sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Baia Perfumada

Estando em Cantão e dispondo de algum tempo livre (um dia, pelo menos) a melhor pedida é “dar um pulinho” em Hong Kong, distante não mais do que 150Km. Trem, que parece ser o mais comum, automóvel ou ônibus, e rapidamente você alcança a cidade que é lembrada como sendo o Rio de Janeiro do Oriente. Foi exatamente o que fizemos nessa ida à China.
Uma curiosidade é saber que esse nome meio estranho, lembrando muitas vezes o mítico gorila do cinema, King Kong, se traduzido muda de figura porque significa Baia Perfumada. Já pensou que beleza viver num lugar lindíssimo e assim chamado?
A cidade tem características bem especiais: com o tratado que marcou o fim da Guerra do Ópio, em 1842, a Ilha de Hong Kong foi incorporada, como colônia, ao Império Britânico, somente devolvida a Republica Popular da China em 1997, após as negociações políticas entre Londres e Pequim. Mas, tem uma coisa: difícil mesmo foi ajustar a ex-colônia britânica ao regime político-econômico reinante na China de hoje. A solução foi adotar o que terminou se chamando de política de “um país e dois sistemas” para que Hong Kong pudesse administrar os novos tempos. A cidade goza de alto grau de autonomia e é tratada como uma Região Administrativa Especial. Lá tudo é regulado por uma Lei Básica própria, com claras regras político-sociais para todas as áreas, exceto a política externa e a defesa, a cargo de Pequim. E mais, o que é muito importante: pela politica adotada, Hong Kong continuará por 50 anos, após a anexação de 1997, como sendo um centro financeiro internacional, com economia capitalista altamente desenvolvida e uma das mais liberais do mundo. Meu palpite, aliás, é que, passado esse periodo, a Republica Popular da China será totalmente capitalista e o ajuste se dará naturalmente. Aquilo que vi por lá aponta para essa situação. Penso que eles foram muito inteligentes quando estabeleceram esse meio século de carência.
Por enquanto, entrar em Hong Kong é o mesmo que entrar noutro país, ainda que estando na China. Muda a paisagem, com perfil urbano muito ocidental, a moeda corrente deixa de ser o Yuan (RMB) e passa a ser o Dólar de Hong Kong. Em tudo mais a impressão que se tem é a de circular numa grande cidade da Grã Bretanha. Até o volante dos automóveis no lado direito, ônibus com dois pisos e a mão inglesa no trânsito são adotadas na cidade. Ah! Entre a China (Província de Guangdong) e a cidade existe um controle de fronteiras. Para voltar à China o viajante tem que ter outro visto de entrada. E, haja rigor nesse controle de fronteiras. Policiamento praticamente ostensivo.
A cidade é inchada de habitantes, uma das mais densas do planeta, com 7 milhões de almas em apenas 1.054 km², em cerca de 260 de ilhas, baias, praias e montanhas. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), na marca de 0,944, é um dos mais altos, ocupando o 24º. Lugar no rank mundial. Além disso, a cidade é famosa por ser uma das mais verdes da Ásia. De fato, isto chama a atenção do visitante.
O comercio é efervescente. É uma Zona Franca intensa de mercadores e mercadorias que saem e chegam sem parar no movimentado porto da cidade. As ruas de comércio são empestadas de compradores. No sábado, quando estivemos por lá, era difícil circular ou entrar e sair das lojas. Sobretudo as de eletrônicos e vestuário. A euforia e o estresse das pessoas lembram o movimento das compras de última hora, na véspera de Natal, no Brasil.
Mas, certamente é a paisagem natural da cidade que arrebata o turista. Quanta beleza reunida num mesmo sitio. Localizada ao sul do Trópico de Câncer, a cidade é de clima sub-tropical que ajuda ainda mais para compor o cenário deslumbrante. Segundo nosso guia, a cidade desfruta de algo em torno de 2.000 horas de sol por ano.
Um passeio de barco rústico, conduzido com segurança por pescadores, pode ser considerado como sendo um dos mais interessantes programas na cidade. A área serve freqüentemente de locações do cinema. James Bond já fez misérias no meio daquelas ilhotas. Vide foto a seguir. Uma subida ao ponto mais alto da cidade, no pico de um morro, enche a vista de qualquer visitante. Para nós brasileiros é impossível não lembrar o Pão de Açúcar ou Corcovado, no Rio. Em Hong Kong, o panorama é deslumbrante, embora que predomine um verdadeiro paliteiro de altos e arrojados arranha-céus. Eu teria muito mais a dizer, mas, o espaço é pequeno e reconheço que a paciência do leitor tem limites.
Bom, se você tiver uma chance, vá também à Baia Perfumada. A satisfação é garantida.
NOTA: A primeira foto foi tirada do Google Imagens e as demais são da autoria do Blogueiro.

7 comentários:

Débora Leal disse...

Oi Girley e Sonia,
Morei 6 meses em Vancouver no Canadá e posso acrescentar tb uma curiosidade:
Como vc disse, Hong Kong fez parte da colonia Britânica, assim como Canadá (Canadá ainda é regido pela Monarquia Britânica).

Hong Kong entupida e Canadá vazia, os ingleses iniciaram um trabalho de migração.
Por isso, Vancouver possui muitos prédios de vidro iguais ao da Baia de Hong Kong e por isso a quantidade de "chineses" no Canadá.

Conheci muitas pessoas de Hong Kong e percebi a grande briga que há entre eles (China x Hong Kong)!

Parabéns pelo blog!

Debora Leal (filha do David Leal)

Debora leal disse...

Muito bom o artigo!
Então, Hong Kong fez parte da colonia Britânica, assim como Canadá (Canadá ainda é regido pela Monarquia Britânica).
Com Hong Kong entupida e Canadá vazia, os ingleses iniciaram um trabalho de migração.
Por isso, Vancouver possui muitos prédios de vidro iguais ao da Baia de Hong Kong e por isso a quantidade de "chineses" no Canadá.
Em Vancouver... os prédios sao no estilo Hong Kong e bem perto da Baia tb, é incrível a semelhança.
A diretora da minha escola era de Hong Kong, mas ela nao gostava de dizer q era chinesa, pois há uma grande briga entre eles! Hong Kong nao quer ser China, quer continuar sendo capitalista e a China quer mudar isso.
Debora Leal

Danyelle Monteiro disse...

Boa tarde professor,
Já que é uma cidade inteiramente capitalista, suponho que disponha da culinária de vários países... já que o Brasil é imenso, se nós nordestinos ao visitarmos a cidade de Hong Kong quisermos por exemplo apreciar uma bela feijoada ou uma tapioca ou um cuzcuz, tem? E a Baia é perfumada por qual motivo?
Danyelle Monteiro

Girley Brazileiro disse...

Oi Danielle!
Acho que hoje ela não tem nenhum perfume. Eu navegeui um bom pedaçoe e não senti qualquer que fosse um cheiro especial. Só senti cheiro de peixe, oleo dos barcos e etc.
Não lembro de haver visto restaurante de cozinha brasileira. Mas, certamente que tem. Por todo lugar do mundo tem isso. Tem erm Tóquio, onde vivi tres meses. E deve ter em HK porque lá o cosmopolitismo é uma realidade.
Agora, servir tapioca? Sei não... porque tapioca, aliás, não tem em todo lugar, pelo Brasil afora, não.
GB

Sandra disse...

Eita Girley !

eu também gostei muito de Hong Kong, inclusive é lá a foto que escolhi imagem de fundo do meu blog.
Dá uma passada lá: www.sandrabelem.com.br

Bjs
Sandra Silveira.

Elizabeth Marinho disse...

Girley, gosto de ler seu blog especialmente o q. fala sobre suas viagens porque me sinto viajando com V.

um abraço da Beta Marinho

Geraldo Casado disse...

MEU CARO GIRLEY, APENAS AGRADECER SEUS E-MAILS E PARABENIZA-LO POR SUAS CRONICAS SOBRE A CHINA. COMO COMENTARISTA
INTERNACIONAL, VOCÊ GANHARIA UM BOM DINHEIRO. O ABRAÇO DE SEMPRE.
GERALDO CASADO.