domingo, 25 de março de 2012

CIDADE ETERNA

É sempre muito auspicioso entrar em Roma, a Cidade Eterna. E, melhor ainda, quando se faz por via terrestre, como nosso caso, nessa última visita. Foi uma sensação prazerosa, naquela noite de fevereiro, entrar na cidade pela a histórica Via Aurélia. Claro que não se trata da Antiga Via Aurélia porque seria impossível mantê-la no traçado e formato daquela época, mas sim uma via à moderna. De todo modo é importante ter a consciência de que por ali generais e centuriões guerreiros do antigo império romano marchavam garbosos, prestes a entrar triunfantes na capital do mundo de então e receber ovações e coroas de louros. A antiga Aurélia foi iniciada pelo Cônsul Aurélio Cota, no século III a. C. na direção norte do Império, até Genova. Partia da Porta Aurélia, na muralha Aureliana, dentro da Roma antiga. Hoje ela se estende ao longo da costa italiana e liga Roma à França. Cansados da viagem do dia, resolvemos – depois de belo jantar – descansar e sonhar com o dia seguinte, que prometia um mergulho na história. De fato, percorrer Roma é viver uma lição de história a cada curva, cada esquina, cada praça. Após uma panorâmica city-tour, elegemos os locais a visitar com mais detalhes. A primeira parada foi no Coliseu, que nos tomou uma manhã. (Vide foto acima). Percorremos cada plano e cada espaço, ouvindo atentamente a história contada por uma simpática guia chilena. Ficamos inteirados dos chamados jogos ali realizados, com lutas de gladiadores e sacrifício de condenados, entre os quais muitos cristãos, entregues às feras. À platéia, a ordem imperial era distribuir pão e vinho para agradar o povo. Foi ali que nasceu a estratégia política do “pão e circo”, para ludibriar os tolos eleitores. A velha estratégia é copiada até hoje. Agora, o pão é distribuído em bolsas ou "todos com a nota". É curioso observar que no entorno do Coliseu existe toda forma de fazer negócio. Cachorro quente, refresco, sourvenirs etc. Há também, divertidos “atores” caracterizados de centuriões ou gladiadores romanos, cobrando Euros 10,00 por uma foto com eles. Entramos na onda, por pura farra. Vide foto. Mas, cá prá nós, a indumentária do centurião de Nova Jerusalém é bem mais caprichada. Saindo do Coliseu visitamos as ruínas do Fórum Romano, foto a seguir, incluindo pontos importantes como o senado, templos e arcos de vitórias e o local onde caiu morto Julio Cesar, que recebe flores de alguns visitantes. Sempre caminhando – Roma tem que ser visitada a pé – alcançamos a famosaPiazza Venezia com seu monumental Altar da Pátria, inaugurado em 1911, em homenagem a Vitorio Emanuel II, primeiro Rei da Itália unificada e considerado o Pai da Pátria. Trata-se, na verdade, de uma obra recente. Pelo seu formato, os italianos a chamam de “máquina de escrever”. Parece mesmo. Mas, os turistas brasileiros costumam chamar de “bolo de noiva”, não apenas pelo formato, mas também pela brancura do mármore que reveste. Vide a foto a seguir.Não fosse a imponência e o simbolismo que encerra, seria, de fato, um monstrengo numa Roma monumental e histórica. Eu, pessoalmente, costumo sentar num café daquela praça – o Café Brasiliana – e, por algum tempo, admirar o “bolo de noiva”. Mas, nessa praça se encontra também o famoso Palácio Veneza, antiga embaixada da Republica de Veneza, herdado pelo Governo da Itália unificada no qual, desde uma das suas varandas, o Duce Benito Mussolini, criador do Fascismo, fazia seus comícios pregando a filosofia fascista e a inserção da Itália na 2ª. Guerra Mundial, da qual saiu destroçada.
Correndo contra o relógio, apressamo-nos porque Roma guarda uma infinidade de outros monumentos que não podíamos deixar de visitar. Lembro, entre esses, a Fonte dos Desejos (Fontana di Trevi), olhe a foto acima, localizada, para surpresa de todos, num canto apertadinho da cidade. A gente entra num "beco" transversal da agitada Via do Corso e lá está a famosa fonte. É uma beleza de monumento! Sempre lotada de turistas (mas, quando estiver por lá, cuide da carteira) e todo mundo jogando, de costas, uma moedinha, pedindo um desejo qualquer. Saindo dali, foi a vez da famosa Piazza Navona. Repleta de fontes e monumentos, essa praça tem especial importância para os brasileiros porque é lá onde se encontra a Embaixada do Brasil, num dos mais belos palácios da cidade, comprado, por uma bagatela, no governo de Juscelino. A praça é um local muito movimentado, repleto de artistas pintores, malabaristas, artesãos, além de inúmeros bons restaurantes. Além disso, foi a vez de percorrer a charmosa Via Sistina, começando na Piazza Barberini, até alcançar, lá no final, a igreja da Trinitá dei Monti – dizem que a mais fotografada de Roma – na Piazza Espanha. Vide foto ao lado. Descemos a grande escadaria e curtimos admirá-la, como sempre, repleta de jovens. No final das escadas, na Praça da Barca, adentramos na sofisticada área de comércio das vias Condoti e Fratina. Só dá prá ver e tentar acreditar. Vi numa vitrine, uma bolsa que era o dobro do valor da passagem aérea que nos levou a essa viagem. Mas, tem quem compre!
Para completar, claro, passamos quase um dia inteiro no Vaticano. Basílica de São Pedro, museus e troca da guarda foram nossos focos. (Vide foto a seguir) Saímos em estado de graça, na Cidade Eterna. NOTA: As fotos postadas são da autoria do Blogueiro. A foto da Igreja Trinitá dei Monti foi obtida no Google Imagens.

3 comentários:

Ina Melo disse...

Oi! amigo, as fotos estão lindas. Que belo passeio pela Roma eterna. E o Café do Grego, heim! E a neve? neste mês de fevereiro uma amiga esteve lá e a cidade estava branca.
Ina Melo

José Artur Paes V. Melo disse...

Girley, seu blog atiçou a memória de uma resposta quando perguntam o que eu faria se tirasse sozinho na mega sena -- "Comprava passagens só de ida, e como a terra é redonda um dia voltaria". Ver e rever tudo isto não cansa nunca. Parabéns pela verve globetrotter !!! - Abs. José Artur Paes

Isabel Ybarra disse...

Estimado Girley
Felicidades desde Mexico querido amigo,
Aquí es más fácil que vengan los visitantes de tan lejos, como el Papa Benedicto XVI. Oye cuando me invitas a viajar?? Se ve que la pasas bien.
Isabel Ybarra