domingo, 24 de março de 2013

Gestão Inteligente

Entre as muitas falhas imperdoáveis e cometidas pela administração petista – recém finda – à frente da Prefeitura do Recife, várias vezes destacada no espaço deste humilde Blog do GB, foi o desprezo dado ao diferenciado espaço de lazer do Bairro do Recife Antigo, enquanto ambiente de diversões, tanto para os recifenses, quanto para os turistas visitantes. O esforço desenvolvido pelas administrações anteriores, de recuperar os prédios e sobrados antigos, incentivar as instalações de bares e restaurantes, museus e lojas de artesanatos, assim como promover eventos naquele diferenciado espaço foi todo inútil e simplesmente apagado da cena recifense. Uma questão clara de cultura... e visão politica, também.
Lamentado por todos e, particularmente, pelos visitantes que antes haviam experimentado a sensação de visitar a Rua do Bom Jesus (antiga Rua dos Judeus), o movimentado Marco Zero e as ruas do entorno, no momento de apogeu, o Recife Antigo virou uma espécie de “cidade fantasma” sem luz e sem vida e entregue aos marginais que se aproveitaram para o que bem entendessem. (Clique no link a seguir http://gbrazileiro.blogspot.com/2012/01/recife-mala-pesada.html , para entender melhor sobre o que trato).
A nova administração da cidade, do PSB, reconhecendo a falha dos antecessores e consciente de que a recuperação urgente do antigo espaço é de fundamental importância para os nativos e para o futuro do grande projeto turística da cidade, sobretudo agora, às vésperas das Copas do Mundo das Confederações, pôs mãos à obra e vem mudando as feições da antiga urbe.
Este domingo (24.03.13), por exemplo, foi marcado pelo inicio da interdição de acessos aos veículos automotivos, nas principais artérias do Bairro do Recife, destinado aos pedestres e ciclistas que desejem curtir o histórico espaço, que, sem dúvida, apresenta um dos mais belos cenários da cidade dos rios das pontes. Foi um domingo de satisfação para os que entendem de bem-estar, qualidade de vida sadia e atração turística. Fui lá pessoalmente e sai feliz, ao ver minha cidade repaginada e com seu patrimônio histórico valorizado. Interessante que, entre muitos grafites, que foram deixados pelos artistas populares, fui atraído por um que disse muito da minha alegria naquele momento: “O tempo não quer parar”. Vide a foto
a seguir. É verdade que o tempo não quer e, simplesmente, não pára. Melhor assim, porque passa levando
para bem distante, por exemplo, os maus administradores, que souberam apenas maltratar a cidade e matar sua vida cultural. Aleluia, aleluia!
Foi gostoso fotografar famílias inteiras em bicicletas e em triciclos, (vide a seleção fotos abaixo) transeuntes, repórteres, o próprio Prefeito, Geraldo Júlio, no meio da multidão e colhendo com alegria os louros da sua vitória. Lembrei-me de cidades inteligentes, que conheço, como o Rio de Janeiro, Bogotá, Buenos Aires e Brasilia que dedicam espaços privilegiados aos seus habitantes, nos domingos.
Mais feliz, mesmo, fiquei ao passar pela Rua do Bom Jesus e conferir a recuperação das pinturas coloridas das fachadas dos sobrados antigos. Haja luz e cor naquela artéria. Espero com ansiedade a reabertura dos bares, restaurantes e lojinhas que tanta vida nos deu no passado pré-petista. Veja as fotos a seguir).


O Recife amanheceu, na manhã deste domingo ensolarado, muito mais bonita e num execelente astral. O recifense está colhendo os frutos por haver acertado no voto que escolheu seu novo Burgomestre, em outubro passado. Vejo, neste inicio de administração, uma gestão inteligente. Espero que seja daí para melhor.
NOTA: As fotos são da autoria do Blogueiro

6 comentários:

Regina Dubeux disse...

Lavei a alma! Não estive no centro do Recife no domingo de hoje, por isso, Girley, agradeço muito pelas fotos e pelo seu entusiasmado texto. Principalmente depois daquelas duas mensagens que mandei para meus amigos, incluindo você, mostrando a 'obra' (obra, aqui, é eufemismo) feita pelo prefeito petista joão paulo e por alguém que se diz urbanista, mas de urbanismo não entende nada. Espero que Geraldo Júlio recupere a Av. Conde da Boa Vista, ex cartão postal da cidade do Recife. Disse e repito: Se Hitler tivesse conhecido o tal urbanista, tê-lo-ia contratado para fazer as cercas dos campos de concentração nazistas.
Obrigado por esse presente de fim de domingo.

Wilma Clélia disse...

Primo Girley,

Acredito não ter dado meu voto em vão, pois logo no início da gestão de Geraldo Júlio, já vi coisas mudarem, aqui mesmo no bairro onde moro e fico feliz em saber que grandes e boas mudanças estão acontecendo em nossa cidade. Sou apaixonada pelo Recife e com certeza, desejo vê-la muito linda e ter orgulho em saber,num futuro próximo, que turistas tenham só elogios a nossa VENEZA BRASILEIRA.


Abraços.

Wilma

Literatura e História Regional disse...

Não há dúvidas de que a revitalização do bairro do Recife, iniciada na administração de Jarbas, inclusive com a criação da feirinha típica de Rua do Bom Jesus, é um importante ponto turístico da cidade, entretanto o impedimento do trânsito de carros no bairro está prejudicando todos aqueles que não são ciclistas (idosos), mas desfrutavas os restaurantes, bares, galerias e a própria feirinha. Os artesãos e comerciantes estão no prejuízo. Mas, é assim mesmo. "A voz do povo é a voz de Deus" e assim, quase sempre quando os administradores resolvem interferir no que o povo consagrou dá errado. Foi assim com o Carnaval, com o São João e com o Natal. Perderam a expontaneidade. Arlégo.

J.Artur disse...

Grande Escriba do mundo virtual, nós que viajamos por esse mundo à fora, ficamos fotografando prédios idênticos aos da Capital dos Mascates, achando tudo lindo demais... Mas, temos áreas tão belas quanto, em nossa própria cidade. Que este trabalha de Geraldo Que Faz continue e restitua a Recife o esplendor de outrora... José Artur Paes Vieira de Melo

Danyelle Monteiro disse...

Bom dia professor,

De fato por ter estado no Recife antigo domingo passado pude constatar o que o Senhor escreveu. A primeira coisa que me chamou atenção foi ver alguns casarões coloniais bem pintados, na Rua do Bom Jesus, o espaço cultural da Caixa Econômica Federal se destacando como mais um cartão postal, com sua parte histórica não só do prédio, mas do subsolo toda preservada, onde os visitantes passeiam sobre vidros vislumbrando as ruínas da época dos holandeses.
O centro de artesanato nem se fala, cada obra de arte mais linda que a outra, nos enchendo de orgulho da nossa terra.
A culinária então, você pode desde comer uma tapioca de beira de rua, porém limpinha, até se esbaldar numa deliciosa macaxeira com queijo coalho acompanhada de um refrescante drink de umbu cajá feito na hora.
O público era do mais diversificado, tinha tribos das mais diversas, inclusive skatistas, artistas, músicos, teatrólogos, dentre outros.
Então minha gente, vamos recifiar nos finais de semana, quiçá dançando até um forrozim lá ao lado da Praça do Arsenal, no Forró de 1 real.

Beijo grande,
Danyelle Monteiro

Felipe W Nascimento disse...

Ei... Eu sou o Sanfoneiro do Forró de 1 Real. Muito obrigado pelo prestígio!