domingo, 7 de fevereiro de 2010

MONUMENTAL SANDICE

Eu até que tentei, mas não resisti... Tenho que voltar ao assunto da semana passada, embora que, infelizmente, de forma ampliada: além do frevo, querem acabar com o verdadeiro carnaval pernambucano.
Através de comentários no próprio Blog, pessoalmente, por email ou telefone recebi inúmeras manifestações de concordância com minha postagem da semana passada.
A semana passou e as coisas ficaram mais claras quanto ao desrespeito às raízes históricas do nosso carnaval, tido, outrora, como o mais autêntico, democrático e, sobretudo, mais animado. O melhor carnaval do mundo, orgulho de todos os pernambucanos. Cresci ouvindo isto, meu Deus! O que vejo hoje é uma total negação ao passado. Povo sem história preservada é povo sem futuro.
Para minha tristeza, aliás, revolta, li, no Diário de Pernambuco, de ontem 06/02/10, uma matéria sob o titulo: Samba seduz Pernambuco. Constatei que a coisa já vai muito além da irresponsabilidade e, de fato, estamos diante de um caso de pura alienação. Os “inocentes” de plantão, nos governos municipal e estadual, nem de longe têm idéia do mau que estão cometendo à sociedade pernambucana. Tai no que dá eleger pessoas sem a devida bagagem cultural para dirigir os destinos da cidade e do estado.
Os jovens que estão descobrindo o carnaval agora vão levar para o resto da vida a idéia de que o carnaval de Pernambuco é feito a base de samba, de pagode, de um estranho samba funkeado, axé e outras baboseiras que só combinam bem noutras paragens, e não no Recife. Repito: estão cometendo a maior irresponsabilidade da história cultural desta cidade e deste estado.
O Zeca Pagodinho estranhou o convite, comentou com Lenine que não sabia cantar musica de carnaval, mas assim mesmo vem. Sendo um profissional como é, vem, dá seu recado, bota uma grana boa no bolso e o resto que se dane. Agora, eu pergunto: quem não estranha vendo Lecy Brandão, Dudu Nobre, a filha de Martinho da Vila e até a veterana Elza Soares, ela que, aliás, vem com a novidade do samba funkeado, atuando como animadores da folia do Recife, a capital do frevo e do maracatu? Tenha dó!
A comunidade intelectual – não me incluo nela, digo logo – já se manifesta contra essa loucura (multi)cultural. Segundo o Diário de Pernambuco, o presidente da Comissão Pernambucana do Folclore e professor da UFRPE, Roberto Benjamim, acha que sem dúvida nenhuma, isso descaracteriza o carnaval pernambucano. “Trouxeram a idéia equivocada de criação de um carnaval multicultural, quando nosso carnaval sempre foi multicultural na variedade das suas tradições. A presença desses nomes ditos ‘consagrados’ pode ter a significação de natureza econômica”, arrematou inteligentemente o referido presidente. Gostei foi muito do “de natureza econômica”. Lembrei-me logo do episódio do show de Sandy e Junior, que, segundo dizem, teve uma “profunda natureza econômica”. O historiador Leonardo Dantas foi mais incisivo e “meteu o dedo no centro da ferida”, ao afirmar que “Temos vida própria. Garanto que nenhum artista do Rio de Janeiro movimente mais que Alceu Valença”. É isso mesmo! Mas, para pensar assim é preciso ter são juízo, ser pernambucano de fato e conhecer o mínimo da história e cultura da terra de Joaquim Nabuco, Gilberto Freire, Pinto Ferreira, Mario Melo, Assenso Ferreira, Capiba, Nelson Ferreira e muitos outros valores, esquecidos pelos plantonistas do poder. Um pouco de leitura, e somente um pouco, já daria para o gasto.
Diante dessa monumental sandice, não canso de perguntar: onde estão os ditos conselhos de cultura municipal e estadual? São ouvidos? Que acham dessa doidera? Ou fazem um papel de faz de conta? Tenho (humildemente) dito.
NOTA: Em sinal de protesto, não adiciono fotos.

17 comentários:

Anônimo disse...

Caro Girley, bom dia!
Continue com seus protestos. Não podemos baixar nossa cabeça e aceitar que culturas alienígenas assumam o lugar das nossas raízes culturais.
Nossos políticos bem que poderiam dar uma força protestando em suas tribunas quanto ao gasto do dinheiro público com outras culturas.
Parabéns pelo protesto.
José Mário D Coelho

Anônimo disse...

Caro Girley:

O Brasil é um dos mais ricos países do mundo no que diz respeito a manifestações regionais. Estamos, infelizmente, praticando um suicídio cultural ao importarmos tradições como Haloween e outras baboseiras. Essa tentativa de acabarem com o frevo é uma barbaridade. Nada contra os artistas, afinal de conta eles são profissionais, mas cada macaco no seu galho. Isso é como se substituíssem os desfiles das Escolas de Samba por desfiles de Frevo.

Abraços,

Carlos Candeias

Cachoeiras de Macacu - RJ

Corumbá disse...

Girley:

Simplesmente PARABÉNS!
Assino embaixo,

Corumbá

Anônimo disse...

Curioso o post. Mas o autor não pode esquecer que foi durante os governos Jarbas no Estado e na Prefeitura, além de Roberto Magalhães e Mendonça, quando Cadoca era Secretário de Desenvolvimento e Turismo que notabilizou-seo horrendo espetáculo do RECIFOBIA (L), que teve como grande resultado uma geração de jovens alienados com pom-pons na mão ao som de Ivete Sangalo cantando música baiana... agora, depois de mais de 10 anos de gestões na cultura recifense que fizeram o frevo renascer ouvir esse tipo de comentário é piada. A vinda de Pagodinho não é nada mais que uma oportunidade para que um BLOCKBUSTER da música brasileira atraia os olhos da mídia para o Recife e isso ajuda a divulgar o frevo e nossos valores. Enquanto isso... na antiga sala da justiça... quando CADOCA mandava e desmandava... foi uma luta para conseguir um patrocínio para Chico Science subir num trio com Nóbrega para sair num horário sub-alterno do RECIFOBIA onde o povo pernambucano só tinha oportunidade de segurar corda e vender comer-morreu na Domingos Ferreira e tomar conta de carro na Navegantes.... pelo amor de deus...

valerio guidotti disse...

Nosso comp Reinaldo oliveira faz parte deste conselho cultural,vamos pedir opiniao e posiçao do mesmo a respeito desta nova invasao cultural,ou os artista de fora aceitam a dividir os milionarios contratos e os da terra recebem no sao joao valerio guidotti

Anônimo disse...

Não concordo. Acho que um cara supostamente inteligente como você deve ter uma noção maior de tudo isso. O Frevo, o Maracatu e as tradições Pernambucanas nunca estiveram tão valorizadas, e nossa riquíssima cultura vem sendo mostrada ao mundo. Nunca nosso Carnaval esteve tão divulgado e respeitado. A muito tempo o Frevo não ganha tanto espaço nacionalmente (E mundialmente). Portanto, considero seus argumentos frágeis. A não ser que nas suas idéias, Pernambuco e Recife devam estar sempre numa ilha, onde nada mais se cria, onde nada mais fervilha... Você até que escreve bem... Mas, neste post em particular, está mais que equivocado.

maria guimarães sampaio disse...

Girley, infelizmente já vi este filme aqui na Bahia. Se puder entre na revusta Muito do Jornal A Tarde e leia a coluna de hoje de Aninha Franco. Beijos
Maria

Girley Brazileiro disse...

Sr. ou Sra. Anônimo,
(que comentou sobre eventos de outros governos)
Para inicio de conversa devo confessar a minha dificuldade de me comunicar com alguém que se apresenta como anônimo. Será que você não teria uma alcunha, cognome ou algo parecido? Teria sido mais fácil e mais correto, não sei o porquê desse anonimato. Que temor mais besta...
Mas, vou dar uma chance, fazendo algumas considerações. Vamos lá: na postagem em tela não me detive em comparar administrações e sim criticar a falta de noção dos que fazem o atual carnaval do Recife. Procure entender assim.
De fato, Cadoca foi responsável pela difusão do tal Axémusic na praça do Recife, ao promover o famigerado Recifolia, liquidado em boa hora – pela gestão João Paulo – somente depois da pressão dos moradores de Boa Viagem. Aquilo era, de fato, um absurdo. Concordo. Mas, sem querer justificar ou defender o governo da época, foi – é bom frisar – uma ingenuidade ceder ao competente marketing dos baianos, que numa jogada sem precedentes vem fazendo o tal carnaval fora de época (que, não sei se você sabe, é uma tradição cultural da Bahia e se denomina de micareme ou micareta) no Brasil afora. Veja que tem Fortal, no Ceará, Carnatal, no Rio G. do Norte e em inúmeros outros locais do Brasil, principalmente no interior paulista e goiano, localidades em que carnaval, mesmo, não existe. Agora, fazer isto na terra do melhor carnaval do mundo e berço do frevo e do maracatu, vamos e venhamos, é demais. O Recifolia foi liquidado em boa hora. Acabou e já foi tarde.
Mas, o pior viria a acontecer, nesses últimos 8 anos: em cada carnaval – péssima hora – relegar ao último plano os verdadeiros valores do carnaval pernambucano, substituindo-os por “valores” sem qualquer relação com Pernambuco, ou nosso carnaval, é um erro imperdoável. Um crime.
Piada é dizer que esses “valores convidados” podem colocar o Recife na mídia nacional. Tenha dó, não exagere na sua ingenuidade, aliás, sua ignorância. Tenho pena de você que pensa tão pequeno e tão desfocado. Ainda bem que você faz parte de uma minoria ignara, parece que no poder, que logo, logo passará.. Se todos pensassem desse modo, em Pernambuco, o que seria da nossa cultura?
Chega. Foi um sacrifício me dirigir a você, Sr ou Sra Anônimo.
Girley Brazileiro

Potiguara Guimarães disse...

O que se pode esperar de um país onde tem um campeonato NACIONAL sem time do norte e um ou dois do nordeste. Parece que Brasil é só SUL, até a Bahia não quer mais ser NORDESTE.Valeu.

Anonimo Nigeriano disse...

Prezado Girley,

Comneto com um novo apelido, depois vc vai saber quem sou... Assino como ANONIMO NIGERIANO??? rsrsrs
Olha meu amigo, a "coisa" realmente vem de longe. A descaracterização das manifestações culturais de PE vem desde antes do Recifalia (grifo nosso). Não é de hoje que o Poder Publico, no afã de ser multi-etnico e multicultural, acabam enchendo a rua de aberrações morais, culturias, e sociais.
Não é pra menos que as manifestações culturais da região, sofram com isso.
Pior que tudo isso, é a prostituição moderna transmitida diariamente pelo Big Brother Brasil. Pessoas adultas fazendo tudo, mas tudo mesmo, por dinheiro e por posar nu (ou nua) em revistas do genero.
Francamente, não sei se os poderes públicos podem fazer alguma coisa diferente quando os canais de comunicação assumem posições dubias diante da etica da moralidade. Exigem etica dos politicos quando flagrados com dinheiro nas meias e nas cuecas. Mas são frouxos na produção de cenas de aberração moral, mostrando casamentos destruidos, filhos rebeldes, e apresentando desvios de comportamento como opções democraticas.
A Biblia chama isso de Fim dos Tempos. Nele, o Senhor Jesus, em Mateus 24 (Sermão Profético) começa com o Principio de Dores. Acho que é onde estamos. As dores estão só no começo com o assassinato de inocentes e a impunidade e a progressão de penas dos facinoras.
Abraços,
Anonimo Nigeriano...rsrsrs

Susana González disse...

Mi querido Girley, yo también desde estas tierras tan lejanas, protesto y estoy totalmente de acuerdo con su posición pues considero muy importante en este mundo de globalización si nuestras autoridades no hacen por conservar las tradiciones, poco a poco perderemos nuestra identidad y si el Carnaval de Pernambuco, era el mejor carnaval del mundo. Ahora entiendo porque lo oí triste.
Abrazos

Mucão disse...

Caro Girley.

Faz tempo que não lhe escrevo, mas gostaria de vir aqui manifestar meu apoio à sua causa. A preservação de nossa cultura é um dos patrimônios mais importantes que a população pernabucana e brasileira possui.

A diversidade deve sempre ser celebrada. A indústria da massificação e da uniformização nunca.

Parabéns pelo texto e pela iniciativa, não se esquecendo que hoje, 9 de fevereiro, é Dia do Frevo.

Abraços e apoio à causa daqui do Rio Grande do Sul.

Lyu disse...

Prezado Girley,

Concordo plenamente não só com o que você postou, inicialmente, mas, e principalemte pela sua resposta ao Sr. ou Sra. Anônimo(a).
Sou , fui, uma carnavalesca de coração, apaixanada pelo frevo e admiradora de todos os nossos outros rítmos culturais e que fazem parte do nosso imcomparável, inconfundível e inimitável carnaval.
Hoje, não mais tenho desejos nem me arrisco a sair de meus cuidados para participar desse Carnaval que estão mostrando aí... Realmente, os jovens de hoje, infelizmente, não sentirão, pelo menos enquanto perdurar esse lamentável equívoco,
aquele frenesi frisson,formigamento em todo o ser, "a embriaguês do frevo que entra na cabeça, depois toma o corpo e a acabe no pé..." Temos uns poucos lutadores, como você, o Maestro Spok, o Maestro Forró, sem esquecer os já colocados de lado, Maestro Duda, Clovis Peixoto... entre outros...
Quanta saudade!!!!!
Continue na sua cruzada contra a descaracterização do nosso Carnnaval! Não é porque " uns poucos que passaram pelo poder público e que deveriam preservar o que nos é caro, como memória cultural, que devemos aceitar as aberrações e entregar os pontos.
Viva o verdadeiro e enesquecível Caarnaval de Pernambuco! Desculpe-me se me alonguei e não corrigi o que escrevi, mas a oportunidade do espaço e a emoção tomaram conta de mim...
Um grande abraço,
sua admiradora Lyu

Girley Brazileiro disse...

É verdade Mucão, Hoje é dia do Frevo. Meu Deus! Não vi nos jornais e nem ouvi falar nas radios o registro disto. Vou procurar novamente. Quem sabe passei por cima.Ui!
GB

Anônimo disse...

Oi GB... Saíram matérias no DP, JC e Folha. É só procurar um pouquinho. Saiu também uma matéria no vídeo show.E outras na net.E no NE TV.

Se não tivesse saído nada teria sido culpa da atual gestão, né? No seu ponto de vista, até o aquecimento global deve ser culpa da atual gestão. Acho que você deveria procurar ajuda psicológica, isso já virou meio que uma obsessão. Já se observou?

Bom dia para você, GB!

Girley Brazileiro disse...

Olha só pessoal! O Sr. ou Sra. Anônimo(a) atacou outra vez! Desespero de causa!
De todo modo, obrigado pelas visitas ao Blog Sr. ou Sra. misterioso(a)!
Nem ti ligo pobreza... estou bem longe dessa palhaçada multicultural. Estou na Argentina.
Enquanto vc dança ao som do pagode e de Zeca, eu curto um tango autentico sem desvituações ignorantes.
Passe bem!
GB

Regina da Fonte disse...

Oi,Girley,
Somente ontem tive oportunidade de ler seu blog sobre o carnaval multicultural e,obviamente,li os comentários.Fiquei pasma em constatar que ainda existem adultos que se escondem no anonimato para exprimir suas idéias.É claro que ninguém precisa concordar sempre com o que vc escreve,e é até salutar conhecermos opiniões diferentes,mas meu amigo,não perca seu tempo respondendo a "ninguém",pois o único intúito de quem não assina o que diz,é desestabilizar quem recebe a mensagem. Se vc respode "niguém"alcança o objetivo,deixar vc puto da vida e no calor da emoção leva-lo a dizer algo que possa lhe comprometer.Delete essas pessoas.Elas simplesmente não existem.
Tenha um ótimo carnaval aí nesta terra deliciosa.
Bjs,Regina da Fonte