quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Estão de Olho!

Se há uma coisa que me incomoda, em viagem ao exterior, é ter que comentar ou explicar sobre a corrupção endêmica que existe no Brasil. É lamentável, mas, este é um assunto recorrente para quem observa nosso país a partir de uma ótica externa. Como não tenho saida , vou ao tema sem temor.
Na quarta-feira passada amanheci o dia assistindo ao noticiário da TV e tomei conhecimento sobre o ranking da corrupção no mundo, publicada pela Transparency International, que é uma entidade, com sede em Berlim (Alemanha), formada por uma Coalizão Global de Entidades que lutam contra a corrupção no mundo inteiro (Vide mais clicando em: http://www.transparency.org/) e, desde 1995, levanta a percepção da corrupção em vários países. Para calcular a nota de cada país, a ONG recorre a opiniões de entidades da sociedade civil, agências de risco, empresários e investidores sobre a percepção a respeito da transparência do poder público. Respostas processadas e consolidadas elabora-se uma tabela com uma pontuação que vai de zero (mais corrupto) a 100 (menos corrupto). Fui buscar dados oficiais nesse site e comento, a seguir, o que encontrei.
Neste ano de 2014 foram pesquisados 175 países reunindo opiniões de aproximadamente  150.000 entrevistas. O Brasil ocupa o 69º posto, com a nota 43, na referida escala a de 0 a 100. Nenhum país alcançou a media 100, isto é, sem qualquer indicio de corrupção. No topo da lista está a Dinamarca com a média 92. É lá onde se registra a menor percepção de que seus servidores públicos e políticos são corruptos. Depois vem, em segundo lugar, a Nova Zelândia, seguida, pela ordem, por Finlândia, Suécia, Noruega, Suíça, Cingapura, Holanda, Luxemburgo, e Canadá. Os Estados Unidos vem no 17º lugar igual que Barbados, Hong Kong e Irlanda. Ah! Empatados com o Brasil estão: Bulgária, Grécia, Itália, Romênia, Senegal e Suazilândia.
Brasil, com essa nota 43, e o México com 35, são destaques no relatório. O Escândalo da Petrobrás é tomado como o melhor exemplo da corrupção da nossa banda e entre os mexicanos o que chamou atenção foi a matança de mais de 40 estudantes em Iguala, pondo em evidencia a corrupção que permite a bandos de criminosos dominar instituições públicas. Ali o narcotráfico impera e muitos são os políticos reféns dos traficantes. Aprofundando minha pesquisa e para ter referenciais de comparação, procurei informações sobre outros vizinhos latino-americanos. Chile e Uruguai foram os melhores posicionados, empatados em 21º lugar, com nota 73. A nossa hermana Argentina não vai muito bem, porque alcançou o escore de 34 pontos e ocupa o 107º lugar. E, o que já era de se esperar, o mais corrupto da America do Sul é a Venezuela, com índice 19. Dá uma tristeza... Pobre América Latina!
Segundo o estudo, os países mais corruptos do mundo são Coréia do Norte e Somália, empatados com a nota 8. Quer saber do ranking por completo clique em:  http://www.transparency.org/cpi2014/results Para facilitar veja o mapa a seguir que dá uma boa ideia de como se distribui a corrupção neste mundo de meu Deus. Quanto mais vermelho mais corrupto é o país. Quanto mais próximo de amarelo menos corrupção.

Dizem os estudiosos, entre os quais antropólogos e sociólogos, que o ser humana trás no DNA traços e genes da corrupção. Qualquer um está passível de se tornar um corruptor ou se deixar corromper. Cabe à organização social de cada comunidade estabelecer regras de convivência e ordens severas para o controle do progresso social, político e econômico.
Na maioria dos casos, o Brasil em particular, a ordem social tem se revelado impotente no controle da corrupção. O que se vê, com muito cinismo e certa apatia da sociedade, são casos seguidos de assaltos ao patrimônio público e desrespeito  à sociedade.
É preciso muito exercício de ética e formação moral, na base educacional, para que se chegue próximo de um estado livre dos corruptos e honesto com sua sociedade. Além da formação básica do cidadão honesto é preciso que haja, entre outras regras: a) um sistema de transparência nas contas e nos investimentos governamentais; b) o fim da impunidade dos corruptos; c) a proteção para o cidadão que deseja denunciar corruptos e corruptores; d) financiamento público para as eleições, evitando a infiltração do crime organizado, a lavagem de dinheiro, além das disparidades de orçamentos de campanhas de candidato a candidato, levando a que bons valores sejam preteridos dando lugar a outros sem ética e sem vocação para a coisa pública, entre outras manobras espúrias.
Confesso que os resultados que conferi nessa pesquisa tomaram-me de surpresa. Sempre soube que há muita corrupção espalhada mundo afora, mas, imaginei que bem menos. Ainda bem que Estão de Olho!

NOTA: Mapa obtido da Transparency International

6 comentários:

Danyelle Monteiro disse...

Parabéns pela análise e divulgação da pesquisa!

Unknown disse...

Tenho dito sempre que esse vírus é planetário ,mais com muita tristeza por que "corrupção " tem servido para muitas coisas em especial no Brasil "atiçar o ódio". Gostei da sua leitura.

Rosângela Sarmento disse...

Meu querido Primo. É sempre bom ler suas postagens, elas me transportam e me dão uma deliciosa sensação de viagem pela vida e pela história .

Sonia Canavarro disse...

Excelente seu comentário !!!
Sonia Canavarro

Susana González disse...

omo mexicana me da verdadera pena ver esto y las consecuencias se están sintiendo, la inconformidad social crece cada día y vamos de sorpresa en sorpresa con muestras de corrupción. Todas las reformas a las leyes aprobadas son negocios de políticos de cualquier partido. Es cierto que esto viene desde la colonia, pero ahora a llegado al punto de no respetar ni la vida de nuestros semejantes.
Susana González

Mauro Santos disse...

Muito bom. Gostei desse estudo.
Mauro Santos