quarta-feira, 22 de abril de 2009

Se correr o bicho pega, se ficar o bispo come!

Tenho acompanhado essa história do bispo/presidente do Paraguai, Fernando Lugo, que teve de assumir publicamente, semana passada, a paternidade de uma criança de dois anos de idade, fruto de uma aventura amorosa com uma jovem correligionária e, logo a seguir, na última segunda feira, enfrentar a aparição de mais um filhinho, que vivia encoberto e já com seis aninhos. Êita bicho bom de cantada... Acho que na volta dele é: “se correr o bicho pega, se ficar o bispo come”. Bom de papo, bom de cama e de comícios. Derrubou uma oligarquia de 36 anos. É mole...
A situação do Papá Lugo não teria nenhuma repercussão se o cara não fosse um sacerdote, bispo licenciado da Igreja Católica paraguaia e, por cima, o Presidente da República. Nessas circunstancias a coisa é grave e, como não poderia deixar de ser, o bicho pegou o bispo.
Vejam que situação vexatória: o homem é bispo (da Província de San Pedro) e passa ferro na fiel que foi pedir ajuda para solucionar um problema que tinha com o ex-companheiro, do qual havia engravidado e dado à luz a uma menina. Foi em busca de solução e arranjou mais encrenca. O resultado da “conversa” e do “conselho” do pastor foi outro bucho, que desembuchado recebeu o bíblico nome de Lucas. O garoto recebeu assistência financeira de Papá Lugo até que completou os dois anos de idade, quando caiu no esquecimento de papito que, agora, nem atende ao telefone da mãe do garoto e, por conta disso, e vingança pesada da mulher seduzida, se vê em palpos de aranha para explicar ao mundo essa outra travessura de alcova. Ela vive na pobreza, vende detergente caseiro nas portas da periferia de Cuidad del Este, fronteira com Foz do Iguaçu, no Brasil.
É isto aí gente. Estamos diante de mais um, entre os milhares, dos casos de sacerdotes católicos que não conseguem respeitar as regras rígidas do celibato.
Esta história vem de longe. Desde o Século V que a coisa rola, sem que, contudo, tenha sido seguida de maneira rígida. Muitíssimo depois, somente no Século XVI, que no Concílio de Trento (1545-1563) estabeleceu-se definitivamente o celibato sacerdotal obrigatório. Na ocasião a Igreja de Roma teve que tomar atitudes severas para acabar com a gandaia que reinava entre os seus sacerdotes. Descobri nas minhas pesquisas que, antes disso, durante certo Concilio em Costanza(não encontrei a data), na Alemanha, 700 prostitutas foram convocadas para atender sexualmente aos bispos ali reunidos. Assim... naturalmente, sem que houvesse qualquer tipo de restrição ou condenação. Numa nice... Outra coisa que estimulou a decisão de Trento foi a clara intenção de dar uma resposta à recente Reforma Protestante que permitia, e, inclusive, promovia os casamentos dos seus sacerdotes. Quer saber mais? Clique, por exemplo, em: http://forum.cifraclub.terra.com.br/forum/11/120170/ . Vale à pena uma espiada.
O celibato é uma grande hipocrisia e tem sido constantemente combatido e discutido nos concílios ou encontros similares da Igreja Católica, sem que haja algum progresso, não obstante os inúmeros movimentos católicos de renovação em defesa da sua abolição. Bento XVI, o atual papa, já deu seu veredicto sobre o assunto: o celibato é necessário. Que jeito...
O resultado dessa posição radical e retrógrada está explodindo, a cada dia e nos quatro cantos do mundo, através dos Lugos irresponsáveis, por pervertidos sexuais que molestam menores, ou ainda nos escândalos homossexuais intra-muros dos mosteiros e conventos católicos. Incluindo as freirinhas. É. Elas são bem danadinhas, também.
Estudei em colégios dirigidos por padres e irmãos católicos e lembro das figuras que, visivelmente, negavam ao mandamento do celibato. Muitos tiveram a coragem de largar as batinas, casar e constituir famílias. Outros continuavam na “clandestinidade” e outros mais eram homossexuais, cujas peripécias eram comentadas “a boca miúda” pela estudantada fofoqueira e reprimida da época. Pense na fuxicada dos corredores.
Na verdade, deve ser muito difícil para o sacerdote ou uma freira – um ser comum, de carne, osso e sistema nervoso – viver podado dos fortes instintos sexuais. É o tipo da coisa incontrolável. Imagine o seminarista, jovem e indefeso, no explodir dos hormônios da juventude, ver-se obrigado a “segurar a barra”. Coitado... Não tem saída. E o pior: na dúvida e na hora do “pega pra capar” ou dá ou desce. Imagino que deve imperar a lei do mais forte, num tipo de “guerra é guerra...” Uma lástima. Haja hipocrisia.
A meu ver, isso devia ser visto de modo mais atual. A Igreja Católica ganharia muitíssimo com uma mudança dessa regra obsoleta. O mundo mudou e a Igreja congelou!
Seria tão mais fácil flexibilizar aos poucos, restringindo o celibato aos voluntários e, quem sabe, aos aspirantes a cargos mais graduados (cônegos, bispos, arcebispos, cardeais, papa). Quem não tivesse essas aspirações poderia fazer sua vidinha particular, constituir suas famílias e verem-se livres das manobras escusas de alcovas, das condenações e ser um bom sacerdote. Isto reduziria muitíssimo os escândalos de seduções "donjuanescas", pedofilia, homossexualismo, orgias monásticas e qualquer tipo de peripécias sexuais. Como conseqüência positiva, aumentaria as vocações sacerdotais e faria nascer uma Igreja mais humana. E, por esse caminho, Lugo não estaria nessas dificuldades, que já põem em risco sua trajetória política de imenso significado histórico para o Paraguai. Não condeno o bispo. Ele pode ser, até, um mau caráter! Mas foi humano.
Notas: 1. Eu sou católico! 2. A charge foi colhida no Google Imagens

10 comentários:

Maria José Andrade disse...

Gostei muito Dr. Girley, já redirecionei para minha rede de relacionamento.
Estudei na Católica e lá tive um amigo padre. Sempre eu estava questionando sobre o celibato pq eu não entendia só os líderes da igreja católica não puderem casar, e isso me deixava muito irritada pq tinha cada padre......ah! ah! ah!
abraços
Maria José Andrade

Aline disse...

Parabéns Sr. Girley! Adorei conhecer o blog. Agora tenho mais uma opção de lazer na internet... Tive um primo que sonhava em ser padre. Passou em seminários por todo o Brasil até que, aos 21 anos, suicidou-se... Foi um susto, já se passaram 5 anos e a nossa família até hoje não se recuperou. Para nossa tristeza,ainda que seja difícil assumir, ele não resistiu às contradições que encontrou dentro da Igreja Católica. Abraços! Aline Sambo - Luanda / Angola.

Wirson Bento de Santana disse...

Parabéns Girley.
Faço das suas as minhas palavras. Lecionei em convento e pude conviver um pouco com seminaristas na sua explosão de hormônio. Sou professor em uma universidade católica e convivo diariamente com essa hipocrisia.
O celibato foi uma invenção para que o patrimônio constituído em família, quando ocorre o casamento, fosse revertido para a igreja.
É uma invenção muito mais econômica do que moral ou religiosa. Foi a forma de consolidação do patrimônio em um só lugar, o Vaticano.
Quanto aos escorregões de Lugo, não teria nenhuma repercussão se ele fosse do partido derrotado. Para mim essa é a forma de afastá-lo, seja por uma renuncia, perda de apoio popular, quebra dos valores morais ou qualquer outro motivo.
Politicamente, o Presidente Lugo tem o apoio de varias correntes, entretanto, na formação de seu Ministério, alguns grupos foram preterido e no jogo do poder, uma reforma ministerial pode acalmar tudo.
Por outro lado, até o Brasil pode sair ganhando com a perda de prestígio decorrente desse processo, pois o Presidente Lugo deverá ficar envolvido em apagar o fogo interno, esquecendo um pouco as suas pretensões de mudanças no Tratado de Itapu.
O tempo passa, o fogo apaga, ficam as cinzas, para limpá-las leva-se mais tempo e tudo volta a normalidade.
Quanto à igreja católica, faço uma comparação com um pacderme é grande demais para ter movimentos rápidos e eficiente, deve ficar como está e nada será mudado tão cedo, principalmente, devido ao fato de que o cardinalato é constituído de conservadores, seja pela idade ou formação e é daí que sai os Papas.

Anônimo disse...

Parabéns Girley. Excelente texto (como sempre). Concordo em tudo. Não há mais (se é que algum dia existiu) justificativa para esse atraso da Igreja católica. Abraços! Simone Lustosa

Anônimo disse...

Abandonar a amante numa situação precária de vida, privar os dois filhos da figura de um pai, e, como se não fosse o bastante, não dar nem assistência financeira, isso é ser sim DES-humano.


Ser "humano" não é só fazer sexo. Mas também se responsabilizar por suas consequências, principalmente depois que esse sexo dá gravidez!

Fernando Costa Carvalho disse...

Girley (A/C de Leony Muniz)
Novamente agradeço a gentileza de seus e-mails. TODOS excelentes. O seguinte sempre superando o anterior... Mas este tem um significado especial, pois retrata de forma objetiva e inteligente, com conteúdo, uma grande verdade no imenso TABÚ, e neste emaranhado de preconceitos, com um misto de HIPOCRISIA, que HOJE, como e principalmente no passado,revestido no manto do fingimento, e de outros interêsses, especialmente posição de mando e financeiro. Aliás tem sido a "receita" na conduta destas SEITAS horrendas e montruosas, que surgem a cada dia,em nosso Pais, se espalhando pelo mundo afora.
Concordo plenamente com a posição e o pensamento do brilhante e competente Girley Brasileiro. Gostaria até que você levasse ao mesmo as minhas congratulações, pelo oportuno e excelente trabalho. Aprecio sobremodo os seus Blogs.
Receba meu fraterno abraço. Mais uma vez muito grato. Do amigo e admirador,
Fernando da Costa Carvalho

Wilma disse...

É Girley,sou católica,mas concordo plenamente com a sua posição.Realmente, a nossa igreja deveria flexibilizar tanto no casamento dos padres,como também no caso do uso de preservativos,etc,etc.
Você,como sempre,escreve sobre qualquer tema com muita sabedoria.
Lhe admiro de montão.
Abraços.
Wilma Reis.

palestranterogeriomartins disse...

Prezado Girley,

Ótima postagem sobre o caso e a questão que envolve o celibato. O mundo mudou, está mudando e tem gente que ainda vive como se estivesse na época das cavernas. É preciso evoluir em pensamento e ações.

Abraço.

Rogerio Martins
RCSP Santana - Distrito 4.430

very disse...

Pois é,querido amigo...
Não vejo porque o celibato na igreja católica,isto porque, com tantos homens naquela época e, tendo Jesus escolhido apenas doze - e, dentro deles, um para estabelecer a sua igreja (embora incorreta a interpretação desse texto bíblico)-, escolheu UM QUE TINHA SOGRA: Jesus curou a sogra de Pedro (está lá nos Evangelhos).
Pelo que li o celibato estabelecido no Concílio de Trento, no IV século depois de Cristo, tinha POR FINALIDADE RETER DO NOVO MEMBRO CLERICAL, RIQUEZAS E BENS EM FAVOR DA IGREJA (voto de pobreza) E LHE EVITAR HERDEIROS, QUE PUDESSEM REINVICAR AS POSSES.
Prezado Gyrlei, deu no que está dando:Filhos ilegítimos, sem falar em pedofilia... Tudo muito grave.
Fico com o que está escrito por Paulo em cartas a seus discípulos, como se segue: "É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar...alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, tendo filhos cristãos que não sejam acusados de dissolução, nem sejam desobedientes." (I Timóteo 3:2 - Tito 1:6.
Continue escrevendo, seu Blog está muito bom.
Abraços.
Verônica.

Iposter disse...

Mas ele podia transar mesmo sendo bispo? Parece que sim, porque o voto de castidade era paraguaio! E ele seguiu cegamente o papa: camisinha nem pensar!

Muito bom o Blog, recebi i link de um amigo de Abreu e Lima, o professor Joel.
Parabens!!