sábado, 28 de dezembro de 2013

Espelho Retrovisor

O ano acabou. Não sei se você, caro leitor ou leitora, teve a mesma sensação que eu tive, de que passou muito rápido. Quando menos se esperou, terminou. O pior é que todos acham que 2014 será mais rápido ainda. O carnaval vai ser em Março, depois vem a Copa do Mundo e em seguida o país só vai pensar nas eleições. Fora Páscoa, Festejos Juninos e outros eventos menores. Dois meses de folia, um de futebol e mais outro, pelo menos, de disputa eleitoral. Ou seja, a rigor, vamos ter um ano de oito meses. Paciência.
Mas, neste apagar de luzes de 2013, resolvi olhar um pouco pelo meu espelho retrovisor e enxergo algumas coisas que marcaram nossas vidas e o mundo: logo no inicio tivemos a tragédia de Santa Maria (RS), na qual mais de duzentos jovens perderam a vida no incêndio da boate Kiss. Até hoje o Brasil chora essas perdas. Aquilo foi desolador. Imagino o sofrimento dessas famílias.
Um segundo fato que chamou a atenção do mundo inteiro foi a renúncia de Bento 16 ao Pontificado de pouco menos de oito anos. Eu estava em Nova York, naquela ocasião, e pude avaliar a imensa repercussão no mundo inteiro. Quem já viu um Papa renunciar? Ato contínuo, a ascensão do substituto, o carismático Papa Francisco. Se a retirada de Bento foi surpreendente a chegada de Francisco resultou noutra imensa surpresa por se tratar, inclusive, de um latino-americano.  Desde o primeiro momento o novo Papa se revelou como uma grande novidade em se tratando do que se chama, corriqueiramente, de Santo Padre. Simples em atitudes, chegado ao povo e, sobretudo, muito humano. No mês de julho, quando veio ao Brasil, para o Encontro Mundial da Juventude, ele se espalhou e mostrou o lado humano da figura de Pontífice – coisa nunca vista – e uma Igreja Católica renovada e politicamente bem direcionada. Acho que muitas outras surpresas estão por vir, desse fantástico Francisco.
Quando junho chegou ocorreu, certamente, o fato político mais importante do ano, no Brasil: o povo, sem qualquer vinculação político-partidária, foi às ruas para protestar e reivindicar melhorias na qualidade de vida, na economia e na vida política nacional. Foi a Nação que se levantou, mostrou a cara e abalou Brasília. A ordem social esteve por vezes ameaçada, sobretudo quando vândalos se infiltraram e desvirtuaram as manifestações. O mais importante é que o recado foi dado e burro será o político (são muitos, aliás) que esquecer os episódios de junho e julho passados. Tudo isso simultâneo à realização da Copa das Confederações, o que causou maior rebuliço. Estão prometendo mais para a época da Copa Mundial. É ruim? Vamos ver no que dá.
Mas, ruim mesmo é constatar que 2013 não foi um ano bom para a Economia Brasileira. As coisas não andaram bem. O país encalhou e não reage aos “estímulos” que o Governo Federal diz haver dado e considerados errados na maioria dos analistas especializados. O crescimento pífio de 2012, vai se repetir neste ano que termina e o país segura a lanterna na lista dos avaliados. Os índices econômicos parecem querer ser compatíveis com os sociais, que não conseguem nunca melhorar. Aquela imagem que a respeitada revista econômica britânica The Economist desenhou numa das suas capas, em 2009, com um simbólico Cristo Redentor decolando, foi repetida em 2013 com um Cristo numa patética pirueta sem destino rumo ao fundo da Baia da Guanabara. É dose... O Real se desvaloriza a taxas preocupantes e a inflação se mostra disposta a recrudescer. Resultado mis prático a exemplificar é lembrar que o cupom fiscal, que a dona de casa leva do supermercado, após comprar cada feira semanal, está cada vez maior. É aí onde a dor dói mais. No bolso. Acho que este tema será o principal mote da campanha eleitoral do ano entrante, seja oposição ou situação. Esta ultima tentando “tapar o sol com uma peneira”.
Agora, se tem um fato que brilha intensamente no meu espelho retrovisor, este é o das prisões dos corruptos mensaleiros. Os brasileiros acompanharam e ainda acompanham  atentamente o processo que sucedeu à decisão do Supremo Tribunal Federal – STF e aplaudiu sem cessar as prisões que foram ou vem sendo executadas.  Estava em tempo de acontecer algo deste gênero neste país tão espoliado cinicamente por políticos e mandatários irresponsáveis. O povo brasileiro precisa disso para reacender as esperanças de viver num país sério.
E Mandela se foi para seu repouso eterno, neste Dezembro de 2013. Bravo herói sul-africano e mestre da conciliação e da democracia moderna. Descansa em paz Madiba.
Do meu posto de observador vejo ainda uma infinidade de outros fatos que chamam a atenção, mas, já não comportam no exíguo espaço do Blog.
Feliz 2014!

 
 
NOTA: O Blogueiro vai entrar de férias e retorna somente em meados de Janeiro

6 comentários:

Liliana Falângola disse...



GIRLEY
Feliz Ano Novo!
Acerte o seu relógio (ou você está no sul do País?)
Que as férias do Blog sejam bem aproveitadas e volte com ótimas notícias e comentários.
Um abraço,
Liliana Falângola
Ainda na ESPERANÇA de vê-lo a bordo do Catamarã VENEZA.

F. Toquetão disse...


Querido Girley como sempre um monstro da síntese e melhor que isso um poeta das conclusões , porém acho que ficou pra trás em seu espelho , a atitude populista deste governo que tem MEDO de sair do poder , e se nutre da maior doença criada pela incompetência secular dos governantes , a saúde e a educação , fez e aconteceu com a vinda de médicos numa manobra internacional nunca dantes vista neste pais , simplesmente abriram uma cratera na nossa soberania , permitiram que a escória da medicina mundial pousasse em nossas terras sem nenhuma forma de filtro , ou seja , não qualificaram tais médicos ; e muito pior com propostas que nunca foram ofertadas aos nossos próprios médicos , que cansados dos calotes refutaram a essa insanidade do governo que insiste na política de dar o peixe sem ensinar , ou dar a mínima condição , de se poder pescar ! Até quando este tipo de atitude fascista vai continuar? Desculpe o desabafo .... Mas estou sofrendo com os inescrupulosos , pobre Brasil !?
Abraço do F. Toquetão

Fernando Jordão disse...


Caro Girley,

Como sempre teus artigos muito felizes.
Mais uma vez parabéns e todos pedem
Que continues a nos brindar com as doses de inteligência, sensibilidade e bom gosto.
E pra Sonia, filhos, noras, genros e você desejamos
um ano novo pleno de felicidades.
Com nossa admiração e forte abraço.
Fernando Jordão e família.

Mario Cunha disse...

Caro Girley,
Você fez uma retrospectiva muito boa,com tristezas e alegrias mas estou preocupado com o nosso rumo, e o governo continua querendo tapar o sol com a peneira.
Um ano novo prospero!Com seu blog cheio de novidades.abraços,
Mário Cunha

Joe disse...

2014 também será o ano que a EM CENA ARTE E CIDADANIA comemora 15 anos de trabalho e vitórias. Realmente será um ano cheio de acontecidos.
Desejo para você caro Gyrley e sua família saúde e paz. Abs Joe

Carlos Alberto Pereira da Silva disse...

Prezado amigo,
Recentemente me disseram que:
Dinheiro só chama dinheiro, não convida para um cineminha, nem para tomar um sorvete num final de tarde...
E é por isso que devemos trabalhar, trabalhar, trabalhar. Mas nunca, esquecermos de coisas simples e tão valiosas como um bate papo com familiares e amigos...
Até porque não podemos quantificar o tempo que ainda nos resta, como diz o poema a seguir: O relógio de vida recebe corda uma única vez e nenhum homem tem o poder de decidir quando os ponteiros pararão, se mais cedo ou mais tarde.
Portanto, faço votos de que este ano que se inicia desperte em todos nós o interesse da busca por este tempo perdido; que a partir de agora reservemos um tempinho -se possível todos os dias- para dedicarmos aqueles que nos rodeiam e principalmente aos que nos AMAM.
Um feliz um 2014 de muita paz e muitas alegrias! São os meus desejos sinceros para você e toda sua família, são os sinceros votos de Carlos Alberto e família;
Atenciosamente,
Carlos Alberto P. Silva