sexta-feira, 4 de junho de 2010

La Bella Itália

Nossa recente viagem a Europa não se limitou à República Tcheca. De lá, fomos também à, sempre bela, Itália. Não fizemos o circuito turístico de praxe. Mas, com certeza, centramos nossa estada numa nobre cidade italiana: Bolonha, onde tive um compromisso profissional. E, dada a proximidade desse nosso ponto de parada, fizemos um passeio a Veneza.
Bolonha, capital da região da Emília-Romana, é uma das cidades que mais gosto na Itália. Acho que porque se trata de um lugar mais tranqüilo, livre das avalanches de turistas como acontece em Roma, Florença ou Veneza. A cidade é raramente incluída no roteiro do turista comum.
Já estive em Bolonha várias vezes e sinto sempre imenso prazer a cada vez que chego por lá e sinto saudade na hora da partida. Com um belíssimo centro histórico (vide foto a seguir), um comércio sofisticado e uma cozinha invejável, que conquista o visitante pela boca, secundada pelos preciosos vinhos (a Região é lugar dos vinhos feitos com as seletas uvas Sangiovesi, entre os quais o famoso e caríssimo Brunello de Montalcino, por exemplo). Conquista, também, pela beleza do seu comércio sofisticado e pela história que conta. Impossível não se render a esses atrativos. Além do mais, Bolonha tem um nível cultural invejável e é um dos centros universitários mais famosos da Europa. É lá que se encontra a mais antiga universidade do mundo. Outra característica da cidade são as galerias e arcadas de quase todos os prédios.
A propósito, já tive oportunidade de falar e descrever sobre esta cidade, com mais detalhes e mais propriedade, numa postagem de junho de 2008, quando de lá retornei. Para acessar a referida postagem, clique no link: http://gbrazileiro.blogspot.com/2008/05/bolonha-cenrio-em-terracota-p-no-mundo.html
O passeio a Veneza fez-me resgatar imagens do meu ontem. A primeira vez que estive por lá ainda não havia completado meus vinte e cinco anos de idade. Depois disso, retornei mais duas vezes, fora essa ida de agora. Indiscutivelmente, é um lugar mágico. Diferente de tudo que se vê no resto do mundo. O que muda, mesmo, para o visitante recorrente, meu caso, é a maneira de apreciar a cidade e a companhia, que pode ser importante num ambiente tão romântico. É isto. Mas, no final das contas, nada parece haver mudado. Está tudo do mesmo jeito visto na prima volta. Com as mesmas e muitas informações, num verdadeiro amontoado de monumentos, palácios, barcos, máscaras, gôndolas e gondoleiros maviosos cantando Il sole Mio, igrejas, gente, cores, sorvetes, vidros de Murano, orquestras, música, mais gente, cafés e muitas outras coisas. E, claro, tudo mergulhado numa imensa laguna formada com águas do Mar Adriático. Veneza é isto.
Por ser, no meu dizer, um amontoado de informações, procuro a cada volta descobrir algo novo, embora seguramente antigo. Seculares...
Nestes tempos de Primavera, quando o sol resolve se recolher prá lá das nove da noite, a tarde se espicha e rola a maior festa na Piazza San Marco, às portas da mais bela fachada de igreja que conheço (vide foto a seguir) e ao som de várias orquestras executando os maiores sucessos da
musica pop internacional.. Foi para lá que corremos – eu, minha mulher e outro casal amigo – a bordo de um vaporêto (ônibus da cidade) que faz a linha partindo da Estação Central de Veneza (Santa Lucia) num percurso completo pelo Gran Canal, passando por baixo de duas joias arquitetônicas, as pontes de Rialto (construída em 1588), vide foto a seguir, e a de Cá d`Oro, até a citada praça.
Haja historia para se respirar. Fala-se que os venezianos surgiram a partir do século V. É, sem duvida, um lugar exótico e lindíssimo, por isso mesmo, destino de muitos casais em lua de mel, vindos do mundo inteiro, onde explodem suas paixões e se desdobram em juras de amor eterno, seja navegando numa gôndola entre os canais ou em alcovas propicias, de hotéis românticos, especialmente preparados para esse fim.
Nessa nossa passagem por Veneza, presenciamos, em meu ver, um acidente de percurso, no nosso passeio, que foi a tomada de cenas de um filme com dois famosos protagonistas – Angelina Jolie e Leonardo de Caprio – provocando o maior engarrafamento de pedestres que pude ver na vida. A situação virou uma coisa do tipo "quem está dentro não sai e quem está fora não entra!". Por isso, enquanto durou, parecia um riquififi de pagode safado, com a policia dando as ordens. Um transtorno geral diante do Palácio dos Doges e arredores da Praça de San Marco, cercados por um forte cordão de isolamento e enormes seguranças. Ah! O mulherio estava ensandecido. Tinha nega perdendo a razão. Um cossa-cossa e empurra-empurra geral. Gritinhos, suspiros e histeria tornaram o ambiente mais tumultuado do que o normal. Para mim, um transtorno. Divertido, ainda, foi observar que tinha muito neguinho e neguinha, aos berros, vestindo a camisa da seleção canarinha. Imagine a futrica que foi isto. Estou achando divertido contar. Na hora, fiquei irado.
O final do nosso passeio foi dedicado a uma deliciosa percorrida pelos becos estreitos, recheados de lojinhas e atravessando algumas pinguelas venezianas, num trajeto entre San Marco e Rialto. Divertido e inesquecível, claro.
NOTA: As fotos foram colhidas no Google Imagens

11 comentários:

Geraldo Pereira disse...

Girley - Hombre de Dios
Você hoje se superou, porque fez uma descrição que ultrapassou qualquer expectativa. Ótima a sua crônica, ao mesmo tempo ilustrativa e histórica. Creia que aprendi com a leitura, mas me distrai e quase posso dizer que fui em pensamento - nunca em palavras e obra - a Bolonha.
Estou me programando para ir à Itália também e devo aprender algumas lições com quem, como você, é versado no lugar. Dominus vobiscum!
Geraldo Pereira

Wilma disse...

Girley,
É verdade, você descreve tão bem, que passeamos e conhecemos os lugares por onde "nunca estivemos". Parabéns!
Grande abraço.

Wilma

fernandodacostacarvalho disse...

Carissimo Girley,

Não sei nem como começar...Esses seus maravilhosos comentários, aliáis como sempre, me transportam a um amplo devaneio,notadamente nas descrições primorosas,onde confundimos entre um sonho ou uma majestosa realidade.Adoro viajar,para mim maior prazer. Quando leio as suas narrativas fico me questionando o porque de quando viajo não consigo captar os minimos detalhes, ressaltados magistralmente nas suas andanças, como Ruas, lugarejos, monumentos,Restaurantes, Cadetrais, Praças, enfim pontos fundamentais que enriquecem sobremaneira um prazeiroso passeio tornando-o assim inesquecível.Terei um imenso prazer e satisfação em continuar a receber suas deliciosas noticias, e se me permite, na minha próxima viagem contar com a orientação, sugestão e direção do Excelente Mestre, também, em Turismo. A Itália para mim é inesquecível. Adorei a Região da Toscana... MEMORÁVEL...Se DEUS permitir quero novamente lá voltar, demorando mais em algumas Cidades, como: Florença, Veneza,Siena, Assis, Padova, Verona, etc... Viajar é ao mesmo tempo voltar e se adiantar no tempo...Parabenizo novamente a feliz escolha de seus roteiros, e renovo meus agradecimentos da sua gentil lembrança em me possibilitar participar,também, da sua alegria e de sua Exma. Esposa. Transmito a você, em especial, e a TODOS os seus meus votos de admiração, respeito e carinho.
Fernando da Costa Carvalho-06/06/10

Fernando Costa Carvalho disse...

Carissimo Girley,

"Muitos de nossos sonhos parecem impossíveis, depois impróvaveis e em seguida inevitáveis. É assim que me transporto na excelente e cativante narrativa de suas viagens, por este Mundo afora. Confesso ao prezado amigo que um dos meus maiores prazeres é viajar, seja para onde for. Muitas delas (viagens)nos proporcionam uma ida e volta ao tempo. Fico envolvido nos minimos detalhes que você nos brinda como e a onde ir, como fazer, melhores Restaurantes, Museus, Praças, Monumentos Históricos e assim por diante. Pergunto a mim mesmo como consegue, pois ao repensar minhas viagens até hoje não consegui organizá-las a tal modo em que fosse possível abranger tudo de uma forma harmonica entre o que ver,usufruindo o máximo as belezas existentes, em conssonância com o tempo de permanencia, em cada local visitado.
Sou um entusiasta da Itália. O seu BLOG anterior me despertou em conhecer o Leste da Europa. Da Itália guardo na retina da memória a Região da Toscana. BELISSÍMA... Espero que Deus me conceda a graça de lá voltar novamente, mas agora seguindo sua orientação, sugestão e direcionamento como me conduzir, se assim você me permitir. Infelizmente não pude concluir como queria a visita a Veneza por ter esquecido em uma das muitas Igrejas que visitei a bolsa da minha esposa, e que no momento nos criou muita preocupação. Infelizmente minha mulher ao viajar, talvez por ser friorenta, leva agasalhos, próprio das mulheres, e que depois repassa para que os carregue nos momentos de maior calor, para aliviá-la do peso. . Fico portanto sobregarregado, e além do mais adoro fotografar tudo que me desperta atenção. Nesta viagem que me refiro não consegui ir a Verona e Padova, pelo mesmo motivo.
Renovo mais uma vez meus sinceros agradecimentos pela gentileza em me proporcionar compartilhar com as suas viagens que eleva nossos pensamentos com uma forte dose de imaginação.
A felicidade que se busca é tão sòmente coincidir a nossa vida com as boas e sádias idéias. Viajar naõ resta dúvida é uma delas..
Receba meu fraternal e carinhoso abraço,
FERNANDO Costa Carvalho

Ubiracy Silva disse...

Amigo GB, Maravilha!!!
Bira

Anônimo disse...

Ôi, Girley. Que maravilha! também adoro a Itália. É tanto que no meu "Amor in Concert" os personagens fazem uma viagem de luademel,de carro, desde Roma até Veneza, passando por todas as cidades incríveis como Firenza, Siena, Padova, etc, um verdadeiro roteiro turísico e cultural para quem desejar fazer uma viagem de sonhos.Acho que nós temos os mesmos olhos e os mesmos sentimentos quando estamos em viagem. Com você, acabei de retornar a todos esses lugares inesquecíveis.Parabéns! Leony

Leony Muniz disse...

Ôi, Girley. Que maravilha! também adoro a Itália. É tanto que no meu "Amor in Concert" os personagens fazem uma viagem de luademel,de carro, desde Roma até Veneza, passando por todas as cidades incríveis como Firenza, Siena, Padova, etc, um verdadeiro roteiro turísico e cultural para quem desejar fazer uma viagem de sonhos.Acho que nós temos os mesmos olhos e os mesmos sentimentos quando estamos em viagem. Com você, acabei de retornar a todos esses lugares inesquecíveis.Parabéns!
Leony Muniz

Flor Oquendo disse...

Queridísimo Girley, tú nos transportas a la Isla de la Fantasía con tus
Blogs !!!
Tu amiga,
Flor Oquendo
(Caracas, Venezuela)

Carlo Sarti (Italia) disse...

Carissimo Dott.Girley sono dispiaciuto del fatto di non essermi incontrato con lei qui in Italia durante la sua visita, ho apprezzato con grande riconoscenza la sua stima e la conoscenza per il mio paese nel suo scritto, inviatomi nel suo blog, con affetto Carlo Sarti
La Spezia - Italia

Beta Marinho disse...

Adoro ler o q. v. escreve sobretudo quando fala sobre viagens. De repente me transporto para aquelas cidades e começo a viajar tambem. Sou grata pela oportunidade de visitar aqueles lugares.
Abraços,
Beta Marinho

Anônimo disse...

dddd