sexta-feira, 3 de julho de 2009

TRÊS EM UM

Quando a gente assume assinar um Blog semanal, como é o meu caso, fica permanentemente antenado, com tudo que vê e vive, para comentar. Ao mesmo tempo, como reações muito positivas, aparecem gentis leitores sugerindo temas que é deveras gratificante. Fico muito sensibilizado com essas interatividades.
Esta semana, por exemplo, recebi várias provocações: uma leitora do México me pediu um comentário sobre a vitória do Brasil na Copa das Confederações. Ela confessou ter acompanhado o jogo, realizado na África do Sul, e vibrado com a garra brasileira contra os gringos. Outro, do Chile, quase me exigiu um manifesto contra o golpe de estado em Honduras. No mesmo dia, alguém me pediu um comentário sobre a morte de Michael Jackson e, por fim, um pedido de apoio do Blog a um projeto de combate à exploração sexual de mulheres, adolescentes e crianças do sexo feminino, em apoio a um grande projeto nacional. Este último tema vai ser meu assunto para uma postagem à parte. Hoje, vou atender, numa postagem do tipo 3 em 1, meus outros amigos. Antecipando, asseguro que farei de forma simples e objetiva, com os humildes comentários a seguir:
Provocação Nº.1 – A vitória do Brasil, de virada, contra a seleção dos Estados Unidos, sagrando-se campeão da competição disputada na África do Sul foi, sem dúvida, muito boa, sobretudo pela virada do segundo tempo de jogo, provocando muita emoção nos brasileiros que já davam como perdidos e pelo simbolismo que sugere. Mais uma vez o futebol brasileiro mostrou sua tenacidade futebolística e, desta vez, contra um adversário sem tradição na modalidade. Pessoalmente, acho que esta seleção de Dunga não é das melhores. Ainda não tem a formação desejada para convencer. Acho que para o Mundial de 2010 vai ter que ser bastante burilada e reforçada. Alguns jogadores incensados mundo afora, Robinho por exemplo, ainda não deram o que se deseja ou que faça jus à fama e grana preta que põe no bolso a cada mês. Não posso me estender muito por falta de competência no assunto e de espaço, mas, devo dizer que fiquei de peito lavado ao ver os netinhos de Tio Sam de “rabinho entre as pernas” e cabisbaixos, coisa que eles odeiam e não sabem administrar, recebendo as medalhas de vice-campeões. Foi um castigo porque já queriam dar sinais de nova liderança nos campos do soccer. Não foi desta vez. Acho, até, que um dia eles irão chegar lá. Mas irão é futuro e a Deus pertence.
Provocação N°.2 – Meu amigo Julio Silva Torres, chileno da melhor cepa, passou uma semana revoltado com o golpe de estado em Honduras. Com razão, manifestou de todo modo que pode sua revolta e pediu-me colaboração no Blog. Bronca pequena para quem tem noção de perigo. O que aconteceu em Tegucigalpa é uma tremenda abertura de precedente para uma America Latina cheia de candidatos a ditador. Alguns já o são mascaradamente e, embora se manifestem publicamente contrários ao golpe hondurenho, acho que estão intimamente torcendo para que as coisas se consolidem. O mundo está dando um recado de maturidade política ao se posicionar contrário a qualquer tipo de ataque à democracia, como este de Honduras. Até os Estados Unidos, que no passado reconheciam e davam suporte aos golpistas oportunistas, já cravaram sua condenação, a meu ver, de peso. ONU, OEA e o resto do mundo estão de mãos dadas nesse repúdio e determinando o restabelecimento da ordem. Vejo Honduras – pobre e subdesenvolvida – num beco sem saída. Acho que os desdobramentos podem ser de grande monta, em prejuízo da paz nas Américas. Um perigo! Afinal, tem coisa mais absurda do que trair um regime democrático? Se no passado isto era repudiado e foi banido em meio mundo, em pleno século 21, é abominável. Aliás, não existe adjetivo adequado. Viva Manoel Zelaya! Que volte ao poder. Não importa, por enquanto, seus projetos políticos, que podem até ser espúrios, mas o fato é que o derrubaram com um golpe contra a democracia. E isto é inaceitável.
Provocação Nº.3 – A morte de Michael Jackson. Não sei por onde começar, diante dessa insólita “comoção” mundial. Sinceramente fico pasmo com tudo que venho assistindo. Para ser franco, nunca fui ligado ao sucesso desse cantor. Talvez por não ser fã da chamada onda pop ou por não fazer parte daquela geração. Nem sei direito o que vem a ser pop. Muito menos entender porque significou a mixagem da musica dos negros com a dos brancos. Talvez falta de interesse, mesmo. Ademais, nunca admirei as mungangas que ele fazia. Pode até ter algum valor coreográfico. Como não sou bailarino, não posso opinar. Vi alguém na televisão comparando-o com Fred Astaire e tentei corrigir os conceitos que fazia sobre o rapaz. Foi difícil. Fred Astaire? Jackson? com aquela máscara branquela? Sei não! Certamente que ele foi um sucesso para as gerações dos anos 70 e 80. Até em casa vi meus meninos imitando os remelexos dele. Mas... cá prá nós... nunca vi, antes, tanto desajuste e irresponsabilidade, quantos atribuídos a esse astro da parada de sucesso da billboard. Acho, aliás, que ele foi um péssimo exemplo para sua geração, além de ser – que é muito sério – um retrato fiel do preconceito racial nos Estados Unidos. Agora, depois dessa morte cheia de mistérios – bem ao seu estranho estilo – não aceito essa overdose midiática que cobre o caso. Nosso mundo está mesmo carente de verdadeiros líderes, haja vista que o que se vê pela TV rivaliza com a cobertura de exéquias de um Papa. Ele não passava de um cantor bailarino... mais bailairino, aliás. Ah! Tenha dó.
Tenho dito, por hoje. Bom fim de semana!
NOTA: Fostos colhidas no Google Imagens.

10 comentários:

Corumbah disse...

Grande Girley:

Acho que cheguei muito cedo a seu blog pois nem fotos havia. Agora aí estão.
Mas, eu não ousaria comentar os três assuntos que você comentou assim a cru mas vou parabenizá-lo pela coragem.
A seleção (brasileira?) não me empolga, assim como a fórmula 1 já era. Acho que está faltando um agregador.
Honduras, foi dado um golpe num cara que queria dar um golpe à la Chavez. Fico no muro.
Michel Jackson vai demorar muito a ter paz. Deus tenha pena de sua sofrida alma.
Em resumo, parabéns meu amigo!
Corumbá

Antonio Lucas disse...

Amigo Girley:
Excelentes as suas colocações.
Pois é: observei que a rede Globo destinou um tempo excessivo ao M.
Jackson e em todos os seus Jornais televisivos.
Não haveriam outros assuntos de interesse dos brasileiros e que se
vinculassem ao próprio Brasil?
Parabéns pelas abordagens.
Um forte abraço.
Antonio Lucas

Julio Silva Torres (Chile) disse...

CARO IRMAO GIRLEY
¡Me encanta tu capacidad de síntesis!
Gracias por interpretar y denunciar el "golpismo" que a partir de la tragedia hondureña, empieza a renacer soterradamente en nuestros países, según podemos escuchar en muchos grupos de opinión, que tratan de explicar lo inexplicable.
Esta es la hora de detenerlos de raíz y en forma definitiva. Para ello es indispensable reposicionar al Presidente derrocado, quien quiera que fuera. Bien Girley, cuando dices "¡Que volte ao poder!"
Abraços
Julio

Susana González disse...

Girley
Gracias por haber tenido en cuenta mi pedido de hablar del fútbol brasileiro, me encanto como siempre todas tus reflexiones. De Brasil estoy segura que mejorará porque siempre lo hace empieza muy flojo y termina siendo el campeón, pero esta vez habrá un agregado que de alguna manera lo celebraremos juntos.En cuanto a Honduras, estoy totalmente de acuerdo contigo también te mandare mi comentario, hablando del curso de los hechos.
Susana González (México)

Anônimo disse...

Posso falar? Faço minha as palavras abaixo:

“Reinaldo Azevedo
Honduras e a laia de ditadores e pusilânimes
segunda-feira, 29 de junho de 2009 | 21:37
É claro que a situação de Honduras é muito difícil. Como já afirmei aqui, é até possível a volta do golpista Manuel Zelaya ao poder. ...
O Itamaraty puxa o saco de ditadores bem mais desprezíveis, de verdadeiros genocidas, por que não de um Zelaya qualquer? ...
Roberto Micheletti, presidente interino, vai tocando a vida. Deu posse a cinco ministros de estado e tenta demonstrar que a ordem constitucional está preservada — com efeito, tivesse acontecido o referendo pretendido por Zelaya, ela teria ido para o brejo, sob o silêncio cúmplice daqueles que agora protestam. E aí está o “x” da questão; aí está o “segredo” escancarado dos ditos bolivarianos: destroem a ordem legal com uma aparência de consulta democrática. ...
A palavra “golpe” só é empregada para os militares. Há um absurdo silêncio sobre o golpismo do presidente apeado do poder. A tramóia chavista, por enquanto, está dando resultado. ...
Quem democratizou o país não foram os ditos “bolivarianos”. Eles apenas aproveitaram o momento de liberdade para tentar dar o seu golpe. Zelaya não cumpriu o juramento que fez ao tomar posse: RESPEITAR A CONSTITUIÇÃO. Se voltasse, juraria de novo?”
Ungido pelos votos da camada social mais necessitada e menos informada, é fácil para o malabarista de palavras – carismático -, exercerem o marionetismo.
M. Aurélio

Wilma disse...

Girley,
Sempre muito sábios todos os seus comentários.
Especificamente quanto a nossa seleção, você tem razão e acho mesmo que está faltando muito para enfrentar a copa de 2010,mas como temos fé, esperamos que ela esteja pronta até lá para nos trazer grandes alegrias.Agora,que foi bom vê-la sendo tri da Copa das Confederações foi,e de virada,ah...... foi especial,de luxo!
Grande abraço.
Wilma Reis.

Jorge Morandi disse...

Caro Girley:

Nuevamente mis felicitaciones por lograr decir tantas verdades con ese tono ameno y respetuoso que es su marca registrada.
No me voy a referir ahora a la Copa ni a MJ, porque suscribo enteramente sus opiniones al respecto.

Sí, en cambio, pretendo polemizar con algunos de sus lectores que defienden el Golpe de Estado en Honduras, asegurando que "a ordem constitucional está preservada".
Estimado señor Anónimo (que por no tener opinión propia, cita a un tal de Reinaldo Azevedo):
Si llamamos "ordem constitucional preservada" al ataque con 200 hombres armados en horas de la madrugada a una residencia presidencial; a la expulsión del país de un presidente elegido democráticamente; a la represión policial contra un pueblo sufrido y pobre; a la suspensión de los derechos constitucionales de reunión, de manifestación y de pensamiento; etc; etc; es que no estamos entendiendo el significado de la DEMOCRACIA.

La Democracia, Sr. Anónimo, significa entre otras cosas, la existencia efectiva de garantías irrestrictas a derechos humanos básicos como por ejemplo el JUICIO JUSTO, el DEBIDO PROCESO, y el DERECHO A DEFENSA. Suponiendo que el Sr. Zelaya haya cometido alguna violación a sus deberes de funcionario público, tendría que haber sido sometido a los PROCEDIMIENTOS DE JUICIO DEMOCRÁTICO garantizados por la Constitución.

Sólo imaginemos por un instante un país o un mundo en el que cualquier militar con mando de tropa, decide expulsar a un presidente simplemente porque piensa que ha cometido algún delito. Francamente, Sr. Anónimo, le dejo ese país y ese mundo para Ud. solito, porque yo no quiero vivir en él.
Por último: es asustador el nivel de desinformación impuesto por la corporación mediática internacional (con CNN como carro chefe), y que todos repiten como cacatúas. Que por favor se entienda que el Sr. Zelaya NO ESTABA PROMOVIENDO NINGUNA REFORMA CONSTITUCIONAL. Simplemente quería hacer una consulta para que el pueblo se pronuncie si el día de las elecciones presidenciales del mes de noviembre(en las que Zelaya no iba a participar) estaría de acuerdo en que se coloque una cuarta urna para opinar sobre una futura reforma constitucional a partir de 2010.

El pensamiento del Sr. Anónimo también me asusta, porque me hace recordar a una frase que se repetía en la Argentina en la época de la dictadura cada vez que una persona era detenida: "..por algo habrá sido...".

Ese "...por algo habrá sido.." significó en mi país el dolor de tener que llorar, varios años después, a más 30.000 compatriotas muertos por la represión militar.

Anônimo disse...

Posso falar novamente?

Primeiro: o Anônimo registrado no cabeçalho, deve-se por eu não ter conta no Google - é obrigatório? – mas, no final, o texto é identificado - M. Aurélio. Entendeu! Senhor Morandi.

Segundo: há várias maneiras de expressar opinião, uma delas é transcrever, mencionar, citar o texto de outra pessoa – isto significa não ter opinião própria? - como exemplo de comunhão de pensamentos e apoio. No presente caso, esse tal Reinaldo Azevedo é colunista no site da revista Veja - http://veja.abril.com.br/index.shtml . Entendeu! Senhor Morandi.

Terceiro: apesar de divergir da maioria dos leitores – inclusive o autor do blog -, educadamente, democraticamente, sem nomear ou agredir nenhum dos leitores, expressei minha opinião da maneira que me pareceu mais conveniente. Entendeu! Senhor Morandi.

Marcos Aurélio

Anônimo disse...

Prezado amigo Girley,
Quanto tempo !!!

É sempre uma alegria ver que os amigos continuam na ativa, bravamente....

Sou seu leitor já há algum tempo, conduzido ao seu blog pelas mãos da Cidinha, que sempre nos faz chegar os textos mais interessantes da internet, não apenas sobre Rotary, mas sobre os mais diversos e provocadores temas.

Esta nota serve apenas para registrar minha visita, e lhe desejar todo o sucesso do mundo !!

Pablo Manoppella

NOTA:
Vi na internet e pensei logo em Você.....

Abre aspas
Ser pernambucano é...

Considerar Reginaldo Rossi Rei
Acreditar que a Recife é mesmo a 'Veneza Brasileira
Defender o frevo, mas não fazer um passo sequer (apenas 'dançar com os dedos')
Amar as pontes do Recife sem conhecer o nome de uma apenas
Preferir botecos a fast-food
Gostar de qualquer música que fale de sertão, mangue, etc.
Gostar de comer caranguejo
Saber o significado das palavras 'pirangueiro','pantim' e 'mangar'
Ter orgulho de dizer que o sonho de todo cearense é ser pernambucano
Adorar bolo-de-rolo e suco de pitanga
Ir ao Alto da Sé em Olinda apenas para ver Recife ao longe e comer tapioca
Correr no Parque da Jaqueira e depois se empanturrar de caldo de cana na saída
Jantar olhando para a lua incrivelmente linda na praia de Boa Viagem
Achar que Recife seria melhor se os holandeses tivessem permanecido
Admirar Mauricio de Nassau mesmo sabendo pouco sobre ele
Conhecer a estória de Biu do Olho Verde e da Perna Cabeluda
Freqüentar a praia em frente ao Acaiaca
Tomar água de coco na praia
Ficar dividido entre a beleza de Porto de Galinhas e Itamaracá
Ter saudade da Livro 7
Saber distinguir entre o Maracatu do Baque Solto do Maracatu do Baque Virado
Conhecer as músicas de Alceu Valença, Geraldinho Azevedo e Lenine
Achar que você pode tirar uma pessoa de Pernambuco, mas que nunca poderá tirar Pernambuco de alguém que nasceu ou já viveu lá (sim, eles se tornam pernambucanos de coração!)

Fecha aspas

Julio Silva Torres disse...

QUERIDO HERMANOS GIRLEY Y JORGE LUIS
Después de haber dado por cerrado el tema el Golpe, y habérselo comunicado a un recordado amigo hondureño; Jorge Morandi me indujo a leer nuevamente en el blog de Girley, una notable reflexión suya, motivada como reacción a lo expresado por un señor “anónimo”.
No tengo intención de involucrarme en nuevas discusiones, porque comparto lo escrito por mi amigo Jorge. Menos estoy dispuesto a hacerlo con alguien que se amparó en una excusa tan ingenua como que no estaba inscrito en Google, para justificar su anonimato, y posteriormente persistir en ello al poner su nombre incompleto.
Jorge, no vale la pena molestarse con gente que expresa su molestia no por el hecho que se discrepe con sus dichos, sino porque lo trataste de “señor anónimo”. Este ex-“anónimo” ahora identificado como M. Aurelio debiera agradecer a Morandi que lo haya tratado de “señor” ¿Entendió señor M. Aurelio?
Julio Silva Torres
Santiago (Chile) 17-07-09