quinta-feira, 4 de setembro de 2008

VOTE CERTO

Nada mais interessante, nesses tempos de eleições, do que observar o comportamento dos postulantes a cargos eletivos. Uns mais qualificados do que outros. Muitos sem classificação. Inúmeros ridículos e impagáveis, mais divertidos do que o melhor dos humoristas.
É impressionante como essas pessoas, muitas vezes forçando sua própria natureza, se transformam em pessoas afáveis, gentis, educadas e populares, mesmo não sendo. Tiram o paletó e a gravata, vestem camisetas e calçam sandálias, sobem e descem ladeiras, bebem uma cachacinha aqui e outra acolá, comem do “pão que o diabo amassou” para aparentar que estão com o povo e ao lado dos comuns.
Na minha opinião, o período da campanha eleitoral é o tempo no qual a Nação mostra sua cara teatral. Quantos talentos estão no caminho errado (o da política), quando de fato deveriam estar buscando as luzes das ribaltas, nos palcos da vida. Fariam mais sucesso e viveriam felizes, porque são perfeitos atores.
É impressionante o número de candidatos, que saem do nada e de todos os recantos da cidade, cheios de ilusão e muita bossa, crentes que vão fazer sucesso e chegar lá. São quase 700 candidatos para 37 vagas na Câmara Municipal do Recife.
Observando nomes, currículos e densidade política, poucos se salvam e levam a melhor. Outros, os que não se salvam, até ganham a eleição e nem preciso fazer considerações a respeito do resultado prático, tamanha é a ignorância a respeito do papel que devia desempenhar.
Como circulo muito, vejo-me diante de inúmeros desses candidatos que, invariavelmente, vão logo atacando com o famoso clichê: “conto com você!”, acompanhado sempre de caloroso amplexo e do famoso “santinho”. Certas vezes, o entusiasmo é tamanho que só faltam oscular-me.
Outro dia, um cidadão que, sem a menor condição financeira para fazer uma campanha, inocente de pai e mãe, vestido de maneira berrante, boçal até dizer basta e com um linguajar pastoso encontrou-me num evento empresarial e não teve dúvidas de me abraçar, elogiar-me – segundo ele, cada dia estou mais moço e mais elegante! – e pedir o voto para vereador do Recife. Surpreso com a abordagem, conheço-o apenas de vista, não acreditei no que via. O cara puxou do bolso um folheto, mal impresso, com a foto, o “currículo” e as promessas de campanha. Nada se aproveitava. Tive que tolerar meia hora de lero-lero e, a pulso, pedir licença para sair. Jesus, que barbaridade! Imaginei aquela figura na tribuna municipal, sem ligar nada com coisa alguma e posando de legitimo representante do povo.
O negocio é o seguinte: sou daqueles que entende que a eleição municipal é a mais importante de todas. A participação popular deve ser mais consciente, porque, afinal, o que está em jogo é o dia-a-dia do cidadão. O município é a célula da Federação e nele reside a base da cidadania. Não pode haver sociedade sã se não houver um ambiente adequado ao bem estar, segurança e tranqüilidade na sua base espacial. Numa eleição municipal elegem-se, supostamente, representantes que devem cuidar, de perto, do cidadão. Isso me parece fundamental. Uma má escolha – que, na maioria das vezes, vem ocorrendo neste país – resulta numa sociedade defeituosa desde a raiz e incapaz de participar de modo mais adequado e justo nas escolhas superiores e que, em tese, se encarregam de construir um País com ordem e progresso e uma Nação sadia e em paz.
Vejo que no próximo pleito eleitoral, corremos o risco de ver saindo vencedores candidatos desqualificados – a maioria conquistando votos por meios desonestos – e, portanto, incapazes de representar idealmente o povo.
Por isso, caro (e)leitor ou (e)leitora, seja exigente. Ainda é tempo. Não se encante com os belos olhos do candidato, com um discurso demagógico ou o padrinho que o empurra. Ao invés disso, dê um voto certo, consciente, racional, pensando na sustentabilidade do coletivo sofrido que habita sua cidade.
O Brasil precisa de uma base política municipal mais digna para o futuro sonhado.




Nota: Foto obtida no Google Imagens

Um comentário:

Cris disse...

Passando para parabeniza-lo, mais uma vez, pelo teor de suas colocações. De fato, cada "figura-ura-ura" aparece às portas do pleito... Infelizmente muita gente ainda "vende" seu voto, mal sabendo que esta é sua unica arma para um país/Estado/municipio melhor.