quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Rezar com Fé

1 - A festa acabou... perus, panetones e espumantes fizeram nossas alegrias da semana passada. Tudo extremamente fugaz, mas compatível, com a imediata retomada da vida cotidiana, que, a rigor, nem parou. Nem, ao menos, houve tempo para a cura da ressaca do réveillon e lá estava a vida voando e transmitida ao vivo e a cores pela TV: sai o velho governo, entra o governo novo, embora que com as mesmas caras e a renovação das velhas preocupações pessoais e coletivas, quase todas velhas e repassadas, preocupantes e caras. Promessas batidas e utópicas, pura retórica. Tomadas de per si as promessas são sedutoras. Se concretizadas transformariam as próximas festas de fim de ano em reais acontecimentos.
Pois é, desde o dia primeiro do ano, D. Dilma já manda desde Brasília. O fuxico por lá está grande. PT e PMDB se engalfinham na disputa do poder e, principalmente, pela grana que o contribuinte deposita, a toda hora, nos cofres da Fazenda. Até ameaças já rolam. Querem fazer de bolinha a Presidenta. A probrezinha, que dizem foi boa estudanta, termina, desse jeito, ficando doenta. Opa! terminei criando uma porção de maluquices ao tentar rezar pela gramática dela. Em bom e correto português, toda palavra que termina em ente, fica inalterada para designar qualquer dos dois gêneros. Exemplos: o paciente, a paciente; o doente, a doente; o estudante, a estudante; o presidente, a presidente.
Presidente ou Presidenta o que importa é que ela seja firme na condução do Governo. Os desafios, ela já deve saber, são imensos: com as possibilidades da continuação do crescimento econômico, resta saber como equacionar os cruciais gargalos da atual conjuntura. A infra-estrutura, por exemplo, está capenga e sucateada e a escassez de mão de obra qualificada é incomensurável. Recentemente, ouvi falar num termo novo, e que logo mais vai se tornar corriqueiro, que é o tal do apagão da mão de obra. E é verdade! Aqui em Pernambuco falta pessoal adequado para atender as novas demandas do boom no setor industrial local. Nem motorista de caminhão tem na praça. Estão "importando" do Sul, a peso de ouro. Falta gente qualificada aqui e falta no resto do país. A formação profissional, seja média ou superior, foi tema relegado a um segundo plano pelos governos. Faltam engenheiros no Brasil. Estima-se que as escolas estejam formando menos da metade do que formavam há dez ou quinze anos. Justo num momento em que esse tipo de profissional se torna tão necessário.
Voltando à infra-estrutura a coisa é quase uma calamidade: os aeroportos estão saturados, os portos andam "afogados" diante dos super volumes de carga e descarga. As estradas, meu Deus, nem se fala. Estas já não são quase, e sim verdadeiras calamidades.
Por outro lado, há uma preocupação profunda com as ameaças de volta da inflação, dados os fortes sinais constatados ao final do ano de 2010. E o Dólar? É outra ameaça. A moeda norte-americana perde valor por todo lado, é verdade, mas no Brasil a repercussão pode ser desastrosa. Vamos rezar para D. Dilma acertar no alvo.
2 - Fugindo da overdose televisiva de D. Dilma e percorrendo as ruas do Recife, constatei que este ano a decoração natalina foi mais caprichada. Comparada com as dos anos recentes, foi esplendorosa. Inovaram, com iluminação moderna e colorida. A Avenida Agamenon Magalhães, por exemplo, está muito bonita. Para essa artéria, o ideal é que se conserve a iluminação indireta das árvores numa forma permanente. A cidade merece. Foto a seguir. O bairro do Recife Antigo teve um capricho digno, assim como a Avenida Boa Viagem. Finalmente tomaram vergonha. Quem sabe, agora, esqueçamos a decoração feita de trapos e tiras de plástico azul e encarnado – vergonhoso retrato vivo da roubalheira municipal – assim como as ridículas espadas de Jedai (acho que é assim que se escreve) de um ano mais recente. Agora tem uma coisa imperdoável: faltou uma boa limpeza na cidade, que continua cada vez mais suja. A coisa mais incrível foi que, posicionaram fortes refletores sob as pontes da cidade, deixando o lixo entulhado lá em baixo. Na ponte do Parque Amorim, por exemplo, quando a maré enche, as águas do canal sobem de nível, o lixo bóia e a iluminação feérica dá realce à sujeira. É dose... Uma vergonha. Sujeira, de preferência se limpa. Iluminá-la, nunca. O Recife, então, ficou como aquela mocinha bem maquilada, perfumada e bem vestida, com calçinha e sutiã em deplorável estado de sujeira.
Além de rezar para D. Dilma, lembremos do Prefeito João da Costa, nas nossas orações, rogando que ele acerte no alvo, também. É uma lástima, só nos resta rezar e com muita fé. Que jeito?
NOTA: As fotos foram obtidas no Google imagens.

8 comentários:

Hugão disse...

Hilário mas é assim mesmo. Gostaria de ter escrito este artigo. Meu abraço. Hug

Baiano da Nigeria disse...

Prezado Girley,
Parabens pela primeira postagem do ano!! Finalmente, alguem para corrigir mais esse absurdo vernacular que, agora, assume carater mais grave. Antes era um metalurgico “anarfa” (errei por vontade propria – ah, esse meu teclado nao tem com acentuar, ok??). Agora uma economista posgraduada (sei la onde!!!) cria a prorpia grife ao arrepio das normas gramaticais... E la se comprometeu a cumprir a Constituicao!!! La esta que nossa lingua e o Portugues e, consequentemente, na gramatica correta!!!! Rsrsrs
Porem, indo direto ao assunto, quero lhe chamar a atencao para o ultimo resultado do exame da OAB de SP como exemplo do apagao educacional brasileiro. Nossas faculdades estao formando um bando de incapazes e analfabetos funcionais. No passado, brinquei dizendo que os diplomas deveriam ser substituidos por feixes de capim e ferraduras. “Ferrar” antigamente, era por um simbolo da Escola Superior de Guerra, no uniforme dos militares nela graduados. Hoje o termo seria bem aplicado na troca de sapatos, sandalias e tenis por ferraduras bipedes para a grande maioria de nossos graduados “superiores”.
Mas o apagao comeca mais cedo, no ensino fundamental e segue adiante. Nossas criancas e adolescentes estao sendo “afogadas” no estudo de materias inuteis no tempo e no espaco. A coisa vai ficando pior a medida que se passa de ano. Estudei todo o meu primeiro grau maior e segundo grau nos Estados Unidos. Estudei numa escola publica integral onde todas as materias tinham aula todos os dias da semana. Eram apenas 5: Ingles, matematica (englobando todo estudo da matematica de forma sequencial e nao paralela), ciencias (englobando todas as ciencias de forma sequencial e nao paralela), estudos sociais (historia, geografia, governo americano, de forma sequencial e nao paralela), 1 eletiva (podia ser esportes, artes, economia domestica, profissionalizante como automecanica, etc.). Quem tivesse notas maiores, podia adicionar mais disciplinas para avancar no grau que estudava.
Ora, aqui os alunos sao mandados serem eficientes em 7, 8, 10, 12 materias, muitas delas, desnecessarias a vida e ao desenvolvimento tecnico. Olha, eu sou religioso, mas nao acho ser necessario obrigar alunos a estudarem religiao na escola. O mesmo digo da Fisica, Quimica, Biologia, etc. Todas disciplinas fantasticas mas desnecessarias no tempo e no espaco. Afinal, o que um cabelereiro vai precisar de fisica (ou quimica) que nao aprenda no dia-a-dia?
Portanto, minha opiniao e que a coisa e mais seria que muita gente pensa!! Veja o resultado: nunca ganhamos um Premio Nobel e Oscar fui uma raridade!!! Os resultados dos exames internacionais comparativos mostram nossas universidades e ensinos fundamentais e medios na rabeira do mundo!!
Desse jeito, a realidade atual nao passa de cronica de uma morte anunciada.
Abracos Nigerianos.
Baiano (Nigeria)

Angela da Cunha Barreto disse...

Bom dia, meu caríssimo amigo Girley!!!
Com ansidedade, aguardei receber o seu primeiro artigo de 2011, até que afinal ele me chegou nesta manhã de quinta-feira, abrindo um leque de significativas críticas positivas e negativas. Sobretudo com referência à imundice da nossa linda cidade, fruto da péssima administração do atual prefeito e de seus agregados.No seu próximo artigo, não esqueça de abordar a caótica situação das nossas calçadas.
Só nos resta rezar para que termine logo a gestão do João da Costa e que o Recifense aprenda a votar certo. Quanto à "presidenta", rezarei, com fervor para que,pelo menos, metade das promessas feitas no dia da posse sejam cumpridas.
Muito grata pela sua atenção desta primeira remessa, vou ficar aguardando o seu próximo artigo.
Com admiração e grande apreço, te envio um afetuoso abraço.
PARABÉNS PELO EXCELENTE ARTIGO.
ÂNGELA CUNHA BARRETO

Jorge Morandi disse...

Caro Girley:

¿porqué tanto pesimismo?. ¡Relaxa e sorrie, meu caro!.
Dilma será una grande PRESIDENTA, de la misma manera que Lula fue un gran PRESIDENTE. Y lo será no porque "recen" los descreídos, sino porque es una mujer capaz, comprometida, y con una gran sensibilidad social. Creo que será una buena parceira de Cristina, nuestra PRESIDENTA, y juntas consolidarán la integración argentino-brasileira y del MERCOSUL, que iniciaron Lula y el inolvidable NK.
Parabéns pelo blog.
Abraço

Ana Maria Menezes disse...

Meu amigo, o melhor seria não postar nenhum comentário porque você sabe que os desmantelos (sujeiras e o escambau) que reinam na nossa cidade não sei se um dia haverá solução. Já vistes o lixo que é essa "feirinha da Pracinha de Boa Viagem? Te deste conta da "beleza" que é a via de acesso à praia de quem sai do aeroporto? Caos total. A "feirinha" um lixão disfarçado. Que levem os feirantes para outro local mais arrumado (sei que precisam ganhar o pão) mas da maneira que está tudo aquilo é de fazer dó. um beijo ana maria menezes

Ericka Felix disse...

Girley,
Sou uma leitora frequente das suas postagens, mas que nunca ousou se manifestar.
Gostaria de parabenizá-lo por sua habilidade formidável em escrever textos tão bons, cujos temas são sempre adequados ao momento que estamos vivendo.
Vamos todos rezar e trabalhar para que 2011 seja um ano muito Feliz!!!
Um grande abraço.

Danyelle Monteiro disse...

Boa tarde professor Girley,
Realmente a decoração de Natal desse ano foi belíssima, capricharam nas cores, nas luzes... adorei as estrelas da Agamenon Magalhães, as quais também observei durante o dia... parecia de material reciclado, pet talvez, bem atual e interessante... pena que logo essa época passa e aí fica só o lixo mesmo... que aliás, está cada vez pior, porque além do lixo em si, as ruas fedem, as pessoas cospem, fazem xixi e outras coisas mais... Êta povo mal educado, depois reclamam que os rios tais transbordaram, q o morro não sei o q caiu e etc... na minha concepção deveria ocorrer imediatamente um programa de educação ambiental, com forte apelo na mídia e aulas obrigatórias em toda rede estadual e municipal... agora que abriu uma empresa que compra lixo para revender às outras indústrias perto da minha casa foi que tive uma idéia mais concreta do quanto eu sozinha poluo o planeta... só de plástico e papel, materiais com os quais essa empresa trabalha, é muita coisa... ou seja, a maior parte de nosso lixo doméstico serve para ser reciclado, poderia está gerando renda para um monte de desempregados e despreparados, excluídos de nossa sociedade por falta de oportunidades... inclusive, essa empresa paga um salário mínimo e uma cesta básica para seus funcionários, os quais possuem suas CTPS assinadas... eu sou tão idiota que tava com dificuldade de entender e ficava insistindo numa concepção de cooperativa de catadores de lixo...
Ainda não entendo porque que aqui não temos coleta seletiva, porque nem adianta separar o lixo na maioria das residências, pois o caminhão do lixo não recolhe separadamente, misturam tudo e jogam nos aterros... tenho até medo de conhecer o resto do Brasil, principalmente o sul e gostar tanto de lá e não querer mais voltar... é muito triste mesmo e como já dizia meu querido Chico Science “Da lama ao caos, do caos a lama...” ou então “quando a maré encher, quando a maré encher, tomar banho de canal quando a maré encher”... só que eu não quero tomar banho de canal... , temos que aproveitar economicamente nosso lixo, pois até o lixo é dinheiro e não é pouco não...
Grande abraço,
Danyelle Monteiro

Cristina Henriques disse...

Girley
Feliz e correto,além de próspero 2011.
Redundância comentar você
Acredite - meus filho e eu e alguns seletos amigos fazemos diferente a cada ano,não entramos nessa linha estressante.Só voltamos à superficie depois de 4/5 dias do vuco-vuco.
Ano passado foi Goias,SP.Esse ano foi praia do litoral Sul
Nem estresse de compras,de alimentos,de mesas 'engordiet'
Só praia,agua de coco,cerveja,churrasco,verde,sol e mar.
Será assim doravante,ao máximo possivel.

Ma. Cristina Henriques