sábado, 20 de junho de 2015

As Pedaladas de Dilma

“Não me diga que vai também criticar, no seu Blog, a presidenta Dilma porque ela tem pedalado uma bicicleta pelas ruas de Brasília!” Foi desse modo que recebi um cumprimento de um conhecido, esta semana. Fiquei meio confuso na hora e, prontamente, respondi com uma enfática negativa: “eu jamais faria isto, rapaz. Tá doido... Ela tem todo direito de escolher qualquer forma de relaxar e, por mim, ela deve andar de bicicleta abertamente e numa boa. Acho que pode até contribuir para a melhoria da baixa popularidade e com o regime de emagrecimento ao qual está submetida”. A reação do meu interlocutor foi mais inesperada ainda: “você não acha uma absurdo essas criticas maldosas dizendo que ela deu umas pedaladas irregulares e fora da lei? E deram trinta dias para ela se explicar!”

Meio perplexo conclui logo que meu interlocutor estava misturando “alhos com bugalhos”. O cara confundia a saída que D. Dilma deu numa bicicleta, nos arredores do Palácio da Alvorada, em Brasília, com as chamadas Pedaladas Fiscais. Tive vontade de rir. Mas, respeitosamente contive-me. Ao contrário disso, pus-me a refletir sobre o grau de informação que recebe ou que tem o cidadão comum deste país. Cheguei à conclusão que esse tipo de coisa é bem mais frequente do que se imagina. Eu acredito que a maioria esmagadora dos brasileiros nem de longe sabe o significado dessa coisa denominada de Pedaladas Fiscais. E veja bem, incluo, nesse estrato social, brasileiros supostamente ilustrados. Nem de longe penso nos pobres coitados que habitam os rincões distantes e esquecidos deste imenso Brasil. Não é o caso do interlocutor acima relatado, pois é um cara relativamente ilustrado, bom esportista, gente bem prá caramba, porém, meio desavisado ou precipitado nas interpretações políticas. Coitado... Vai ver não pega num jornal. Ou pega somente as páginas de esportes.
Deixando de lado o disparate do conhecido, aproveito para comentar sobre essa coisa das pedaladas fiscais que será, certamente, motivo de muitas discussões por vir, embora não seja nenhuma novidade. Os Governos, de um modo geral, cometem esse erro historicamente. Agora se sabe melhor por conta da arrumação dada pela Lei de Responsabilidade Fiscal que impôs mecanismo de forma mais rigorosa. Na prática, o negócio ocorre quando o Tesouro Nacional atrasa os repasses para as instituições financeiras oficiais ou privadas encarregadas de financiarem despesas do Governo com benefícios tipo Bolsa família, benefícios da Previdência Social, seguro desemprego, subsídios em geral e por aí vai “livrando a cara” do Governo em honrar as dívidas com a sociedade, esperando receber depois o que desembolsou. Ao Governo resta o ônus de ficar devedor dos Bancos. Uma dívida que, ultimamente, vem sempre aumentando. Só que os analistas dos tribunais interpretam essas manobras como sendo operações de crédito, isto é, como se o Governo houvesse tomado empréstimos aos bancos oficiais, o que é terminantemente proibido pela Lei da Responsabilidade Fiscal. 
Entre 2012 e 2014, segundo o Tribunal de Contas da União – TCU, a bolada envolvida foi de R$ 40,0 Bilhões. Esse artifício contábil, que vem a ser exatamente a tal da Pedalada Fiscal, ajudou o Governo na maquiagem das contas públicas a cada ano. Agora porém, “a casa caiu” porque, em 2014, a arrecadação do Tesouro diminuiu em função da desaceleração das atividades econômicas e das reduções de tributos concedidas (IPI de automóveis, linha branca, móveis, entre outras) e o Governo gastou aos tubos com a eleição (faço ideia!) e teve que ajudar o setor energético. Faltou grana para repor os custos das pedaladas. Gastou mais do que arrecadou. Pior que, mesmo pedalando, o Governo terminou o exercício sem fechar as contas e foi pedir “penico” no Congresso Nacional ao enviar um projeto de Lei alterando os objetivos antes aprovados. Mas, o TCU “pegou na virada” e caiu em cima do Governo Dilma. Agora, ela vai ter que deixar de pedalar uma bicicleta nas ruas de Brasília e trabalhar mais para explicar as pedaladas fiscais que cometeu. Meu palpite: vão dar um jeitinho bem brasileiro para preservar a governança e o poder. Pode ser providencial... Temo que o caldo entorne.
Ah! Antes que me esqueça: tomara que meu amigo comece a entender que cada coisa é uma coisa diferente. Que coisa!


NOTA: Foto obtida no Google Imagens 

7 comentários:

Cristina Carvalho disse...

A mídia não escreve, nem fala para o povão; e compreensão de texto é uma dificuldade até para os "letrados", amigo. As pedaladas financeiras da "grande chefe" são vistas como implicância dos oposicionistas e/ou nem são nada a não ser "pedalar de bicicleta", na santa inocência dos desinformados para dizer o mínimo: o que tem demais em andar de bicicleta? Me poupe que não aguento mais tanta sujeira e impunidade, que no fim esborra para nós pobres mortais que pagamos as contas. Gostei do texto.

Ivan Pedrosa Maia Gomes disse...

É ridículo essa elefANTA fantasiada de atleta. Vai pra Cuba Dilma, e nos deixa em paz!
Ivan Pedrosa Maia Gomes

Adilson Carneiro disse...

ESSA MAU CARATER, acabando com o povo brasileiro e mandando nosso dinheiro para outros paises. sua criminosa.
Adilson Carneiro

Ana Fernandes de Souza disse...

Cunhado ,sem comentários rsrsrs ..
Ana Fernandes de Souza

Giovanni Bosco disse...

Eu pegaria TODOS os políticos, incluindo aí o José Agripino, o Aécio, o FHC, o (sepulcro Caiado), o horroroso do Aloysio Nunes, e mais um bocado desses safados, juntaria tudo numa mesma prião. Todos, confiscando-lhes todos os bens amealhados com o suor, o sangue e as lágrimas dos brasileiros. Mas quem os substituiria? Quem, já que TODOS tem rabo preso de alguma forma?
Giovanni Bosco

Marco Buonora disse...

Meu Caro Girley,
Gostaria de questioná-lo sobre o resultado fornecido pelo TCU. Entendo que o ilícito tenha efetivamente ocorrido visto que as contas da presidência foram autitadas. Sendo verdade, restaria tão somente seguir os trâmites legais, como desaprovar as contas e submetê-las ao congresso, etc. O que não entendo é a "bondade" de oferecer 30 dias para o agente (ou a agenta) público se explicar!!!??? Explicar o quê? Os motivos que a fizeram ignorar a LRF? Ignorância minha, pois desconheço os trâmites, ou seja, uma boa desculpa pode apagar todo o ilícito? Imagino que a fase de defesa deveria ser outra.

Girley Brazileiro disse...

Pois é Marco, por que esses 30 dias? É uma pergunta que não cala. Mas, é aquilo que falei: "vão dar um jeitinho bem brasileiro para preservar a governança e o poder".
Ah! neste caso deve ser mesmo "a agenta" KKKKKK
GB