sábado, 14 de agosto de 2010

Metidos a Ricos

Esta semana ouvi um interessante comentário do jornalista Carlos Alberto Sardemberg chamando a atenção dos brasileiros para um fato no mínimo curioso: a novíssima seleção brasileira jogou contra a dos Estados Unidos num estádio de futebol, ainda não inaugurado, na cidade de Nova Jersey, numa partida amistosa. O Brasil ganhou e começou assim a Era Mano Menezes. Mas, o mais interessante foi o comentário sobre a moderna praça de esportes, com os mais sofisticados recursos de que se tem conhecimento, construído pela iniciativa privada, numa parceria entre dois times de futebol importantes e tidos como ferrenhos rivais. Vejam que coisa mais civilizada e lógica: dois “inimigos” nos gramados unem-se para, com inteligência empresarial, construir um novo estádio, necessário à prática esportiva. Coisa do tipo: inimigos, inimigos... mas, negócios à parte! Quando isso aconteceria no Brasil?
Nesta mesma semana, assisti, numa entrevista pela televisão, um dirigente do Sport Clube do Recife anunciar, para breve, a implosão do atual estádio da Ilha do Retiro para dar lugar a uma arena esportiva moderna e à altura do torcedor exigente destes atuais tempos.
Com perplexidade vejo, pela imprensa, o Governo do Estado divulgando o inicio da construção do que chama de Cidade da Copa. Fico espantando com tanta irracionalidade governamental. Um investimento que, no final das contas, não vai sair por menos de Um Bilhão de Reais, deixando os que gozam de sã consciência, neste velho Pernambuco, abismados com tamanho absurdo. Ora, meus caros leitores e leitoras, como se admite que um estado, pobre como o nosso, venha dispender tão vultosa soma de escassos recursos financeiros numa obra fadada ao abandono?
Já falei disso, neste mesmo espaço, ano passado quando o projeto foi bombasticamente anunciado (vide foto da maquete, a seguir) dando meu palpite que o tal estádio vai se transformar num campinho de peladas inexpressívas, à medida que nossos clubes têm seus próprios estádios e não pretendem aposentá-los. Ao contrário, querem modernizá-los ou construir novos.
Em Manaus, no ano passado, ouvi o protesto de um motorista de taxi com o anúncio da implosão de um estádio, creio que municipal, inaugurado há poucos anos e com todos os pré-requisitos para uma rápida reforma ou mesmo uma “maquiagem”. Em Salvador a Fonte Nova já está sendo derrubada, para dar lugar a uma Nova Fonte Nova, esta justificável porque não tinha jeito, a Fonte Nova estava velha e caindo aos pedaços, provocando acidentes fatais. O Maracanã vai passar por uma reforma esperta e muito cara. Quanto dinheiro publico, meu Deus... No meio disso tudo, temos um bom exemplo, apenas, em São Paulo, onde o governo estadual “bateu o martelo” e disse não à gastança em estádios com verbas públicas.
Diante disso tudo, fico assustado com o desperdício de dinheiro que vai rolar neste país. Impossível não concluir que muito nego vai encher os bolsos, para se sustentar o resto da vida e as dos seus descendentes. No prejuízo fica a sociedade passiva e alienada, que não vai ter dinheiro para assistir nem uma partida de jogos da Copa e contemplará, anos depois, um “elefante branco” nas brenhas suburbanas do Recife. Ao mesmo tempo, claro, continuará sem segurança, educação, transporte público digno, saúde publica e outras coisinhas mais prioritárias, necessárias à construção de uma sociedade sadia e feliz.
Sem querer correr o risco de pensar pequeno, acho que o povo brasileiro não pode ficar alheio e engessado diante dessa farra financeira e das roubalheiras que se projetam sob a égide de Copa e Olímpiadas.
Em Pernambuco caberia, isto sim, uma parceria do tipo PPP (Parceria Publico Privada) com algum clube local para a reforma de um dos estádios existentes na cidade e não esse absurdo que começam construir. Ganharia o Clube parceiro, os torcedores, a sociedade e o Governo, que pouparia um bom dinheiro redirecionando-o para outras áreas carentes, incluindo, por exemplo, a infraestrutura viária da capital e de circulação intermunicipal necessária para o sucesso da Copa.
Segundo Sardemberg os americanos são uns "pobres coitados" e nós é que somos os ricos. Para mim, somos Metidos a Ricos.
Nota: Foto obtida no Google Imagens

10 comentários:

Anderson de Oliveira disse...

GB,

Parabéns pelo blog. Seu propósito de levar a luz até as mentes atordoadas e quase alienadas é mais do que nobre.

Venho dar-lhe os parabéns, de coração. E em breve chego lá no meu diploma, pois também sou estudante de Ciências Econômicas(na UFRPE)!

Quando puder, visite-me. Sou poeta, e se apreciar bons versos, entre em: http://diarioanderson.blogspot.com

Abraço!
Anderson de Oliveira

Mestre Giobosco disse...

Comentário lúcido, lógico e que revela uma preocupação que deveria ser levada a sério por todos, mesmo aqueles que ficaram exultantes com a realização da Copa de 2014 no Brasil.
Creio que o dinheiro público deveria ser colocado apenas nas infraestruturas e que possam, realmente, serem utilizadas massivamente, para bem da coletividade, após os eventos esportivos, como a reforma dos aeroportos, por exemplo.
Estádios deveriam ser bancados apenas pela iniciativa privada.
Parabéns, brasileiro Girley Brazileiro!

wirson Bento de Santana disse...

Amigo Girley,

Mais uma vez, parabéns pelo seu Blog. Como sempre seus temas são atuais e recorrentes. Como somos economistas, enfrentamos sempre o dilema de alocar recursos escassos no seu melhor uso alternativo, visando atingir o máximo de bem estar social e econômico.
O dilema que enfrentamos é saber se isso deve ser feito pelo setor privado ou pelo setor público.
Já dizia Smith, em 1776, que o setor privado é mais eficiente. Não é isso que está em discussão.
Concordo com você inteiramente que São Paulo está dando o bom exemplo, afinal São Paulo chegou a um estágio de economia avançada. O mesmo não se pode dizer dos demais, onde o clientelismo, o jogo de interesse, as paixões pessoais dos governantes são mais fortes e por isso, perdem o bonde da história.
O problema não está somente na construção de estádio para a copa do mundo, mas sim também na reformulação de toda a extrutura futebolística. Deve-se criar novo marco regulatório também para esse setor, transformando em um negócio e não como fonte de lavagem de dinheiro e malversação de dinheiro público. Precisamos fazer uma corrente para frente, utilizando os recursos modernos, tal como foi feito na votação do projeto ficha limpa. Só assim, nossos governantes passam a pensar a longo prazo, mudando os seus modelos de governança corporativa.
Dessa foram, os recursos arrecadados com a elevada carga tributária podem ser melhor aplicados e retornar sob a forma de mais educação, segurança e outros benefícios necessários ao bem estar social e econômico de que tanto reclamamos.

Teresa Braga disse...

Girley, ´´e mesmo incrível que os governos federal e estadual se curvem ás exigências da FIFA, que consedera que nosso estado está cumprindo o cronograma do novo estádio. Imagine só o que prometeram. mas, se não me engano, Eduardo Campos, aqui vai ser uma parceria (com recursos) público-privada.
Fico pasma em ver que se calam os nobres e antigos combatentes engenheiros e arquitetos do CREA-PE sobre esse assunto.
As justificativas para não reformar o est´dio do Arruda dizem que se refere ao deslocamento da população que seria necessário fazer, questões de segurança.etc ..ora...ora...Não pensam em economizar e melhorar os serviços básicos da população. mas li na revista Carta Capital (das mais isentas e lúcidas dos país) há alguns números atrás (pode-se até conferir na internet) reportagem a esse respeito, denunciando,inclusive, um dirigente "fiscal' da FIFa, um francês, que dá um banho em materia de esperteza/falcatruas em nossos patrícios.
E o Ricardo Teixeira, hein? há 22 anos, dirigente mór da CB! Sugiro que Lula, após entregar o cargo, assuma. Quem sabe se não melhora?(Brincadeira, viu?)
Teresa Braga

Baiano da Nigéria disse...

Prezado Girley,

É isso mesmo!!! Eu tambem ja tinha visto isso e estou pasmo como se pode gastar R$ 1 bilhão nessas obras e deixar de investir em mobilidade, saneamento, etc.. A Via Mangue, continua sendo "inaugurada" aos pedaços, o Dona Lindu, tambem... Isso é apenas um microcosmo do que vem por aí com Dilmula (Dilma+Lula, que tal???) no poder.

Regards,
Baiano (Nigeria)

Adilson Carneiro disse...

GIRLEY,
CONCORDO COM O SEU PONTO DE VISTA SOBRETUDO PORQUE A COPA DO MUNDO UMA SUBSEDE COMO RECIFE A DURAÇÃO É DE 21 DIAS. UMA CHAVE COMO ALEMANHA / SERVIA/ GANA E AUSTRALIA TRARÁ PARA O RECIFE NO MÁXIMO 4.000 PESSOAS DESSES PAISES.
CADA JOGO PODE SER ATÉ NO CAMPO DAS BARBIES AI NOS AFLITOS SE TODOS FOREM. UM INGRESSO CUSTARÁ 120 DOLARES E O NOSSO POVO NÃO VAI ASSISTIR UM JOGO DESSES SE PASSA NA TV.
O CAMPO DEVERIA SER O DO ARRUDA. UM IMBECIL DA FIFA DISSE QUE PRECISA DE 10.000 VAGAS DE ESTACIONAMENTO ELE SE ESQUECE QUE OS TURISTAS VIRÃO DE AVIÃO E NÃO DE CARRO.
O ELEFANTE SERÁ MESMO AZUL E BRANCO PORQUANTO UM ESTÁDIO DESSES TEM UM CUSTO OPERACIONAL MENSAL DE 0,50%. OS SEM TERRA VÃO INVADIR E VÃO MORAR NO ESTADIO.
FUTEBOL NO BRASIL DA PREJUIZO, OS MAIORES CLUBES DO BRASIL ESTÃO ENDIVIDADOS. UMA PPP o governo precisa assegurar que dará um retorno minimo de 12% ao ano com risco e assim é melhor aplicar a 10,25 % pela SELIC.
MEU ABRAÇO
ADILSON CARNEIRO

Carlos Antonio Domingues disse...

Girley o BRASIL É MUITAS TETAS. É PAIS RICO MESMO1. TÃO RICO ROUBAM - QUASE TODOS POLÍTICOS PRINCIPALMENTE.
EMPRESARIOS COM POUCAS EXCEÇÕES.
PORTANTO, FALAR EM PARCERIAS - SERIA DIVIDIR O" BOTIM"
CARLOS ANTONIO DOMINGUES

Fernando da Costa Carvalho disse...

Girley
Fico semanalmente aguardando seu BOLG,como antes afirmei,sempre se reveste de assuntos atuais e de uma propriedade extraordinária.
Com a mais absoluta sinceridade lhe assevero que necessitamos de pessoas sérias e independentes, qualidaddes estas cada vez mais raras,para trazer a tona assuntos e fatos pertinentes que interessam a todos, indistintamente.
Você consegue de forma simples mais de grande conteúdo, e mais ainda, de fácil percepção enfoques presentes que estão a merecer não só nossa conscientização, mas principalmente uma participação mais efetiva e dinamica, que sem receios e indiferenças transmitir a todos com quem convivemos no nosso dia, tentando assim formar uma opinião pública.
A construção deste Estádio é um escárnio ao Estado e ao Pais. Se formos enumerar as necessidades de primeira ordem como EDUCAÇÃO, SAÚDE e SEGURANÇA, o minimo que podemos clamar, fácilmente se elencaria uma série delas.
Reportando ao assunto do seu BLOg de hoje retrocedendo um pouco no tempo veja, como exemplo, o o que ocorreu com os Jogos Panamericanos, realizados na belissima Cidade do Rio de Janeiro. Basta citar o Estádio nomeado de Engenhão, hoje entregue por comodato ao Glorioso Botafogo de Futebol e Regatas. As estimativas e os orçamentos previstos, não só para êle,mas para todo o complexo esportivo, um volume de despesas estratoféricas em comparação com o previsto e orçado. Ora sabemos que isto chama-se SUPER FATURAMENTO, muito nosso conhecido, notadamente quando se envolve o Poder Público.
Enfim,é a mesma cambada dos organizadores dos Panamericanos estão ávidos para continuar no doce farniente de antes, para próxima Copa do Mundo, e em seguida os Jogos Olimpicos de 2016.São os mesmos, capiteandos por uma figura muito conhecida no Rio de Janeiro com o nome e sangue estrangeirado, que Posa de idealista e entusiasta com estas promoções esportivas, mas não passa de um espertalhão.
Com relação ao nosso Estado tive a oportunidade de comentar em um seu BLOG, a este mesmo respeito. È inacreditável construir numa Região imprópria uma mega arena com um complexo de edificações sem nenhuma lógica.O que há, prezado Girley,são interêsses de certos grupos dominantes na obtenção de "vantagens"e "privilégios" descomunais.Toda e qualquer outra retórica é só para encobrir os atos inconfessos...
Infelizmente muitos de nossos dirigentes esportivos, principalmente os de nosso Estado, em sua grande maioria,estão na contra mão da história.Os "vicios" e "outros" proveitos estão levando nossos esportes, especialmente o Futebol, a alegria do Povão, a uma falencia progressiva. Não há mais interesse em despertar novos valores,se possível daqui, e sim comprar verdadeiros "bondes" velhos e carcomidos pelo tempo,de outras Regiões, plenos de lesões fisicas e mentais...
È lamentável saber que querem demolir o tradicional Estádio da Ilha do Retiro, edificado com muito sacrifio por abnegados esportistas que vestiram a camisa do clube `SÒMENTE por amor. Nisto tudo existe a preocupante especulação imobiliaria, que de alguns anos atrás com outras parcerias, se cogitaram em mudar, ou no minimo transformar com adoção de lojas, escritorios, etc.., o consagrado e querido Estádio Pernambucano.
Portanto nossa tristeza é profunda, diante de tantas barbaridades, quando reina livremente a vontade e a pretensão destas figuras revestidas de modernidade, mas na verdade a "istória" é outra totalmente diferente.Poucos, como você se manifestam contariamente, que lamentávelmente não percebemos a ressonância necessária e esperada, de outros setores da Sociedade que nos possibilitassem num esforço conjunto uma forte resistência a estas expurias iniciativas.
Com um forte e fraterno abraço peço humildimente que continue a nos trazer assuntos importantes, como este, com coragem e despreendimento."
CORDIALMENTE,
Fernando da Costa Carvalho

Alberto Rodrigues disse...

Girley,
Sua matéria sobre metidos a ricos em seu blog deveria ser lida em nossas assembléias legislativas, quem sabe um de nossos representantes do "povo", levanta a bandeira da indignação.
Amigos, não fica só na grana para Copa, para todos os lados vemos acontecer coisas absurdas. Mas, vai mudar, quando o PT assumir o governo, vai mudar tudo isso, vamos ter gasolina baratinha, alcool quase de graça, vai moralizar essa pouca vergonha. Quem viver verá. (eu ouvi isso, não sei quando).
Muda a mosca, mas o pão doce é o mesmo, ou será ao contrário.
Abraços,
Alberto Rodrigues

Paulo Gustavo Cunha disse...

Girley:
Concordo inteiramente. Num pais ou estado que não pode dar educação e segurança aos seus habitantes, constitui um desatino gastar centenas de milhões de dolares para construir estadios , para dois jogos, e pior, ligando nada a coisa nenhuma por um metrô!!
Dizem que o BNDES financia a 8% ao ano, com menores exigencias do TCU ( medida provisória de sua excia. Lula), com dnheiro captado atraves de bônus públicos captados a 11% ao ano. quem paga o buraco ? Nós.....
Igualmente o famigerado Pré Sal , previsto em 600 bilhões de dolares ( 40% do PIB nacional) e não se sabe se é viavel economicamente e tecnologicamente, sem falar no risco ambiental.
Paulo Gustavo Cunha