uma sociedade de estúpidos ladrões e assassinos cruéis.
Dois casos recentes: quem diria que o Programa de Financiamento Estudantil no Ensino Superior – FIES fosse ser plataforma de sustentação financeira para centenas de escolas mal estruturadas e formadoras de profissionais desqualificados como vem acontecendo em todo país?  E quem diria que o Seguro por Danos Pessoais causados por Veículos Automotores – DPVAT tivesse por trás uma quadrilha de falsificadores, espalhada pelo país, que forja falsos sinistros, atestados médicos mentirosos e registros de ocorrências inexistentes, para receber indenizações, sem que o verdadeiro segurado tome conhecimento?
O que resta, neste clima desolador e diante dos clamores populares, é desejar que um dia – um dia! – surja um Brasil livre de corruptos e ladrões, inclusive estrangeiros, e que o país goze de limpo prestigio internacional. Isto, certamente, não será logo mais. Mas, uma coisa é certa: serão necessárias algumas gerações bem orientadas, com forte esquema de Educação (sempre ela!) com lições e práticas de moral e cidadania, qualidades inexistentes na maioria dos brasileiros comuns dos tempos de hoje. Combater a corrupção (pela base) deve ser o foco.

5 comentários:

Giovanni Bosco disse...

As manifestações deveriam ser, também, contra os desmandos e a corrupção no Congresso Nacional; contra o tamanho da máquina desse Poder, onde um congressista percebe anualmente mais de um milhão de reais e com todas as benesses que bem sabemos. Contra o instituto espúrio do suplente, em todos os níveis.
Giovanni Bosco

Sonia Canavarro disse...

Postagem maravilhosa , concordo com você !!!
Sonia Canavarro

Susana González (Mexico) disse...

Estoy totalmente de acuerdo, si hay políticos corruptos es porque hay un pueblo corrupto. Y se empieza por la gente de más recursos, que creen que todo se soluciona con dinero, de ahí para abajo y desde luego, educación es la solución, pero también leyes anticorrupción. Gracias por tu lectura que también se aplica a México. Besos
Susana González

Susana Gonzalez disse...

Mire: http://www.sinembargo.mx/13-04-2015/1311797
Susana Gonzalez

Alvaro Moreira disse...

PREZADO BLOGEIRO, VAMOS FALAR A SÉRIO SOBRE SEU TEMA. PARECE VERDADE QUE A OPERAÇÃO lAVA jATO PROPORCIONOU AOS BRASILEIROS, POBRES DE ESPÍRITOS, A A OPORTUNIDADE SE IDENTIFICAR OS BANDIDOS DESTE POBRE PAÍS? ACHO QUE NÃO. SÃO LEITORES DO PERIÓDICO FANTÁSTICO iSTO É E ABUSADOS INTELECTUALMENTE PELA REDE GLOBO.NA VERDADE SÃO MASSAS DE MANOBRA DA DIREITA E TORCEDORES DA TEORIA DE MULAS " QUANTO PIOR MELHOR" cOMO SEMPRE vOCÊ NO SEU BLOGUE, TENTENCIOSAMENTE, NÃO CITOU UMA ÚNICA VEZ OS CORRUPTORES DESTE HISTÓRIA,TODOS CARARINBADOS COMO" EMPPRESÁRIOS DA NATA "CLASE PRODUTORA" ESSES SIM, SÃO OS CAUSADORES DE TODOS OS MALES REPUBLICANOS DESTES QUATROCENTOS ANOS DE EXPLORAÇÃO SEM FIM, SOMENTE AGORA DESNUDADOS PELOS PROCESSOS, PORÉM DUVIDO DO CUMPRIMENTO DE PENAS. A HISTÓRIA SE REPETE NOS FATOS. TODAS AS ETÁPAS DA HISTÓRIA BRASILEIRA EXISTEM FATOS GROTESCOS DE EXPLORAÇÃO POR PARTE DAS CLASSES PRODUTORAS SEJA AO ERÁRIO PUBLICO E NA PROPAGAÇÃO DA PROBREZA. ENFIM, VOCÊ SE APRESENTA AO SEU PEQUENO PÚBLICO COMO UM FORMADOR DE OPINÃO, ENTRETANDO, MASCARANDO O PIOR DOS FATOS DA HISTÓRIA. A VIDA É FÁCIL PARA OS SERVIÇAIS DAS ELITE ("O ÓPIODO POVO" GALEANO ).