terça-feira, 21 de abril de 2015

Vexame Internacional, outra vez.

Por mais que eu queira não consigo me livrar, a cada dia, de um novo estimulo para criticar este governo petista de plantão em Brasília. Continuo achando que essa turma além de brincar de governar, se preocupa mesmo é em desarticular a estrutura do Estado que já nem era das melhores. Isto sem falar no descarado rapa que fazem nos cofres públicos.
Esta semana que passou tomei conhecimento do clima de desespero e penúria – por falta de recursos orçamentários – que vive o Ministério das Relações Exteriores - MRE, nosso tradicional e respeito Itamaraty. O Deputado Eduardo Barbosa (MG) apresentou um requerimento ao Ministério do Planejamento solicitando explicações para a redução drástica no orçamento do MRE e que vem provocando vexames internacionais ao Brasil nos quatro cantos do Mundo. Segundo o Deputado falta dinheiro para pagamento de despesas básicas como aluguéis, luz, água e telefone necessários para o bom funcionamento das representações diplomáticas do país. Tem mais: atrasos nos pagamentos de salários aos oficiais de embaixadas que, por conta disso, têm que se virar para se sustentar em cidades caras, como Nova York, Tóquio ou Paris. Sendo objetivo o parlamentar frisou que a situação pode se agravar daqui prá frente considerando que o Ministério administrou com um orçamento de R$ 2,6 Bilhões em 2013 e um pouco mais que isto em 2014. Mas, para este ano a previsão é de apenas R$ 2,4 Bilhões. É uma redução significativa diante do aperto que se vive nesses últimos exercícios. Tem embaixada e consulados que não dispõe de verba para, sequer, comprar papel higiênico. São números que podem surpreender a um leitor menos avisado. Porém, garanto que é perfeitamente compreensível diante da estrutura mantida e do protagonismo brasileiro no cenário da diplomacia internacional.
Ora, meu Deus, o Brasil sempre se destacou, diplomaticamente falando, nos meios internacionais. A Escola da diplomacia brasileira goza de imenso prestigio em todos os importantes países e continentes. Aliás, o Itamaraty é uma referencia e escola de diplomatas para um sem número de países. É um nome respeitado dentro e fora das nossas fronteiras.  Fora isto, é de se frisar que aos diplomatas brasileiros e às suas principais casas no exterior devem-se inúmeros sucessos políticos e comerciais. E isto não é de hoje. Ao contrário tem sua referencia histórica consolidada pelo Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores durante dez anos, de 1902 a 1910 ano no qual faleceu.
Mas uma coisa se diga: foi o governo do PT que armou essa arapuca para nosso Itamaraty. Lula, com intuito de ampliar a presença do Brasil no cenário internacional resolveu abrir representações diplomáticas por todo lado, sem que tivesse o cuidado de traçar critérios que justificassem político e economicamente cada uma dessas. Durante oito anos de governo Luiz Inácio abriu 77 novos postos diplomáticos no exterior, 47 dos quais em países que não possuíam qualquer representação oficial, sobretudo na África e America Central. Por conta desse “espasmo diplomático” o Brasil tem hoje embaixadas em lugares remotos como São Cristovão e Névis (Você já ouviu falar deste país?), Coréia do Norte (já pensou?), Burkina Faso e Antigua e Barbados. Francamente, é preciso ser muito alienado para cometer tamanha imprudência. O resultado prático está instalado: despesas dobradas, pouca grana, dólar em alta, ajuste fiscal, Ministério à míngua e tradicional diplomacia capenga.
Naturalmente devem dar prioridade às representações mais proeminentes e de maiores interesses político e economico. Conheço algumas dessas casas – Roma, Paris, Lisboa, Tóquio, Buenos Aires (vide foto a seguir), Montevidéu e Santiago, entre outras – que requerem gordas verbas só para
manutenção dos imóveis. Agora, por outro lado, a Embaixada de São Cristovão e Névis (foto abaixo) deverá passar, logicamente, por um aperto sem tamanho, embora sua modesta instalação. Pudera, um lugar remoto, ilhota perdida no meio do Caribe, sem qualquer expressão econômica, com aproximadamente 50 mil

habitantes e onde vivem, apenas, 3 brasileiros. Faz sentido? Diga mesmo! A capital é uma cidadezinha denominada Basse-Terre (vide foto a seguir). Detalhe: além do Brasil existem, nesse país, somente três outras embaixadas, que são as de Cuba, Venezuela e Taiwan. Isto explica alguma coisa, não é?

Vá entender o que esses petistas têm em mente. O Brasil não merece tamanho vexame internacional. De Gaulle, como antes, teria razão.

Nota: Fotos obtidas no Google Imagens.

12 comentários:

Adierson Azevedo disse...

Excelente post do amigo Girley Brazileiro, um dos melhores brasileiros que Pernambuco já produziu para o Brasil. Na minha opinião, o lugar dele deveria ser o ministério ocupado indevidamente por alguém que não entende de desenvolvimento, de indústria, e nem de comércio exterior!!!
Infelizmente, esse governo petralha e seus ministros só me fazem lembrar dos violinistas do Titanic que tocavam belos hinos enquanto o barco afundava!!
Vale a pena ler essa coluna!
Adierson Azevedo

Girley Brazileiro disse...

Amigo Adierson assim é exagero. Obrigado pelo elogio. Não mereço tanto...

Jussara Monteiro disse...

Mas que casa agradável...essa da embaixada de São Cristovão e Nevis.
Jussara Monteiro

Jussara Monteiro disse...

Casa do ócio. ???

Girley Brazileiro disse...

Isto mesmo! Não tem nada
para se fazer por lá. Um embaixador ganha, em media, R$ 37.000,00 por mês e, lá, não sabe o que fazer com o dinheiro.
GB

Jussara Monteiro disse...

Quem ganha isso sabe, Girley. A gente q ñ sabe. Kkk

Adierson Azevedo disse...

Amigo Girley Brazileiro, exagero seria não reconhecer o talento literário e técnico do amigo. Aliás, sigo um ensinamento de meu pai: Não sei se é dele mas ele me ensinou o seguinte: "elogie em público e critique em particular".........kkkkkkkkk O inverso disso faz o PT...........kkkkkkkkkkkkkkk
Adierson

Adierson Azevedo disse...

Enquanto isso, não sei se você e Jussara Monteiro sabem mas o consulado brasileiro em Londres, parece-me, foi despejado por falta de pagamento do aluguel.
Adierson

Girley Brazileiro disse...

É verdade Adierson. Mas outras representações, mundo afora, estão em situação semelhante a de Londres. E o Ministério das Relações Exteriores está cheio de pruridos para "botar a boca no trombone". É uma vergonha. Aí eu pergunto: como promover um país que se revela como péssimo pagador, sem honrar contratos e seus representantes vivem em apuros. Fazer promoção comercial deve ser impossível.
GB

Jussara Monteiro disse...

Em tempos estranhos e da redes virtuais, eu só queria uma rede do Ceará lá nessa varanda de S. Cristovão e Névis, pra curtir e compartilhar a beleza e a preguiça.
Enquanto nossos débitos crescem. Mesmo sem a gente comprar nada.

Adierson Azevedo disse...

É verdade Jussara Monteiro....kkkkkkk Vou rir pra não chorar......kkkkkkkkk
Adierson

Jussara Monteiro disse...

Lembre-se. Estamos literalmente no vermelho. RESpeito muito minhas lágrimas, ainda mais Minhas risadas.
Mas concordo ta absurdo demais.... Eu entrei numa de quarta-feira de cinzas. Depois volto a preocupação. Mas q essa varanda é.....