sábado, 20 de setembro de 2008

O Centro do Rio de Janeiro

Estou, outra vez, no Rio de Janeiro. Mesmo numa missão de trabalho, impossível não admirar as belezas desta cidade, que continua linda.
Sabe de uma coisa, comparando com outras áreas centrais de diversas metrópoles brasileiras, o Centro do Rio está muito bem cuidado e é prazeroso de ser visitado. Bem diferente dos centros deteriorados de São Paulo ou Recife. Aqui foram conservadas e são preservadas cuidadosamente as marcas da história e o cidadão transita tranqüilo. Dá gosto de ver as inúmeras ruas antigas, entre as quais as da Quitanda, do Carmo, Assembléia e Ouvidor, limpas, com prédios de mais de duzentos anos, todos bem conservados e aproveitados.
Aliás, na minha opinião, é bem mais interessante caminhar pelo Centro carioca, do que, por exemplo, pelo bairro de Copacabana, que viveu nos anos 50, 60 e 70 sua fase áurea. Por ali, a impressão que se tem é que o tempo parou. As lojas não se renovaram. As vitrines, antes atrativas e charmosas, parecem sombrias e negligenciadas. Tudo muito parecido com o que havia há quarenta anos. Além disto, as avenidas e ruas transversais são sujas, mal tratadas e repletas de ambulantes. Já no Centro, que parece ter sofrido uma boa intervenção, vi lojas modernas coloridas e atraentes. Mais do que isto, vi, no horário do almoço, um carioca mais bem trajado (muitos executivos) disputando mesas nos inúmeros restaurantes de boa categoria, espalhados pela área.
Neste mesmo centro, para minha surpresa, notei a existência de vários quiosques para a venda de flores, dando mais graça à região. Vi, também, a exemplo de Paris ou Nova York, artistas populares vendendo, de modo sutil, sua arte. Destaco o maravilhoso saxofonista, na entrada da estação de Metrô da Carioca, tocando composições de Vinicius, conferindo mais beleza ao meio (vide foto ao lado). Cheguei a parar, por um momento, para observar e escutar o som emitido pelo anônimo artista.
Outra coisa, no Centro do Rio não se vê a fiação da rede elétrica ou de telefonia. É tudo subterrânea, que é uma coisa pouco valorizada noutras cidades brasileiras. Isto faz a maior diferença no ambiente urbano. O Recife, por exemplo, é um péssimo exemplo. Tem fios, de toda espécie, pendurados nos postes e alguns são tão baixos, que assustam o pedestre. Aliás, nem é bom falar sobre as barbaridades cometidas no centro do Recife. Quando penso que houve um Prefeito que abriu a Avenida Dantas Barreto, arrasando a melhor parte do sitio histórico do bairro de São José, incluindo templo secular e casario colonial, fico lamentando a ignorância e a brutalidade exercitada. Sobre a decadência do Bairro do Recife Antigo, decorrente de uma exacerbada miopia política, nem é bom falar. Fica para outro dia.
Pois é, não obstante as constantes notícias alarmantes da TV, sobre a “guerra” que se trava todo dia nas favelas da periferia carioca, o Centro carioca é muito agradável de ser visto. Recomendo.

Nota: As fotos são do Blogueiro

6 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Girley, também adoro ir ao Rio de Janeiro. Também não vejo as "cobras e lagartos" que dele falam. Valeu, muito legal seu post de hoje. Beijo de Maria

Paulo disse...

É isso aí Caríssimo Girley,
Infelizmente nosso Recife antigo sucumbiu e o Rio de janeiro, apesar da guerra urbana e criminalidade setorizada, consegue preservar seus encantos.
Parabéns pela matéria.
Grande abraço,
Paulo Miranda

Helenomelo disse...

PREZADO AMIGO GIRLEY:
Cheguei ao Rio na última sexta,19, com Marta para tomar conta das três netas enquanto Rico e Paula viajam aos EEUU.
O seu Editorial chamou a minha atenção para as informações sobre o Centro do Rio de Janeiro. Pretendo ir lá, embora esteja na Barra. Vou almoçar na Colombo, um programa impérdível.
Abraços. Heleno Melo

Tarciso Calado disse...

Ok Girley, tambem, ouvi comentários, de um amigo meu, que foi recentemente ao Rio de Janeiro, e ficou impressionado, pela limpeza e organização do Centro do Rio. Valeu amigo, espero-o no Rótary Apipucos. Tarciso Calado

Tarciso Calado disse...

Ok Girley,
tambem, ouvi comentários, de um amigo meu, que foi recentemente ao Rio de Janeiro, e ficou impressionado, pela limpeza e organização do Centro do Rio. Valeu amigo, espero-o no Rótary Apipucos. Tarciso Calado

Ina Melo disse...

CARO GIRLEY, PARABÉNS PELA CRÕNICA. EU TAMBÉM AMO O RIO DE JANEIRO, PARA MIM ELA CONTINUA SENDO A CIDADE MARAVILHOSA. CIDADES E MULHERES SÃO BASTANTE PARECIDAS, CADA UMA DELAS TEM SUA BELEZA PARTICULAR. QUEM VÊ COM OS OLHOS DO AMOR, VER SEMPRE O MELHOR.
INA MELO