domingo, 13 de junho de 2010

Emoções e Sabores

Quando alguém decide manter um blog, com atenção periódica e sistemática, como é o meu caso, tudo que presencia, participa e observa passa, automaticamente, a constituir pauta de postagens. Tudo que vejo passando ou tudo que vejo quando passo me provoca comentar neste espaço do Blog. Assim foi nas duas últimas conversas, quando falei sobre lugares que visitei na recente viagem a Europa, que me rendeu uma pauta sem fim. Depois da Itália, andamos pela Espanha e Portugal, cujas impressões principais relato nesta postagem, de forma sucinta e tirada de dentro da alma com sabor e emoção.
Sempre vejo a Espanha como um ambiente de festa. É incrível a alegria daquela gente e o ar de comemoração que sempre se respira. Chegamos a Madrid num fim de semana durante as festividades do padroeiro San Isidro. Aí sim, é festa de verdade. O povo sai às ruas, vestido a caráter (vide foto a seguir), disposto a comemorar a vida, a nação e o santo. Bebe-se, come-se, baila-se e confraterniza-se na maior ordem e o no maior colorido. A beleza é tamanha que, confesso, chega a emocionar um blogueiro besta como eu. A Plaza Mayor, no coração da cidade, estava deslumbrante naquele sábado de primavera.
Quando bateu uma fome, entramos num restaurante próximo à Gran Via, no coração da cidade, e cometemos o que classifico de uma orgia gastronômica: de entrada uma travessa de Pata Negra, o supra-sumo de presunto espanhol, regado a um bom vinho de La Rioja. Derretia na boca... Pela fartura do serviço, já seria uma refeição completa, se não estivéssemos na Espanha, que não era o caso, porque, em seguida, veio o segundo prato, que foi uma autêntica paella. O chef de cozinha veio pessoalmente apresentar a obra (vide foto a seguir). Olhe que eu me julgo conhecedor e, até mesmo, paelleiro, mas, aquela estava perfeita. Fartei-me. Mas, veio a hora da sobremesa e vi-me ceder aos apelos da dona do restaurante e, não sei como, devorei uma coisa deliciosa, que até hoje fica difícil explicar o que era, salvo dizer que era uma espécie de manjar dos deuses. Como saideira, um café e um licor caseiro fantástico. Pensei em fazer o longo caminho de Santiago, para provocar a digestão.
Depois disso, para arredondar o clima madrileno corremos para um tablado a assistir um espetáculo de Dança Flamenca. Escolhemos o Corral de la Moreria (http://www.corraldelamoreria.com/), reputado como o mais famoso do mundo. Consta da lista do livro 1000 Lugares Para se Ver Antes de Morrer. Entre os espectadores mais famosos, com fotos penduradas na casa, estavam Marlon Brando, Omar Shariff, Richard Gere, Sandra Bullock, Michael Douglas e muitos outros. O show, asseguro que foi um show. Eletrizante. Não sei como conseguem sapatear daquela forma. Pela vibração que transmite é, também, emocionante. Se você quiser ver a vibração da casa entre no YouTube e procure com o titulo Corral de la Moreria. É sensacional.
Mas, Madrid se mostra cheia de outras fantásticas atrações, particularmente no item museus. Não me canso de percorrer o El Prado, com as fantásticas telas de um El Grego, Velásquez, Rubens, Ticiano, entre outros, diante das quais me rendo à emoção. Outro, é o Museu Reina Sofia, com as obras dos maravilhosos loucos que foram Picasso, Miró e Dali. A histórica tela da Guernica, de Picasso, entre elas. É bom demais, para quem ama as artes.
Ainda tivemos tempo de dar uma volta pela belíssima cidade medieval de Toledo e receber a bênção do Apostolo Santiago, em Santiago de Compostela, neste Ano Santo de 2010, de onde saímos certo de que recebemos indulgencias plenárias. Como não se emocionar diante daquela multidão, movida pela Fé e extasiada diante de um imenso turíbulo, oscilando em pêndulo, sustentado por grossa corda, no teto daquela imensa catedral, incensando o mundo? É preciso ser alienado, para deixar passar aquela cena sem soltar uma interjeição, qualquer que seja. Emociona, sim Senhor!
Vigo, na Galícia, onde passamos três dias, fechou nossa passagem pela Espanha. Bela cidade sobre o Atlântico, importantíssimo porto pesqueiro, de fama mundial, e paraíso da gastronomia a base de frutos do mar. Não conheço nada igual neste mundo. Esta foi minha segunda visita à cidade e o suficiente para elegê-la como a melhor para o assunto. Nunca vi ostras tão exuberantes e, sobretudo, deliciosas. (vide foto). Alias, a diversidade de crustáceos e peixes, naquela cidade, é de tal maneira que, três dias é pouco tempo para dar conta de degustá-los.

O fim da nossa viagem foi na cidade do Porto, em Portugal, onde geralmente a gente começa a sentir que está voltando. Tanto pelo idioma, quanto alguns costumes expressos pelos lusos, que no final das contas nos mostraram o caminho da civilização.
Depois de um brinde, com um legitimo Porto, numa cave a beira do Douro, nas bandas da Vila Nova de Gaia, tomamos o rumo do Brasil, cheios de emoções e saudosos sabores, que somente uma boa viagem proporciona.

Notas: 1- Fotos do Blogueiro 2- O blogueiro esteve em Vigo numa Missão Empresarial, representando o Sindicato das Industrias Metalurgicas e Mecanicas de Pernambuco

8 comentários:

Ogib disse...

Impressionante como vc mantém acesa a chama das viagens que faz. Parabéns. Eu morei em Madrid, ia todo ano e não tirei tantas fotos quanto vc parece ter tirado.
Tiro o chapéu.
Ogib

Mauro Gomes disse...

Só lamewnto não ter podido estar ao seu lado nessa aventura gastronômica.

Um abraço,

Mauro Gomes

Vitor Hugo disse...

Olá Girley:
Muito inspirador o tema de hoje.
As fotos me deixaram de água na boca.
Parabéns e um grande abraço,
Vitor Hugo

Socorro Kelly disse...

Amigo,

Amo também a Espanha.

Soccoro Kelly

Mary Caldas disse...

Girley meu caro
É impressionante como você descreve as suas viagens com alegria e cores. Parece até que vamos juntos embalados pelo seu entusiasmo. Madri é uma festa e a culinária de dar agua na boca. Amo paella, ostras nem tanto, mas Leninha adora.
Um grande abraço e manda mais. Mary

Jorge Morandi disse...

Meu caro amigo:

Im-pre-sio-nante la crónica de su viaje por España y Portugal. Habiendo estado por esos lares el año pasado, su relato me hizo revivir los colores y los sabores de la cultura ibérica.
Acepte una crítica: entre los "notables" del Museo Reina Sofia, omitió mencionar a o meu xará, ¡o grande Giorgio Morandi!.
Abraço amigo

Leony disse...

ôi Girley
Esse comentário é um pouco atrasado, mas você me fez recordar coisas inesquecíveis da velha Espanha e do Porto lugares onde a gente não se cansa de visitar. Cada vez é uma renovação, é um descobrimento prazeroso. Parabéns mais uma vez. Leo

Caros Antonio Domingues disse...

Voce devia pensar em publicar o seu Caderno de Viagem.Contar suas experiencias pelo mundo e "BAHIA". abraços
Carlos Antonio Domingues