sábado, 27 de junho de 2009

Recife: Uma cidade abandonada

A prefeitura do Recife anda mesmo “pisando na bola” ao não saber administrar a questão da coleta do lixo. Nosso prefeito, até agora, só tem dado sinais de incompetência na gestão que assumiu em janeiro passado. Hoje (26.06) li num dos jornais da cidade que havia sido rompido o contrato com a empresa encarregada, há anos, pela coleta do lixo da cidade. Fiquei – como morador e contribuinte – preocupado com o que poderá ocorrer depois disso. Sem poder fazer qualquer coisa, resta-me apenas protestar e desejar uma substituição rápida – pouco provável, dados os lentos tramites burocráticos – ou ver acontecer uma operação emergencial para deixar a cidade em condições habitáveis e visitável.
O Recife vem, nesses últimos meses, entregue à sujeira e maus tratos, sem precedentes. Não precisa ir muito longe. O centro da cidade, bem como artérias em bairros importantes, se encontra em estado de verdadeira calamidade. Não dá para mostrar a cidade a um visitante sem passar por dificuldades e vergonha. Isto aconteceu comigo. Acompanhei um cidadão, misto de empresário e turista, pelas imediações da Praça Joaquim Nabuco, Rua da Concórdia e região da Casa da Cultura e amarguei uma vergonha sem tamanho. As galerias pluviais entupidas, as calçadas tomadas pelas águas, o lixo acumulado pelos cantos, a fedentina de urina e fezes incensando. Um verdadeiro caos. Inventei desculpas de toda ordem. Para completar, “mariposas” prostitutas horrendas vendendo seus serviços sexuais em plena luz do dia, numa manhã se sábado. Saímos escapando de um lado para outro temendo algum prejuízo, isto é, sujos de lamas ou águas fétidas ou, quem sabe, escorregar numa sujeira qualquer.
Dado infeliz momento, meu ciceroneado manifestou interesse de se aproximar da murada do rio Capibaribe para ver de perto o manguezal, exuberante a distancia. Um choque! A vergonha foi bem maior. O que vi lá é algo como a antevisão do caminho que, segundo pintam, leva ao inferno. Quanta sujeira! Cá pra nós, de um primitivismo atroz (Foto a seguir). Dizem que as margens do Tamisa, na Londres dos séculos 17 ou 18, eram tão sujas e fétidas que provocava mortes na população, pela falta de higiene pública. Foi do que lembrei e cheguei a comentar com meu amigo visitante.

A partir dali resolvi não inventar mais nenhuma desculpa. Diante daqueles fatos concretos, não havia mais o que fazer ou dizer. A coisa além de feia era a pura realidade. Foi então que resolvi fotografar tudo que me apareceu pela frente e protestar neste espaço, apesar de pouco lido e humilde.
Numa atitude de gentileza, meu amigo, percebendo a minha perplexidade, se apressou em me acalmar com comentários elogiosos ao prédio da Casa da Cultura, ao mérito de transformar uma velha prisão num espaço cultural, o casario da Rua da Aurora, a ponte da Boa Vista, as igrejas seculares, o artesanato que comprou e, por fim, reforçando seu gesto, lembrou que o brasileiro ainda não aprendeu a preservar suas cidades ou cultivar hábitos de higiene coletiva. Isto ocorre, argumentou, no país inteiro, aqui ou na próspera cidade onde vive, no interior de São Paulo. Fiquei agradecido, mas, entalado, sem ter o que dizer, com o abandono da minha cidade. Uma coisa meu amigo tinha razão quando disse que o povão pouco se incomoda em depositar seus descartáveis nas lixeiras apropriadas. A prova estava ali diante dos nossos olhos: cascas de frutas, copos plásticos usados, latas de refrigerantes, pontas de cigarro, sacos plásticos vazios, garrafas, roupas velhas, caixas de papelão, vasos sanitários quebrados, moveis imprestáveis, tudo enfim, é abandonado na via pública a espera da coleta que, infelizmente, não vem.
Ao fim da manhã, peguei meu amigo pelo braço, meti-o dentro do carro, e procurei um local mais digno do visitante. Escolhi a varanda do Country Club, que por sorte sou sócio, onde pude amenizar a péssima imagem que ele guardou dos canais e margens da Veneza Brasileira.
Socorro, Prefeito! Cuide da nossa cidade! Além de ser sua missão, lembro que julho é mês de férias e a cidade precisa estar apta para receber os turistas!


NOTAS: 1) As fotos são do Blogueiro, em momento de desespero.
2) O Blogueiro vai tomar providências para que esta postagem na seja enviada aos leitores de fora, principalmente estrangeiros.

14 comentários:

joe disse...

Girley
Ontem às 11hs estacionei o carro ao lado da Faculdade de Direito e fui caminhando até o TCE na rua da Aurora. Passei na frente da COMPESA
e fiquei com remoendo porque minha cidade fede tanto. Esgoto e lixo ao longo do caminho. Que conluio desgraçado existe entre os governos estadual e municipal para deixar a cidade tão degradada. A população em geral tambem não ajuda, parece que se acostuma com a sujeira.
Continue com sua indignação caro amigo
um abraço Joe

Heleno Melo disse...

Meu caro Girley:

Estamos em Toronto, Marta e eu, visitando filho, nora e netas (3). Abri o seu blog e fiquei assustado com a visão da sujeira reinante em Recife. Infelizmente você estava acompanhado de um ilustre visitante e não pode esconder a realidade de nossa cidade. Aqui em Toronto a cidade é muito limpa e bonita. Já passeamos bastante. Fomos a Québec. A Old Québec é uma maravilha. Lembramos um pouco de Olinda, com os seus casarios, bares e artezanatos. Mas não há comparação. Lamentavelmente.
Heleno Melo

Ana Maria Menezes disse...

Girley não é só a cidade que está um lixo e isto vem desde o início do carnaval onde ficamos horrorizados em ver as montanhas (digo montanhas enormes, nada de saquinhos aqui e acolá) no centro da cidade. Pra mim está também um lixo nosso Congresso que bem merecia uma varredura geral da população, até agora parada sem levantar os punhos. Se ninguém reage ou fica somente no palavreado absolutamente nada vai acontecer. Poderíamos até começar num ato perfeitamente pacífico, despejar nosso lixo em frente a residencia dos nossos representantes, numa demonstração de revolta concreta e de cunho moral a ambos os problemas. ana maria menezes

Joselita disse...

Girley, imagino o que você sentiu ao ciceronear seu amigo. Estava à espera de um casal amigo que, graças a Deus, não foi possível a realização da viagem deles no momento. Morando em Boa Viagem, que deveria ser um cartão postal da nossa cidade, convivemos com o lixo e a fedentina, diariamente. A situação não é diferente, em nada, da que você presenciou no centro da cidade.
O que podemos fazer? Denunciar..........e esperar.
Abraço, Joselita.

Nelly Carvalho disse...

Girley
Infelizmente são comentários apropriados para a ex-Veneza Brasileira
Nelly Carvalho

Cássio disse...

Girley,

Já pensaste em enviar este teu texto para os jornais? De repente, a nossa prefeitura toma vergonha na cara. E isto não acontece desde que terminou o contrato com esta empresa, vem desde sempre. Agora será mil vezes pior. Recebi uma amiga mineira em outubro do ano passado e senti-me envergonhado. Receberei, em janeiro, outro amigo mineiro e pelo visto ficarei mais decepcionado ainda. Tenho vergonha de andar no centro da cidade durante o dia. Já "briguei" com vários passageiros de ônibus que compram aquelas pipocas e assim que comem, jogam os sacos pela janela. Tudo é uma questão de educação, coisa que os brasileiros não tem. Infelizmente. Por outro lado, seu amigo está correto em dizer que isto acontece não apenas em Recife. Não sei se isto é um conforto, mas sei que é algo que deve ser pensado (e rápido) e resolvido.
Divulga as fotos!

Abraços,

Cássio Moura Reis
www.britishpoint.blogspot.com

Jayme Vita disse...

Girley:

É MUITO LIXO / SUJEIRA + Cidade ESCURA + BURACO + MUITO MAIS

No início do ano fiz passeio no catamarã com estrangeiros, aprox 18hs, que vergonha: Estátuas de Brennand às escuras, paredes dos armazéns do porto SUJAS + amontoados de resíduos (sujeiras) ao longo do cais, etc.

RECIFE NECESSITA URGENTE DE UM ‘ ESFORÇO CONCENTRADO DE BONS TRATOS ‘

Anônimo disse...

João da Costa deu as Costas para o Recife.

Maria José disse...

Dr Girley, tenho disseminado o seu blog para as pessoas do meu relacionamento pq considero esse espaço uma tribuna eletrônica onde podemos compartilhar nossas idéias, sentimentos e indignação de forma transparente.
Sobre o lixo na nossa cidade e outras situações que acontecem realmente nos deixam decepcionados com essa nova gestão. Bom, esse lixo está a olhos vistos........
abraços
Maria José

Adierson Azevedo disse...

Prezado Girley,
Com ex-professor de Gestao Ambiental e, ha muitos anos focando na questao do lixo urbano e hospitalar (em especial), concluí que o que se passa no Recife é uma questao de esgotamento tecnológico. Sim, digo isso lembrando que, há uns 15 anos atrás ouvi de um presidentede de laboratório de análises clínicas a seguinte pérola:
"Enquanto eu tiver terreno onde jogar meu lixo (altamente perigoso, diga-se), nao preciso de uma máquna dessas (STI CHEMCLAV2000 - ver anexo)".
Mais que isso, Girley, está esgotada a tecnologia do descaso. É incrível que o entao Governo Militar tinha uma campanha publicitária (o Sugismundo, lembra?) e nossas autoridades (democráticas??) de hoje nada façam a respeito! Em outras palavras, nao acredito que o problema resida na capacidade ou na pessoa do nosso prefeito e, sim, no formato por ele herdado (de séculos, diga-se) de irresponsabilidade ambiental dos cidadaos brasileiros. Isso vai de maos custumes como fumar em locais publicos (jogado o "góia" em qualquer lugar), o desrespeito a lei do silencio, a falta de lixeirinhos nos carro (eu uso um saco plastico do supermercado para o por o lixo gerado em meu carro, sabia?). Aliás, voce ja reparou que os carros tem cinzeiros mas nao tem lixeiros? Resultado disso é nossos motoristas sao acostumados a jogar seus residuos pela janela dos carros como se donos fossem do espaço publico.
Abraços,
Adierson Azevedo

Marisa Paixão disse...

Sr. Girley, gosto muito do seu Blog e também já recomendo para alguns amigos. E não dá para deixar de comentar essa sua postagem, além do descaso gorvenamental, a falta de educação da população é muito grande, as vezes até tem lixeiros próximos, mas o povo joga o lixo no chão. Tem que ser feito um programa educacional para conscientizar a população a coloborar e cobrar uma cidade limpa, dos governantes e do cidadãos.

Terezinha Gadelha disse...

Girley
Você traduziu toda a nossa decepção e revolta pelo estado em que se encontra a nossa cidade; agradececemos por você denunciar e documentar esse ultraje que passamos, pelo andar da carruagem, sem perspectiva de melhora.Só Deus dará jeito nessa turma.
Terezinha Gadelha

Ericka Felix disse...

É, Girley. Esta situação insiste em se fazer presente na nossa querida cidade. Já estamos em 2011 e tudo está ficando bem pior...

Anônimo disse...

A situação continua a mesma ou pior,se você vai mostra a nossa cidade pelas calçadas e ruas tem lixo e polução visual por cima tem os fios das teles e da celpe ,até as nossas arvores poluem visualmente pela forma de cortar. Já passei várias vezes por esta situação desagradevel de mostrar a nossa bela e maltratada cidade a visitantes, não me conformo com isto, não precisa ir a nenhum país de 1ºmundo para ver como esta cidade encontra se abandonada,basta fazer uma visita a João Pssoa ou Natal para se ver a diferença.