quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Desafios de Porto de Galinhas

“Porto de Galinhas é uma beleza. Adorei o que vi e a dinâmica da vila. Aquelas piscinas naturais... Gostei do comércio sofisticado, dos bons restaurantes e a hotelaria é de primeira. Mas, o acesso rodoviário e a estrutura urbana ainda são muito fracas...” Foi assim que amigo meu, de São Paulo, comentou sobre sua visita ao mais famoso balneário pernambucano. Dei uma “desculpa de amarelo”, daquelas de quem defende do jeito que pode e até quando não pode. Parto sempre do principio de que turista é sempre exigente. Eu mesmo sou. Infelizmente, tenho a mesma opinião do amigo paulista. E por isso mesmo, fui conferir, in loco, neste feriadão de 15 de novembro. De fato, é uma beleza curtir a paisagem de Porto de Galinhas, com seu mar azul turquesa, suas atrações naturais, as piscinas (vide foto a seguir) os passeios de jangada e bugres e se deliciar com as várias opções de restaurantes. O comércio é simplesmente surpreendente. Ultimamente, inclusive, os lojistas locais têm caprichado na repaginação dos seus estabelecimentos e isso vem dando um novo perfil do centro comercial. O que era uma lojinha acanhada se transformou numa vistosa, atrativa e bem sortida casa de negócios, sem nada a dever dos grandes centros comerciais e, particularmente, de outros balneários no Brasil e no exterior. Está na cara que o dinheiro corre com mais intensidade e negociar em Porto de Galinhas se transformou numa atividade rentável.
Este quadro, pensando bem, já era esperado e muito se deve a dois importantes fatores: primeiro, pela concreta afluência turística, devida ao fato de que Porto vem sendo eleita – há quase dez anos – a mais bela praia do Brasil e, depois disso, a influência do desenvolvimento industrial da região vizinha, centrado no Complexo Industrial Portuário de Suape, a poucos quilometres dali. Executivos de empresa, técnicos graduados e trabalhadores da região foram, naturalmente, atraídos pelas belezas e amenidades do balneário. Muito desses já moram por ali e, por sorte, se livram a cada dia do transito caótico da Região Metropolitana. Junte a esse contigente o dos pernambucanos que mantêm suas casas de veraneio naquele paraíso tropical e pense no que pode acontecer em dias de alta estação. De uma coisa estou certo: o movimento turístico de Pernambuco se concentra naquela região litorânea. Basta uma voltinha pelas principais ruas da Vila e se nota as presenças de forasteiros nacionais e estrangeiros.
Contudo, lembrando meu amigo paulista, é decepcionante fazer a trajetória entre o Recife e Porto de Galinhas. Ele mesmo amargou 3 horas de engarrafamentos, ou seja, o mesmo tempo de vôo entre São Paulo e o Recife. Claro! As vias de acesso – BR-101 e PE-60 – são estradas de fazer vergonha. Ontem (15/11) à noite, ao retornar ao Recife, levei duas horas para um percurso que pode ser feito, no máximo e a baixa velocidade, em 40 minutos.
Outra coisa que deve ser atacada pelas autoridades locais é quanto a inaceitável infra-estrutura sanitária local. É vergonhoso circular pela Vila e respirar o mau odor de esgoto sanitário que sobe das sarjetas e de alguns pontos a céu aberto. Por mais que se entenda que o lugar cresceu de modo acelerado e desordenado, sem tempo de planejar melhor, é impossível aceitar. Do jeito que está, não pode continuar. A Prefeitura de Ipojuca tem que correr contra o tempo e dotar o local de melhor escoamento sanitário e cuidar da limpeza pública. Tem muito lixo nas ruas. Será que os turistas acham engraçadinho jogar copos descartáveis, papéis sujos e outros "bichos" na via pública? Faltam lixeiras? Dinheiro, todo mundo sabe, não falta. É uma prefeitura rica. Pelo visto, faltam competência e agilidade nas ações. Precisam salvar Porto de Galinhas, antes que seja tarde.
NOTA: Fotos obtidas no Google Imagens

7 comentários:

Danyelle Monteiro disse...

Bom dia professor,
De fato Porto de Galinhas é um paraíso e é nosso, pernambucano... quanto aos problemas logísticos, nós pernambucanos podemos falar, mas São Paulo acredito ainda está pior. No mais, para quem vem de outra região falar mal do nosso paraíso, manda nadar no Tietê, lá é que é bom e bonito.
Danyelle Monteiro

J.Artur disse...

Girley, "es vero" o que escreves s/ este destino turístico. Mas, e os outros? Itamaracá, onde os portugueses já tinham casas de taipa 8 anos antes do descobrimento?? Abandonada. E vários amigos meus, de outras plagas, conhecem o Porto, mas não Recife. Grande parte dos turistas vai do aeroporto direto para lá, e a Veneza Brasileira fica à ver navios. Democratizemos o turismo de "Peranambuco". Abraço, José Artur Paes

Regina da Fonte disse...

Girley, concordo com sua opinião,principalmente porque sempre estou indo para a Barra de Serianhém e passo por este sufoco de engarrafamento. Mas,estando lá,tudo é tão charmoso que esquecemos o lado desagradável,que afinal de contas existe em quase tudo,não é?bjs,Regina

Angela Barreto disse...

Alô Girley!!! Porto é linda e bastante preocupante, principalmente por ser um dos nossos mais belos locais turísticos. Estou em dívida com os nossos emails, porque estou fora do Recife, desde o dia 09, usando a Internet com muita parcimônia. Mesmo assim, é sempre um grande prazer ler e reler os seus excelentes artigos. Beijo grande!!!
Angela Barreto

Gilberto Braga disse...

Caro, primo,
Estava lá no mesmo feriado, dispomos de um chalé e vamos sempre que possível. Concordo e acrescento a mal sinalização das vias, uma vergonha para nossos turistas e um descaso com o dinheiro público. Vou além, nos domingos e feriados esta quase que impraticável e desconfortável ir a praia, os piqueniques e a multidão desvairada invadem tudo sem respeitar o espaço alheio. As lotações e ônibus de aluguel o crescimento desordenado e as pressas, sem autorizações nem fiscalização alguma, para explorar o turismo que não fazem questão de pagar o que pedem, até R$ 10.000,00 por semana e daí se confrontam com os desleixos da falta de administração e o descaso das autoridades. Vamos defender com orgulho nosso cartão postal que apresentou PE para o mundo e cobrar mais trabalho daqueles que deveriam dar o exemplo.
Grande Abraço,
Gilberto Braga

Francy disse...

É Porto de Galinhas é um desafio para quem quer se aborrecer num final de semana por lá...
É por essa e outras razões que prefiro a Praia do Jacaré e ouvir o Bolero de Ravel até o por do sol..
abs,

Joselita Tavares disse...

Girley, você descreveu com muita propriedade o que ocorre em Porto de Galinhas. Há apenas dois anos que ando por lá e, a diferença é alarmante. Será este o preço do progresso?
Gostaria muito de recebê-lo em minha pequena loja. Chama-se ATELIÊ DO PORTO e fica na Galeria BANTU, quase em frente ao restaurante Peixe na Telha. É uma bonita galeria, com dois cajueiros no centro, um café (Beijo Café),e vai de uma rua à outra. Nos fins de semana estou sempre por lá.
Um abraço, Joselita.