sábado, 22 de janeiro de 2011

Pernambuco tocando para o Mundo

Os jornais deste sábado (22/01/11) trazem com muito alarde as surpresas do resultado do exame do vestibular deste ano, na Universidade Federal de Pernambuco. Entre os dez primeiros classificados, oito são oriundos das escolas públicas e, o mais surpreendente é que os primeiros colocados não são para as tradicionais carreiras da Medicina, Engenharia ou Direito. O primeiro lugar foi conquistado por um jovem, que escolheu a carreira de Musico! O rapaz é de origem humilde, saído da desacreditada escola da rede publica e filho de uma empregada doméstica, da região metropolitana do Recife. Isto revela uma mudança no perfil do novo estudante de curso superior.
Na minha época de entrar na universidade foi um dilema. Fiz teste vocacional. Não me convenci do resultado. O avaliador me dizia que eu tinha vocação para ser professor. Mas, de que, meu Deus? Antes, eu teria que escolher uma especialidade, para depois ensinar aos outros. Veja que rolo. Queria fazer Arquitetura. Submeti-me ao vestibular. Não fui aprovado. A concorrência era das mais duras: nove candidatos para uma vaga. Levei bomba na prova de Física, matéria que foi meu “calcanhar de Aquiles” no curso secundário.
Por sorte, foi tempo em que fui estagiar na SUDENE, onde comecei a ouvir e me encantar com a carreira de economista. Os economistas que já andavam por lá, eram verdadeiros deuses. Foi as contas... Fiz vestibular e fui aprovado num dos primeiros lugares. Como não tinha prova de Física, foi uma barbada. Deu certo. Aquilo foi um tempo em que novas profissões despontavam no leque de opções e Economia era uma delas. Engraçado que, num belo dia, virei Professor, na escola de Economia da UNICAP, onde me formei! Deu certo. Fui até paraninfo de turmas! Saiu, então, como mandava o teste vocacional.
Mas, não é sobre isto que quero falar. Quero destacar o fato de que sendo o campeão deste ano, no concurso de vestibular, um aluno para a Escola Superior de Música, noto que as coisas estão mudando prá valer. Segundo entrevista do Diretor do Conservatório Pernambucano de Música, sobravam vagas, para o curso superior de música, no passado recente. Agora as vagas são disputadas. Vejam só! Os jovens pernambucanos estão descobrindo um novo nicho profissional. Ser musico, tempos outrora, era passaporte para uma vida na pobreza e, por fim, “morrer de fome”. Assim como professor. Eu mesmo arreneguei a idéia de viver de sala em sala, em colégios retrógrados, tentando meter informações – sei lá quais – na cabeça de jovens desligados e, a maioria, pouco interessados em estudar.
O que está acontecendo agora, aqui em Pernambuco, é o resultado de iniciativas e esforços, de almas abnegadas e idealistas, mestras da musica e dispostas transformar este pedaço de Pindorama num seleto pólo de virtuosos músicos. Ditas iniciativas se multiplicam e, para alegria geral dos amantes da boa música, Pernambuco já se consolida como um autêntico celeiro de bons profissionais do ramo. Tudo graças aos esforços de nomes como Ana Lucia Altino e Rafael Garcia, (Foto ao lado) idealizadores e executores de vários e estrondosos festivais – Virtuosi Internacional, Virtuosi Brasil e Virtuosi na Serra – Vide http://www.virtuosi.com.br/ , do nome de Cussy de Almeida, glória da música pernambucana, que antes de falecer, ano passado, deixou um dos mais belos legados, através da Orquestra Cidadã, com os Meninos da favela do Coque, tirados da rua e livrados do circuito das drogas, para serem aplaudidos no Brasil inteiro, o Festival MIMO de Olinda, o talento da garota Cristal, (foto a seguir) que assombrou o Brasil e a Europa, com seu estrondoso talento nas teclas do piano, que, aliás, não tinha. Moradora da periferia pobre do Recife e sem um próprio instrumento despontou de repente e emocionou o mundo. Uma beleza puramente pernambucana. Tudo isto sem falar nos inúmeros valores da Orquestra Sinfônica do Recife, dos que vivem a Orquestra Jovem e outros tantos talentos que esperam na fila, para adentrar ao mundo do sucesso.
Bom, nisso tudo não se pode deixar de lembrar nomes pernambucanos – que servem também de exemplos e modelos – e que, há muito tempo, já circulam no grand monde da música erudita internacional, entre os quais: Marlos Nobre, os irmãos Rafael e Leonardo Altino e o fenomenal violoncelista Antonio Menezes (Foto acima). São quatro grandes nomes da musica erudita pernambucana tocando para o mundo. Fora eles, são muitos que ainda vivem no anonimato. Como amante da boa e verdadeira musica, fico feliz, com esse resultado de vestibular. É Pernambuco tocando para o mundo. Visse?
NOTA: Fotos obtidas no Google Imagens

10 comentários:

Ana Maria Menezes disse...

Girley meu amigo, adorei o "visse". Hoje saiu uma carta minha no Jornal do Comercio de "amanhã" Claro aqui eu acho que é o único lugar no mundo onde se pode ler as notícias - do dia seguinte -"visse" ? Depois dizem que não somos adiantados! Um beijo
ana maria menezes

Baiano disse...

Prezado Girley,
Estava vendo, no Diário desse sábado, da proeza desse rapaz, 1º lugar no Vestibularm e dos 8 componentes da escola publica entre os 10 primeiros lugares do referido exame.
Como "alegria de pobre dura pouco", fiquei sabendo da manipulação dos resultados com toda uma formula maluca para favorecer, através de pesos, os alunos de escolas públicas.
Olha amigo, seria ótimo que a escola pública voltasse à qualidade que tinha quando eu era criança. Mas a verdade cristalina é que está longe disso. Aliás, o ensino fundamental e médio nesse país não suporta um teste internacional comparativo. Sempre estamos péssimos em disciplinas como matemática.
No papel, nosso curriculo basico com Física, Química, e Biologia, deveriam colocar nossos alunos no topo da eficiência universitária posterior. Mas a prova é que nunca, nunquinha, ganhamos um Nobel de qualquer coisa, ainda que fosse da Paz ou da Literatura. A desculpa conveniente é que sempre há manipulação. Será mesmo?
A estrutura de ensino atual é mediocre seja publica, seja privada. Criaram um tal de aluno-cliente que "constroi" a seu tempo seu proprio ensino e que vão às favas o padrão de exigência que construiu toda nossa realidade até aqui.
Tomara que Pernambuco toque realmente para o mundo algo de valor, algo virtuoso. Pois vestibular, não é um fim em si mesmo. E não tem manipulação que mude o resultado da vida.
Abraços Nigerianos.
Seu amigo Baiano

Ana Lucia disse...

Gostei muito de sua coluna. Esse resultado da UFPE é realmente polêmico. Como esses meninos chegaram lá, não sei. Mas foi bom para dar uma mexida bem dada nos tradicionais cursinhos....

Beijos
Ana Lucia

Luciana Altino disse...

Ótimo - adorei o seu artigo e, claro, os alunos de música no vestibular da UFPE.
Beijos
Luciana Altino

Carlos Antonio Domingues disse...

Eu tambem estou feliz com resultado. carlos antonio domingues

ana disse...

É, quem nao fica feliz com uma noticia dessa, a gente pensa logo
que vai voltar o tempo que éramos jovens que as escolas publicas eram ótimas e os jovens queriam tb eatudar mais, mas acho q sóacontece isso de vez em quando pra gente lembrar e ficar feliz e recordar nossa época. eu nao fiz curso superior mas sou de uma familia de 9 irmaos, que na época filhos de pedreiro(que hoje é aposentado federal da saúde, conquistado por muito esforço e decencia)fizeram curso superior de ciencias contabeis(3), jornalismo, direito(2), letras,administração, pelo menos 3 passaram em primeiro, e terceiro lugar no vestibular(que nao dava premios como hoje) e todos de escola publica e muito pobre, só tinha mesmo a comida. Parabéns pra essas pessoas e esse rapaz em especial. E vamos torcer para que as escolas publicas do nosso pais mude para melhor. Parabéns pelo seu blog. Abraços

Joselita Tavares disse...

Girley, tenho um sobrinho que enveredou por este belo caminho da música. Vive no Conservatório onde já fez vários cursos e participa sempre das atividades de lá. Começou com teclado, fez violão clássico, apaixonou-se por flauta e até pela "sanfona" ela já está caminhando Mas, o seu forte mesmo é a flauta.
Adorei os comentários que você fez sobre o momento do vestibular. Vamos ver se com a música nosso futuro melhora.
Abraços, Joselita Tavares.

Susana González disse...

Que lindo que ves tu país hermoso, porque lo es, y tu cualquier cosa que hubieras realizado serías destacado, porque yo te admiré desde que te conocí, sabía que eras un hombre triunfador. Cada uno de tus escritos lo confirma, pero cuando eres optimista en tu comentario, lo eres aún más.
Besos
Susana González

Danyelle Monteiro disse...

Boa noite professor,
Realmente é de emocionar um resultado desses, fiquei muito feliz... que venham músicos, professores, engenheiros, médicos, economistas, pois o nosso Brasil tem dimensões continentais e precisa de bons profissionais... o melhor de tudo foi saber que se trata de um filho da classe pobre do nosso Estado, que venceu pelo próprio esforço e competência. Que a mudança continue ocorrendo e que mais e mais ocupem essas vagas que aliás, são de direito deles.
VISSE?
Grande abraço,
Danyelle Monteiro

Angela Barreto disse...

Girley,
CALOROSOS PARABENS, AMIGO GIRLEY, PELO SEU "´PERNAMBUCO FALANDO PARA O MUNDO". DEVERIA SER PUBLICADO NAQUELE TWITTER DE NAZISTAS, ONDE ALGUNS BRASILEIROS IGNORANTES DE SÃO PAULO ESCREVERAM QUE NORDESTINO É "COMEDOR DE RATOS", E QUE "MERECE SER AFOGADO, PARA SUMIR DA FACE DA TERRA.
ABRAÇOS MEUS
ANGELA BARRETO